Michel Temer trabalhará contra a eliminação do exame de ordem para o exercício da advocacia, no momento em que tramitam no Congresso Nacional projetos de lei que visam a acabar com a exigência.

“Eu trabalharei contra essa história de eliminar o Exame da Ordem. Não tenham a menor dúvida disso. Eu acho que é uma coisa importante para a categoria e importante para o País”. A afirmação é do vice-presidente da República, Michel Temer, durante a palestra proferida na reunião-almoço do Instituto dos Advogados de São Paulo (IASP) na última sexta-feira (19), em São Paulo. “Quando disse bem o José Horácio [presidente do IASP] que o advogado é indispensável à administração da Justiça, é porque, aqui, mais uma trivialidade: sem a presença do advogado não há como distribuir Justiça no nosso país. Então, é uma regra muito adequada e que depende de pessoas qualificadas, habilitadas a promover a administração da Justiça no nosso país”, completou.

O discurso de Temer acontece justamente no momento em que tramitam no Congresso Nacional projetos de lei que visam a acabar com a exigência do Exame da Ordem para o exercício da advocacia. Os cerca de 300 participantes do evento aplaudiram a manifestação do vice-presidente. Além da própria OAB, o IASP se mobiliza contra o fim do exame.

De acordo com o presidente do IASP, José Horácio Halfeld Rezende Ribeiro, “a advocacia está sendo ameaçada pela extinção do Exame de Ordem”. Ele considera um absurdo o número de cursos jurídicos autorizados que despejam bacharéis na sociedade. “A maciça maioria não consegue a aprovação no Exame, que é a garantia mínima para o início de uma profissão cujo relevo social decorre, não somente da estatura constitucional, mas, especialmente, da capacidade de transformar a vida do cidadão”.



Informações sobre o texto

Este texto foi publicado diretamente pelo autor. Sua divulgação não depende de prévia aprovação pelo conselho editorial do site. Quando selecionados, os textos são divulgados na Revista Jus Navigandi.

Comentários

0

Livraria