Italiano nascido antes de 1861, tenho direito a Cidadania Italiana?

Italiano nascido antes de 1861, tenho direito a Cidadania Italiana? Em 1861 ocorreu a proclamação do Reino da Itália que unificou a grande maioria dos pequenos Estados existentes à época e formou o atual Estado Italiano. Esta data é determinante e deve ser considerada na análise ao direito à cidadania italiana. A questão é relevante pois antes de 1861 não existia o Estado Italiano e portanto não existiam cidadãos italianos, mas sim cidadãos dos respectivos Estados espalhados pelo território da atual Itália (como por exemplo República Toscana, Reino da Sicilia, Reino da Sardenha etc). Com a proclamação do Reino da Itália , que se deu formalmente em 17/03/1861, os cidadãos que eram vivos à época, passaram a ser cidadãos italianos. Meu ancestral italiano nasceu antes de 1861, como sei se tenho direito à cidadania italiana? É juridicamente fundado o reconhecimento da cidadania aos descendentes de um italiano originário de um Estado pré-Itália à condição que ele fosse vivo em 17/03/1861 (data da proclamação do Reino da Itália). Isto significa que se o seu antenato ou ancestral italiano era vivo em 17/03/1861 ele passou a ser cidadão do Estado Italiano e portanto transmitiu o direito à cidadania italiana aos seus descendentes. Como posso provar que meu ancestral, antenato italiano era vivo em 17/03/1861? A primeira possibilidade é verificar a certidão de óbito do próprio italiano. Este é o meio mais eficaz de comprovar que ele era vivo em 17/03/1861. A segunda possibilidade é verificar a certidão de nascimento do filho do italiano. Se este nasceu em data razoavelmente posterior à 17/03/1861 é coerente considerar que o italiano era vivo à época. Por se tratarem de registros antigos é comum encontrar obstáculos. Se este for o seu caso, solicite uma avaliação do caso escrevendo para: [email protected]

Autor


Informações sobre o texto

Cidadania Italiana

Este texto foi publicado diretamente pela autora. Sua divulgação não depende de prévia aprovação pelo conselho editorial do site. Quando selecionados, os textos são divulgados na Revista Jus Navigandi.

Comentários

0

Regras de uso