Meu irmão registrou a criança pois acreditava que a mesma seria sua filha,só que a mae nAo permite que ele tenha contato com a criança dês de que ela nasceu,e nAo aceita nenhum tipo de ajuda.Sendo assim surgiu a duvida de que ela seja realmente sua filha,foi pedido o teste de paternidade,mais a mae se negou a fazer. Meu irmão pode entrar com o novo pedido,pois ele nAo quer se eximir da responsabilidade caso seja realmente sua filha,mais ele gostaria de ter certeza se e ou nAo o pai da criança

Respostas

30

  • 0
    J

    Joao Celso Neto/Brasíla-DF Sábado, 21 de julho de 2012, 13h04min

    certamente que apenas um juiz pode decidir, MAS a atitude da mãe é estranha, e PODE ser alegado como forte indício de que o pai biológico é outro (e ela tanto sabe disso que não quer fazer o exame).

    Outro aspecto a considerar é a afetividade que exista entre seu irmão e a criança, que pode ser abalada pela eventual certeza de não ser sua filha.

    Questão delicada.

  • 0
    J

    Julianna Caroline Sábado, 21 de julho de 2012, 13h56min

    Ele pode pedir sim a investigação de paternidade.
    Ela se recusando a atender a marcação da justiça para coleta do material, por 3 vezes, seu irmão sera excluído da certidão da cça.
    Ainda mais que ele nunca a viu, desde que ela nasceu.
    por tanto nao tem laços de afetividde.
    Boa sorte**

  • 0
    E

    Edic Sábado, 21 de julho de 2012, 15h24min

    Julianna Caroline

    Pelo que eu entendi, o amigo quer o exame de DNA para ter certeza se a filha é dele ou não. Se a mãe não atender a justiça e a paternidade for excluída não resolve o problema do amigo, pois ficou claro que se a filha for dele ele quer assumir, mas quer ter certeza. O que fazer nesse caso? a justiça tem instrumentos de obrigar a mãe a fazer o DNA da criança, mesmo que seja a força?

    Um abraço

  • 0
    J

    Julianna Caroline Sábado, 21 de julho de 2012, 18h42min

    Edic

    Obrigada, não me atentei a esse pequenino detalhe.
    O fato da mae se recusar implica na anulação do registro, somente.
    Não tem como levar a força pra coleta de material.
    O que ele pode fazer, é o exame particular, escondido da mãe da cça, a maioria dos laboratórios fazem, uma vez que a cça é registrada por ele.
    Somente dessa forma.
    Mediante a justiça, não tem como obriga-la.
    Mas pense comigo: Se a mae não quer fazer, é porque tem algo errado, não acha?
    Se fosse dele mesmo, ela faria questão de fazer pra esfregar o positivo na cara dele, não acha?
    rsrsrsrsrss
    Abraço**

  • 0
    D

    Deti Sábado, 21 de julho de 2012, 20h05min

    Muito obrigada Julianna Caroline e Edic pelas respostas já nos ajudou e muito.E também sou da mesma opinião se nega a fazer o exame e pq sabe q no caso meu irmão nAo e o pai da criança. Hoje meu irmão foi ate a casa dela e conseguio ver a criança a mae da deixou meu irmão ir ver ela de quinze em quinze dias e falou q entrou com uma ação alimentícia contra meu irmão.Já que ela entrou com a ação,no caso meu irmão agora pode pedir outra vez o exame de DNA,dizendo q nAo se nega a pagar e a ver a menina des de que saiba se a filha e realmente dele ou melhor ele pagar e fazer o exame escondido como sugeriu? Agradeço muito mesmo as respostas de vcs, Obrigada abraços

  • 0
    E

    Edic Sábado, 21 de julho de 2012, 20h34min

    Juliana

    A mãe deixou claro que não quer nenhuma ajuda e nem que o suposto pai conviva com a criança, ou seja, quer criar a criança totalmente sozinha sem nenhuma interferencia externa. Neste caso, como o pai registrou, ele pode sim fazer um DNA escondido quando ele estiver com a criança, mas minha dúvida é a seguinte: se uma mulher resolve fazer uma produção independente (engravidar de qualquer um só pra ter o filho com o objetivo de criá-lo totalmente sozinha) e depois se recusa a fazer DNA, como que o suposto pai pode ter certeza se realmente tem um filho e assim garantir seus direitos se a mãe se nega a fazer o DNA? a paternidade é presumida neste caso?

    Um abraço

    Um abraço

  • 0
    J

    Julianna Caroline Domingo, 22 de julho de 2012, 0h59min

    Sim, a paternidade é presumida.
    O que importa é a cça, e ela tem direito a um pai.
    Se o cara pede exame é porque acha que é.
    Se a mãe nao deixa fazer, é porque tbm acha que é, então, que seja.....
    Se a mulher quer fazer uma produção independente, bastaria não contar ao dito cujo que está grávida dele.
    Simples assim.
    Engravida, fala pro cara que ele é o pai, e depois quer alegar produção independente...fala sério.....hahahaha
    No caso do consulente, ela diz que nao quer nada do pai da cça.
    Mas quis que ele registrasse e agora vai pedir a pensão...
    Boa bisca essa dona, isso sim.........
    Abraços**

  • 0
    J

    Joao Celso Neto/Brasíla-DF Domingo, 22 de julho de 2012, 1h07min

    Juliana,
    o caso parece ser de alguém que acha que NÃO É o pai e a mãe da criança não quer que ele tire a dúvida...

    a presunção é às avessas: permite supor que não seja ele o pai biológico. A isso, do ponto de vista do suposto ou alegado pai, chama-se "exceção da verdade".

  • 0
    J

    Julianna Caroline Domingo, 22 de julho de 2012, 1h15min

    Sim, Colega João.
    Como eu disse desdeo começo, se ele entrar com a ação, e ela continuar se negando a fornecer o material pra exame, a paternidade será excluída, uma vez que ele ja registrou a cça.
    Depois disso, Edic e eu ficamos a presumir situações...rsrsrsrs
    Abraços**

  • 0
    D

    Deti Domingo, 22 de julho de 2012, 14h34min

    Obrigada pela respostas, mais tenho mais uma duvida,como falei meu irmão nAo se nega a assumir a paternidade des que a criança seja sua filha! Como a justiça pode fazer ele pagar a pensão para uma criança na qual ele tem duvida que seja dele? Gostaríamos que o exame fosse feito justamente para se tirar a duvida,ai sim se a filha nAo for dele ele tira do registro caso seja dele ele assume toda a responsabilidade como pai. Depois que meu irmão pedio o exame ela liberou a visita e falou que entrou na justiça para pedir pensão,isso só nos deixa com mais duvida se realmente ele e o pai,já que antes eLa nAo queria que meu irmão vise a criança e negou o dinheiro e se desfez de todas as roupas e o carinho que ele deu a ela antes da criança nascer!!! E agora ele vai ter que pagar a pensão por uma criança que ele nAo sabe se e dele?

  • 0
    J

    Julianna Caroline Domingo, 22 de julho de 2012, 15h33min

    Faça como ja orientado, Deti.
    Seu irmão deve pedir o dna, se ele ja registrou, ele que mova ação de NEGATÓRIA DE PATERNIDADE.
    Como ela liberou as visitas, seu irmão podia adiantar o processo e levar a cça num laboratório e fazer o exame, se ele tiver possibilidade financeira.
    Caso não tenha, mover a ação de negatória e deixar que ela se defenda.
    lembre a ela, que caso ela nao apresente defesa e faça a coleta,adeus nome do pai na cça, e adeus pensão alimenticia.

  • 0
    D

    Deti Domingo, 22 de julho de 2012, 17h56min

    Sim ela liberou as visitas mais meu irmão nAo pode sair com a criança da casa dela e a visita tem q ser acompanhada por um parente dela.Sendo assim,o exame nAo tem como ser realizado escondido da mae. O que meu irmão gostaria era que a lei pedisse o exame,como falei ele nunca negou a obrigação de pai tanto que registro a criança,o que ele quer e a certeza,caso nAo seja ai sim tiraria o nome! A ação NEGATORIO DE PAtERNIDADE,seria para a retirada do nome da certidã? Obrigada pela ajuda

  • 0
    J

    Julianna Caroline Domingo, 22 de julho de 2012, 20h25min

    Sim, seria Deti.
    Diga a ele que procure um advogado e que não demore.
    Quanto mais o tempo passa, pior será se for o caso de anular a certidão, se der negativo.
    Boa sorte**

  • 0
    Luciene Chamon

    Luciene Chamon Domingo, 02 de outubro de 2016, 15h43min

    Entendo que você tenha boa vontade, mas eu já passei por isso, não quis fazer DNA, por achar uma afronta o pai da minha filha pedir isso. Mas depois acabei fazendo para parar com as perseguições do pai e da avó dela.

  • 0
    Vanessa Ferreira

    Vanessa Ferreira Domingo, 18 de dezembro de 2016, 20h55min

    Isto é tudo muito bonito, mas sabem o que eu estar nove meses sem o pai dar sinais de vida? Sabem o que é uma mãe tentado estar bem para o bem do bebe e o pai andando por aí gozando a vida e ignorando se a mãe está bem? Pois é.... falando parece tudo fácil.... à coitado do cara que agora é que se lembrou que tinha uma filha?! Que andou fazendo ele até agora? Já pararam para refletir o que sentiu essa mãe sempre que olhou para a filha? Já pararam para pensar na revolta dela? Tipo: quem julga esse homem que é para chegar agora assim e exigir seja o que for? Mas pronto, este mundo é mesmo assim, tadinho do homem... se fosse ao contrário queria ver a vossa opinião e defesa à mulher.... aposto que na vossa boca já era uma incompetente e enfim nem digo mais... desculpem sou pelos direitos de igualdade, e pela justiça. Pois podem vir com muitas leis, mas a maior é a palavra de Deus. Ele sim nos entende e nos julga. E o ser humano antes de vir com autoridade, deviam fazer as coisas a bem, a conquistar.

  • 0
    Lay Oliver

    Lay Oliver Segunda, 26 de dezembro de 2016, 14h56min

    Curioso,todos tentando ajudar o pobre pai,e essa bruxa dessa mãe que não facilita a vida do pai....Ela sem dúvidas tem seus motivos,e se ela não o permite conviver e nem ajudar com nada,eles estão preocupados com o quê...vejo com frequencia familiares idolatrando o pai,quando está parte é da familia..mas ninguem vai lá saber se a criança teve arroz pra comer..de longe tudo é lindo mas só quem vive é que sabe..ela como mãe deve ter os motivos dela com certeza.

  • 0
    V

    Valeria Pereira Quinta, 15 de junho de 2017, 16h30min

    Juliane Caroline

    a mae nao quer que o suposto pai o registre
    caso ela ja tenha registrado a criança spzinha ele podr exigir dna ? se ela se negar ja que a crianca ta registrada no nome so dela. a meio da justiça obriga la??? dentro dessa situacao?

  • 0
    E

    [email protected] Sábado, 01 de julho de 2017, 9h52min

    Se o pai tem duvidas, o correto é fazer o exame. Entendo que nenhuma mulher gosta de fazer o dna quando a duvida parte do pai. Mas, o pai ñ é obrigado a conviver com a duvida e seus direitos devem ser respeitado.

  • 0
    S

    Silas Sábado, 03 de fevereiro de 2018, 9h14min

    Bom dia, tenha uma dúvida, tenho um enteado, e seu pai entrou na justiça no negatória de paternidade contra minha esposa, ela foi citada 3 tres vezes e não foi, e agora novamente está sendo citada COERCITIVAMENTE, ou seu seja, será levada por um oficial de justiça, chegando lá ela é obrigado colher o material para fazer o exame de DNA.