Amigos do fórum, estou com um problema há quase um ano, que parece ser de impossível resolução. Tenho aguentado gritos, pulos, correria, batidas no chão, móveis rangendo e sendo arrastados diariamente (inclusive antes das 7 da manhã), criança que fica jogando coisas no chão, do apartamento que fica em cima do meu. Venho fazendo reclamações à síndica, que só notifica os moradores, estes ignoram minhas reclamações e fazem, a cada dia que passa, mais barulho e mais cedo. Na minha última reclamação, a síndica me disse que, em razão das minhas constantes reclamações, pelas regras da Convenção de Condomínio, iria multá-los. Ocorre que, ao receberem notificação da multa, foram dizer à síndica que quem faz barulhos sou eu, que bato portas e janelas e que faço barulhos de martelo dentro do meu apartamento, e que isso está incomodando a criança. Seria cômico, se não fosse absurdo, depois de quase um ano de reclamações, que essas pessoas tenham a cara de pau (sim, porque para mim é muita cara de pau) em dizer que quem está fazendo barulho e incomodando sou eu. Detalhe mais engraçado ainda: não tenho martelo em casa. Inclusive, tenho uma pessoa com problema de saúde na família, idosa, que veio para a minha casa para ficar sob os meus cuidados e não pôde ficar, tamanha era a perturbação do apartamento de cima, o que também me trouxe vários transtornos. Queria saber se vocês têm alguma opinião sobre o assunto, sobre como eu deveria proceder, porque se eu estou reclamando há todo esse tempo e nem o condomínio tomou nenhuma providência, eu não vou aceitar que a síndica venha dizer que quem está fazendo barulho sou eu. O que vocês sugerem?

Respostas

61

  • 0
    M

    maspp- Rio de Janeiro Sexta, 22 de novembro de 2013, 21h55min

    Laura79

    Vá a Delegacia e faça um R.O (boletim de Ocorrência). Mas lembre-se que estarão frente a frente na justiça. Aí eles vou estipular um valor de multa para este vizinho barulhento, pode colocar um valor alto tipo acima de 1.000,00.
    Só assim que irão resolver a situação.
    Falo por ter passado por isso, e resolve o barulho de vez.


    Boa sorte

  • 0
    L

    Laura79 Sexta, 29 de novembro de 2013, 12h37min

    massp, agradeço tua contribuição, mas a situação tomou proporções maiores agora. A síndica me comunicou que não vai multar porque os barulhentos dizem que quem faz barulho sou eu, e que eles não vão assinar o AR da multa, portanto se eles não assinarem ela não pode multá-los. Também me disse que não se pode fazer reclamação de barulho que é feito durante o dia, e que ninguém aqui no prédio pode ser multado por causa disso. Nunca vi, na minha vida, um síndico dizer que uma Convenção de Condomínio - e pior, o próprio Código Civil e a CF - não tem validade e que ninguém pode ser multado por barulho excessivo e constante. Eu tenho algumas gravações, mas o barulho dos móveis sendo arrastados durante várias horas por dia fica difícil de gravar, mesmo com filmadora. Acho que a única solução será mesmo procurar um advogado que possa me representar e tomar as medidas legais cabíveis.

  • 1
    M

    maspp- Rio de Janeiro Quinta, 05 de dezembro de 2013, 0h44min

    Laura79

    Você pode ir as Pequenas Causas e lá questionar o que vem ocorrendo e pedir que seja feito o cumprimento da Lei anti social, pelo código civil.

    E que a síndica faça cumprir o que determina o Regulamento interno, que mesmo de dia tem um limite para se fazer barulho.

    Ou você espera a Assembléia e lá levante o assunto, e tente mudar o R.I colocando uma multa do Código Civil, lei anti-social, que vai de 1 até 10 vezes o valor da cota condominial.
    O povo só liga quando se mexe no bolso.

    Boa sorte

  • 0
    M

    maspp- Rio de Janeiro Quinta, 05 de dezembro de 2013, 0h54min

    laura79

    Engraçado, eu fiz um Boletim de Ocorrência aqui no RJ , e depois de 2 meses recebi uma convocação no Forum, e lá perante ao negociador foi decidido, que caso a moradora venha fazer novamente barulho ela irá pagar a multa estipulada por mim no valor de r$2.000,00. Ela e eu assinamos o acordo e apos tudo isso o barulho acabou. Eles sabem que caso venha fazer novamente o barulho, eu vou a delegacia e faço novamente o B.O e ela pagara a multa.

    È assim que se resolve, quando esta pessoas se acha no direito de invadir os direitos dos outros.

    Boa sorte

  • 2
    S

    slIA Segunda, 09 de dezembro de 2013, 11h40min

    tem que multar.... quando vc multa tudo se resolve... aqui no meu edificil tinha gente que ligava o som no ultimo volume as 3 da manha... uma insanidade né..pois é tem gente que faz isso... foi chamada atençao milhares de vezes porque osindico..medroso noa queria multar.. quando multou resolveu

  • 0
    F

    f-barbosa Segunda, 16 de dezembro de 2013, 8h32min

    Com muita luta, consegui financiar um imóvel. Depois de alguns dias morando
    nele, descobri que passo o mesmo problema que você, Laura.
    Processei o condomínio, pois nada fez contra os maradores no andar superior, o juiz leigo julgou improcedente o pedido de dano moral. Não desisti
    e recorri. Também já denunciei o vizinho na delegacia, e na audiência preliminar a "figura" faltou, próxima audiência:03/14.
    Quem trabalha, estuda, é atleta, todos nós podemos esperar esse tempo todo ?

  • 0
    M

    maspp- Rio de Janeiro Sexta, 27 de dezembro de 2013, 11h05min

    f-barbosa


    Infelizmente é assim, mas na hora tudo se resolve. Eu fiz e resolveu, a moradora esta pianinha, não liga mais a tv alta de madrugada, e acabou . Pois ela sabe se fizer barulho eu vou e faço novamente o B.O e ela irá pagar os 2.000,00 de multa. E quando mexe no bolso das pessoas doiiiiiii e muito.

    No Brasil infelizmente é assim, as pessoas só param quando mexe no bolso.

    Boa sorte

  • 0
    B

    bbarch Sexta, 03 de janeiro de 2014, 17h29min

    Estou vivendo um problema semelhante, porém um pouco mais absurdo, multa não fez pararem e agora após 1 ano no imóvel decidi que vou me mudar por conta dessa perturbação. Parece não existir outra alternativa.

    Meu topico: jus.com.br/forum/324568/cruz-de-sal-na-porta-ate-onde-o-sindico-pode-ajudar-em-problemas-com-vizinhos/

  • 0
    F

    f-barbosa Terça, 28 de janeiro de 2014, 22h41min

    Entendo bem a situação porque também a vivencio. Mas é muito difícil suportar, você ter que se mudar por causa de vizinho, prejudicar toda sua rotina. No meu caso, o imóvel é próprio, não se pode abrir mão do que
    se lutou tanto para conseguir por causa destes @#:?!!"*.
    Assim como eles vivem como querem, sem pensar em quem está em baixo ou dos lados, merecem a reação
    ou consequência por tirar o sossego dos outros.
    O problema é que a Justiça é muito lenta e nem sempre funciona. Mesmo assim, é importante que cada vez mais pessoas movam ação contra esse tipo de gente, talvez o poder judiciário se conscientize de que isso é coisa séria e que deve ser tratada com mais rigor.

  • 0
    M

    maspp- Rio de Janeiro Quarta, 05 de fevereiro de 2014, 12h16min

    bbarch,f-barbosa

    O correto neste caso é ter um síndico de pulso pois multar até que eles sintam no bolso. Hoje multa hoje 300, amanhã 400 e assim vai aumentando até que eles façam a mudança. Eu já multaria em valores altos pois assim ficaria mais fácil de se resolver. Com este tipo de situação ou respeita ou caia fora. Quem não sabe viver em comunidade tem que ficar só.

    Infelizmente é assim, eles só vê e sentem quando se mexe no bolso. E quando se leva para o judiciário, este tem que tomar medidas mais severas, pois se chegou a este ponto, significa que este tipo de gente tem que ter uma punição.

    Em frente ao Juiz a banda toca diferente, mas quando se esta correto não precisa ter medo. Com isso é mais fácil falar com o Juiz, explicar o que vem ocorrendo, e as medidas tomadas e que nem assim foram aceitas por este morador. Juiz que é justo toma as medidas cabíveis para sanar o problema de vez.
    Agora a gente ter que se mudar por causa de pessoas como estas, é demais. Infelizmente podemos chamar este tipo de gente, de pessoas mal amadas e de mal com a vida: dignos de dó, pena, são pessoas que nunca deveriam ter nascido para este mundo.

    Concordo quando se fala que mais pessoas deveriam dar entrada na justiça, pois assim Juízes tratariam esta questão com muito mais rigor.

    Boa sorte

  • 0
    L

    Laura79 Quinta, 27 de fevereiro de 2014, 15h43min

    maspp-

    Como você provou que eram eles que faziam os barulhos? Aqui está a cada dia pior, e eu trabalho em casa. O dia todo a empregada fica gritando e derrubando coisas no chão, barulho pior do que se estivessem fazendo mudança todos os dias. É horrível, mas não posso levar à juízo sem comprovar, e não consigo gravar, com o celular não fica nítido. Estou desesperada!

  • 0
    M

    maspp- Rio de Janeiro Sexta, 28 de fevereiro de 2014, 22h16min

    Laura79

    Tente gravar com um gravador , ou com uma filmadora assim você consegui um som melhor. Eu gravei com uma filmadora e só que não precisei passar o filme, pois a moradora viu que realmente eu tinha gravado e aceitou o valor da multa.

    Eu sou muito abusada, eu iria na hora da bagunça na porta do apto dela e gravava o barulho todo.
    Sua síndica é muito devagar, ela tem que ter mais pulso, e colocar ordem no pedaço. Conversando e explicando o que vem ocorrendo e caso receba novamente outra reclamação do apto , haverá consequência de multa. E caso ela reclame ou vá para justiça contra o condomínio. Assim o caso mudará, pois quero ver ela questionar sobre a multa.

    Agora todos serão chamados na justiça. Com isso vocês poderão resolver de uma vez por todas.

    Boa sorte

  • 1
    A

    Adalberto Steplovick Sábado, 01 de março de 2014, 10h14min

    Olha eu vou te falar com toda sinceridade: Apartamento, apesar de não parecer pelo acabamento externo é uma espécie de favela de alvenaria com porteiro tomando conta da vida dos moradores...essa é que a grande verdade.
    E Eu te digo uma outra coisa por experiência própria: Tu não se livra desse tipo de dor de cabeça nunca mais...Quando as reclamações e, as implicações começam, só pioram e só acabam quando um dos moradores se mudam ou morrem!

  • 1
    F

    f-barbosa Segunda, 10 de março de 2014, 7h58min

    Para Adalberto Steplovick e maspp.
    Concordo com o camarada sobre o conceito de favela de alvenaria e sobre
    as consequências desses problemas em nossos dias. Se hoje pudesse, moraria numa casa independente, pois casas de vila têm problemas semelhantes. A questão é que as independentes estão entrando "em extinção", por isso, cada vez mais caras, ao passo que costroem prédios por todos os lados.
    Moro na baixada fluminense, RJ, e antes se viam muitas casas com quintal e muros e os preços não eram tão absurdos. Agora,vejo que a tendência é diminuírem as habitações individuais, dando lugar às coletivas, infelizmente.
    Mudei-me há menos de um ano,casa independente está caríssimo, o apartamento é próprio, não vou levar a pior por causa de vizinho, espero pela justiça de Deus, infalível.No fim, também concordo com "maspp", sobre seu comentário em 28/02/14.
    Já recorri ao JECRIM, ação em curso, agora vou ao JEC, pois espero que doa muito no bolso dessa família de vermes, estou cercando de todos os lados.
    Obrigado pela atenção de todos os colegas.

  • 0
    M

    maspp- Rio de Janeiro Quarta, 23 de abril de 2014, 17h58min

    f-barbosa

    Não fique triste, a população é toda igual. Moro na Barra da Tijuca e nem por isso se diz os melhores, pois eu tive que entrar na justiça para conseguir um sossego dentro do meu apartamento.

    Mostrei a eles que a banda toca diferente. Sou Síndica num prédio na Tijuca, lá sou severa, e multa sem dó e pena.

    Vivemos em uma comunidade, se não houver um respeito mútuo estamos fritos. Acho que todos tem o Direito a tudo, mas desde que cada um respeite o limite de cada um.

    Boa sorte

  • 0
    A

    Alessandra P. Rocha Domingo, 20 de julho de 2014, 1h59min

    Prezados,
    Eu e meu marido estamos vivendo o mesmo problema que a Laura há mais de 2 anos. Já registramos algumas vezes os barulhos excessivos e até de madrugada dos vizinhos de cima (portas batendo o tempo todo, gritaria, coisas caindo de madrugada, salto alto, campainha sem parar), que não estão nem aí e inclusive também já disseram que nós é que fazemos barulho (pelo visto esses desrespeitosos têm os mesmos argumentos para tentar se fazer de vítimas). Como a situação se tornou impraticável, recorri ao novo síndico para que ele começasse a aplicar multa e soube essa semana pela Administração do condomínio que esse síndico não se envolve nas questões dos moradores (fiquei sem entender nada!). Os anteriores também nada fizeram. Poderia recorrer ao pessoal do conselho do condomínio? Vou tentar fazer com que o ronda noturno testemunhe e escreva no livro de ocorrências. Isso bastaria para o síndico ser obrigado a aplicar multa, mesmo sem querer se envolver (ele é amigo dos barulhentos)? Também gostaria de gravar, mas serve usando somente o celular? No quarto não tem TV e não tenho máquina de filmar. Mas posso pedir emprestada, se for para uma melhor prova. Sobre a questão do 190, o policial viria até minha casa ou seria pelo telefone mesmo o relato? Quais seriam os próximos passos após registro no livro de ocorrências? Obrigada

  • 1
    M

    maspp- Rio de Janeiro Sábado, 26 de julho de 2014, 8h16min

    Alessandra P. Rocha,

    A melhor maneira é primeiramente registrar no Livro de Ocorrências que deve ficar na portaria de seu prédio. Caso não tomem nenhuma posição, aí sim, parta para outra fase, grave os barulhos e faça um Registro de Ocorrências, na delegacia mais próxima. Como relato acima, é uma situação que não tem volta, pois é uma inimizade que vc arruma no prédio, mas não tem como pois as pessoas fazem o que quer, mas na hora de resolver da melhor maneira não querem.

    Eu resolvi meu problema, mas arrumei um inimigo constante no prédio. Mas como eu e minha família não gostamos mesmo de ficar batendo papo em porta de apartamento, não temos tempo para isso, trabalhamos e quando chegamos estamos tão cansados, que queremos apenas descansar. E se não temos este direito estamos fritos. Por isso acho que temos sim o Direito deste descanso.

    O registro tem que ser feito na Delegacia, não acho que deveria chamar a Polícia no prédio.Agora após fazer este Registro, vc será chamado na Justiça perante o morador acima, e tentaram da melhor maneira resolver a questão. Faça com calma cada passo.Demora um pouco, mas se resolve.

    Estou com uma vizinha do prédio dos fundos, com um carro que dispara seu alarme de Dia, Tarde, Noite e de Madrugada disparando. Só que não é disparou e eles desliga, não o alarme fica mais de 10 minutos disparado. Mandei uma carta a síndica do prédio, mas pelo relato do porteiro, que a dona do carro é grossa e não aceita reclamação. Escrevi na carta : caso não tomem nenhuma posição vou dar entrada na Justiça para resolver o problema. Dei um prazo de 20 dias e nada foi feito, agora irei a Delegacia e vou fazer o Registro e pagar para ver o que vai dar.

    Infelizmente as pessoas só resolvem, quando se parte para a área da justiça.

    Boa sorte

  • 0
    C

    Carina24 Quinta, 28 de agosto de 2014, 3h15min

    Olá! Espero que leia a minha mensagem e possa responder. Estou passando o maior inferno da minha vida, barulhos excessivos dos meus vizinhos de cima da hora que acorda até a hora que vão dormir, ou seja das 5 hs da manhã a até 1 h da manhã e quando alguém se levanta para ir ao banheiro aonda posso ouvi, então, é o dia todo móveis sendo arrastados, coisas sendo batidas e derrubadas no chão, já conversei com a vizinha que diz não ser ela, mas além de sentir o barulho na minha cabeça tudo começou no dia que ela se mudou e está até hoje. Enfin, gostaria de saber pra eu tomar uma atitude igual a sua de denunciar eu preciso tr gravações? O que é necessário? Eu fiz gravações mas drntro do meu apartamento, isso provaria? Como o maior barulho é no quarto do fundo não sei se capitaria barulho indo na porta dela. Enfim, muito obrigada!!!

  • 0
    R

    Rockfeller Sábado, 06 de setembro de 2014, 10h28min

    Também tenho os mesmo problemas relatados.
    O que custa, o vizinho de cima, colocar ADESIVO de FELTRO nas pernas das cadeiras e mesas.
    É inacreditável a quantidade de ARRASTÕES sequenciais e constantes, que parecem que não param.

    Quando comecei a morar em Aptº, percebi os problemas estruturais:

    - A Construção não tem um Isolamento acústico 100%, Nossos aptº tem 0% de acústica.
    - Pelas paredes é possível Ouvir "Acreditem" as conversas, não tão nítidas, mas dá. Tanto as conversas de cima, quanto de baixo.
    - Os arrastos, tanto podem vir de cima, quanto de baixo.
    - Moradores de cima, como PISADA de CAVALO.
    - Sexo/Gemido/Orgasmo

    Quando perguntam onde eu moro, eu digo: "Moro em uma Favela Predial".
    Fiquei até surpreso quando li o Comentário de:
    Adalberto Steplovick chamando de: "Favela de Alvenaria".

    Meus colegas de problema, a dica que dou para aqueles que pretendem comprar um Apartamento na Planta Hoje em dia é:

    Separe o Dinheiro do Isolamento acústico e faça no AP um "BUNKER".
    Se tiver uns 300 mil na conta. Compre um de 150/200 e o restante invista em SOSSEGO.

    Esse é meu primeiro AP, mas se depender de mim, vai ser o ultimo. Se não for, vou investir em ISOLAMENTO.

  • 0
    D

    Dani Quinta, 09 de outubro de 2014, 16h59min

    Gente, eu estou vivendo um problema desses também, e depois de muitas notificações, a mãe do rapaz que mora praticamente sozinho , escreveu uma carta para o síndico revertendo a situação, dizendo que meu esposo está importunando a família dela. Uma grande e sem graça PIADA.

    Acho que vou recorrer ao B.O