Ao navegar, você aceita que o Jus use cookies e parcerias para personalizar conteúdo e anúncios. Política de Privacidade

Símbolo do Jus.com.brJus.com.br

DA REVELIA E SEUS EFEITOS NO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL

A letargia do réu no momento da contestação em um processo, origina a revelia e trás consigo resultados diversos, sendo o mais evidente e perceptível, a suposição de genuinidade sobre as alegações intentadas do autor (art. 344).

DA REVELIA E SEUS EFEITOS NO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL

 

Fabiana Regina Correia da SILVA ¹

Maristela Silva Fagundes RIBAS ²

 

A letargia do réu no momento da contestação em um processo, origina a revelia e trás consigo resultados diversos, sendo o mais evidente e perceptível, a suposição de genuinidade sobre as alegações intentadas do autor (art. 344), consumando desta forma o efeito material. Sobre o réu revel, pode-se dizer que, é aquele que deixa pura e simplesmente de apresentar em juízo a contestação, e, caso o réu se apresente no processo, ao deixar de expor qualquer manifestação de réplica propícia, incorre em revelia. Todavia, o simples fato do réu não apresentar-se no ato da contestação, não significa que o autor detenha o ônus da prova totalmente, ou seja, o autor não traz consigo total convencimento de que suas alegações sejam a verdade absoluta da ação, com isso, o artigo 345, aduz sobre as exceções, expondo que o simples fato do réu não apresentar contestação, não incide em revelia. A primeira exceção diz que se existir litisconsortes no processo e um deles contestar ação, os demais deixam de ser revéis, outra exceção se dá no caso do conflito consistir sobre direitos indisponíveis, por exemplo, herança, também se a petição inicial indispuser de instrumento que a norma avalie imprescindível à evidência do ato, por fim, se as declarações pretendidas pelo autor mostrarem-se improváveis ou fraudulentas. Para todo ato processual a lei dispõe de prazo, e no caso da contestação, logo após suceder a citação do réu, o mesmo deverá apresentar resposta em quinze (15) dias úteis, a ser contado de regra, a partir da audiência de conciliação ou mediação, conforme disposto no art. 335, I, contudo, poderá iniciar o prazo também em outras duas hipóteses, "(...) do protocolo do pedido de cancelamento da audiência de conciliação ou mediação apresentado pelo réu (...)" art. 335, II, e "(...) prevista no art. 231, de acordo com o modo como foi feita a citação, nos demais casos" art. 335, III. Em relação ao efeito processual da revelia, incidirá quando o revel não possuir defensor nos autos e assim os prazos decorrerão a partir da data de publicação do ato decisório no órgão oficial, art. 346. A manifestação do réu revel, poderá se dar em qualquer etapa do processo, no entanto, deverá aceitá-lo na condição em que estiver (art. 346, parágrafo único), assim também diz a Súmula nº 231 do STF, "o revel, em processo cível, pode produzir provas desde que compareça em tempo oportuno". A compreensão sobre essa sustentação do STF, é acentuada também no artigo 349, o qual ressalta que: "ao revel será lícita a produção de provas, contrapostas às alegações do autor, desde que se faça representar nos autos a tempo de praticar os atos processuais indispensáveis a essa produção". Em conclusão, deve-se levar em conta outro aspecto importante ao tratar de revelia, a possibilidade do processo ter o julgamento antecipado do mérito, sendo assim proferida, diz a lei que a sentença com resolução de mérito pelo juiz, esta prevista no Art. 355, I e II, e expressa que: "não houver necessidade de produção de outras provas", e "o réu for revel, ocorrer o efeito previsto no art. 344 e não houver requerimento de prova, na forma do art. 349", pondo fim ao processo com julgamento integral atribuindo assim a sentença.

 

 

Palavras-chave: Revelia. Código de Processo Civil. Contestação. Sentença. Mérito.

                                                                                                                               

Sobre as autoras
Imagem do autor Fabiana Regina Correia da Silva
Fabiana Regina Correia da Silva

Sócia Diretora na empresa Eufix Sistemas Ltda - ME, gestora, idealizadora e criadora do projeto [email protected] (Sistema de Apoio a Atividade Física e Nutricional), discente no curso de Direito das Faculdades Integradas Santa Cruz - 8º Período.

Maristela Silva Fagundes RIBAS

Docente das Faculdades Integradas Santa Cruz.

Informações sobre o texto

Este texto foi publicado diretamente pelos autores. Sua divulgação não depende de prévia aprovação pelo conselho editorial do site. Quando selecionados, os textos são divulgados na Revista Jus Navigandi

Publique seus artigos
Compartilhe conhecimento e ganhe reconhecimento. É fácil e rápido!