Para muitos, isto pode parecer uma piada. Mas para estas mesmas pessoas, não parece piada abrir o youtube e ler: “Como montar uma empresa com R$ 500,00”.

Tudo depende de como você está trabalhando a ideia.

PRIMEIRO:  QUEM PODE RECEBER BOLSA FAMÍLIA? “O Programa Bolsa Família é um programa de transferencia de renda do Governo Federal, direcionado para famílias pobres, com renda percapta de R$ 89 a R$ 178 e que tenham em sua composição gestantes e crianças ou adolescentes de 0 a 17 anos e extremamente pobres, com renda de até R$ 89 por membro do grupo familiar.”

SEGUNDO: Se você recebe bolsa família, o que se entende é que esteja desempregado. Se você está desempregado, o seu tempo está livre. Então o bolsa família deveria ser algo para te ajudar na educação dos teus filhos. Mas o que você faz? Faz do bolsa família uma renda para sustenta da família. Com medo de perder o balso família, não quer mais um emprego, muito menos com carteira assinada.

TERCEIRO: Ao invés de receber uma orientação administrativa e financeira para sair da situação de pobreza, recebe toda uma orientação de como não perder o bolsa família.

“Se trabalhar com carteira registrada, perde o bolsa família”

“Se abrir uma empresa no seu nome perde o bolsa família” e por aí vai.

Por que não orientar estas pessoas para saírem da situação de pobreza e elevar o seu padrão de vida deixando de depender do bolsa família? Porque é melhor manter a ideia do “coitadismo” do que ter no futuro alguém que teve o sucesso que você não é capaz de ter (egocentrismo).

Sabemos que muitos até participam de cursos de artesanatos, dentre outros, mas porque não oportunizar a orientação empreendedora, administrativa, financeira, não por alguém especializado apenas nas áreas administrativa e financeira, mas que também conheça esta realidade social?

Proporcionar oportunidade de produzir e expor o seu produto saindo daquele mundo de *“CRAS”* para inserção na sociedade como profissional que aprendeu uma profissão e agora é capaz mudar a sua realidade.

Nem todo mundo é artesão, mas toda dona de casa sabe cozinhar. Uma família onde a mulher e o marido estão desempregados, fazendo bolos, tapiocas, salgados, e vendendo na porta das escolas, eles são capazes de proporcionar uma renda para complementar ao bolsa família, inclusive com um futuro empreendimento.

Um homem desempregado sabe lavar um carro, fazer pequenos reparos, fazer entrega a pé, de bicicleta em função de maior agilidade, ele só precisa de orientação, confiança, coragem e determinação.

Uma mulher sabe lavar, passar, fazer limpeza, ela só precisa de orientação, confiança, coragem e determinação.

Então meus amigos, minhas amigas, como justificar o número de pedintes, o número de famílias em extrema pobreza e pessoas ociosas.

Pois se uma pessoa sobrevive com o Bolsa família, com o dinheiro destes bicos que citei, porque não iniciar o seu pequeno negócio informal?

Falta de vontade política de se tomar atitudes concretas, dentro e fora do governo, porque vontade política, não é apenas algo ligado ao governo, mas também as entidades não governamentais que dizem buscar o desenvolvimento econômico e social através do empreendedorismo.

É preciso largar os interesses pessoais e focar em classes menos favorecidas, sem a desculpa de que elas não querem nada, e buscar inseri-las no contexto econômico e social.

Este poderia ser, um possível caminho para redução da marginalidade, da criminalidade, da pobreza e melhoria do desenvolvimento econômico e social, local e regional.

E você, não sabe fazer nada disso ?  Então como pode arrumar um emprego ?  Vá à luta mostre o que sabe fazer! Motive a todos da família e crie sua independência financeira", você é capaz!!!

A independência é uma questão de decisão!!! Reúna a família, procure orientação e tome uma decisão importante na sua vida.

Você só precisa de confiança, determinação e atitude!



Informações sobre o texto

Este texto foi publicado diretamente pelo autor. Sua divulgação não depende de prévia aprovação pelo conselho editorial do site. Quando selecionados, os textos são divulgados na Revista Jus Navigandi.

Comentários

0

Autorizo divulgar minha mensagem juntamente com meus dados de identificação.
A divulgação será por tempo indeterminado, mas eu poderei solicitar a remoção no futuro.
Concordo com a Política de Privacidade e a Política de Direitos e Responsabilidades do Jus.

Regras de uso