Impacto da nova Lei de Abuso de Autoridade aos Comandantes e Oficiais de Dia de Organizações Militares.

Com a chegada da nova lei de abuso de autoridade, em vacatio legis, os Comandantes e Oficiais de Dia de Organizações Militares devem rever alguns de seus procedimentos internos. Em especial para evitar a violação dos direitos e prerrogativas dos advogados no exercício de seu mister.

No dia 16 de janeiro, quinta-feira, de 2020 entra em vigor a Lei Federal nº 13.869/2019. Esta Lei define os crimes de abuso de autoridade, cometidos por agente público, servidor ou não, que, no exercício de suas funções ou a pretexto de exercê-las, abuse do poder que lhe tenha sido atribuído (art. 1º da Lei 13.869, de 5 de setembro de 2019).

O dispositivo legal sob análise em seu art. 43 alterou o Estatuto da Advocacia e a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) no Art. 7º-B combinado com o Art. 7º incisos III e VI nas alíneas “b” e “c” passando a considerar crime, sob pena de detenção, de 3 (três) meses a 1 (um) ano, e multa, a violação de direito ou prerrogativa de advogado.

A nova lei federal impacta aos militares caso o advogado seja impedido de comunicar-se com seus clientes, pessoal e reservadamente, mesmo sem procuração, quando estes se acharem presos, detidos ou recolhidos em estabelecimentos militares, ainda que considerados incomunicáveis e/ou que seja impedido de ingressar livremente em qualquer prisão, edifício ou recinto em que funcione serviço público onde o advogado deva praticar ato ou colher prova ou informação útil ao exercício de sua atividade profissional, dentro do expediente ou fora dele, e ser atendido, desde que se ache presente qualquer servidor ou empregado.

O novo regramento traz insculpida a mens legem do parlamento brasileiro visando ao cumprimento da Lex Fundamentalis no que tange ao amplo direito de defesa e contraditório espraiado no ordenamento jurídico pátrio.

Essa profunda mudança, dentre outras, contidas na Lei Federal nº 13.869/2019 merece, porquanto, especial atenção das organizações militares e seus representantes legais.


Autor


Informações sobre o texto

Promulgação da nova Lei Federal de Abuso de Autoridade e alterações no Estatuto da Advocacia e a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

Este texto foi publicado diretamente pelo autor. Sua divulgação não depende de prévia aprovação pelo conselho editorial do site. Quando selecionados, os textos são divulgados na Revista Jus Navigandi.

Comentários

0

Autorizo divulgar minha mensagem juntamente com meus dados de identificação.
A divulgação será por tempo indeterminado, mas eu poderei solicitar a remoção no futuro.
Concordo com a Política de Privacidade e a Política de Direitos e Responsabilidades do Jus.

Regras de uso