Respostas

14

  • Zenaide

    Prezada Nilda

    Aconselho a propor uma ação de "separação de corpus", mesmo que a pessoa já tenha abandonado o lar. Com ela garante-se direitos. Os procedimentos são urgentes e a ação é rápida.
    Procure um advogado para mais orientações. Caso não possa pagar, informe-se sobre os da assistência judiciária no forum, ou nas faculdades de direito.
    Boa sorte

  • Zenaide

    Prezada Nilda

    O Dr. Gentil foi bem claro nos direitos a que vc tem e os que perde.
    Outra possilidade que acho, é a de o marido propor uma ação de busca e apreensão dos filhos, alegando fatos contra você; ou ação de separação imputando-lhe determinadas condutas. Na verdade, há um leque de possibilidades.

    Se você já está mais calma, e acredita que há chances de vida em comum, retorne a casa, de forma a assegurar mais direitos para si e seus filhos, e quem sabe resolvam o problema de forma amigável.
    Boa sorte

  • Gentil Pimenta Neto


    O abandono do lar por um dos cônjuges reflete apenas no direito que surge ao outro de ingressar com uma cautelar de afastamento do lar caracterizando a impossibilidade da convivência entre os cônjuges, e, por conseguinte o direito ao pedido de separação judicial, se casados. Se apenas viviam uma união estável, quem fica poderá pedir o reconhecimento e a imediata dissolução da união dos cônjuges.
    Com isso, se for a mulher que abandone o lar, dificilmente conseguirá pensão para si, mas tão somente alimentos para os filhos. Por outro lado, o cônjuge que permanecer no domicílio do casal, se próprio e com filhos, lhe dará o direito de nele continuar residindo até a maioridade dos menores.
    Mas atenção, porque segundo o novo CÓDIGO CIVIL o abandono só se caracteriza após 01 ano.
    Art. 1.573. Podem caracterizar a impossibilidade da comunhão de vida a ocorrência de algum dos seguintes motivos:
    IV - abandono voluntário do lar conjugal, durante um ano contínuo;

    GENTIL

  • Gleison Maia

    Gostaria de saber algumas questões, minha companheira na qual vivemos por 17 anos deixou o lar no dia 05/10/08, e levou 01 de nossas filhas, e posteriormente deixando novamente em casa comigo. Agora ela estar dizento qu vai procurar os seus direitos, não temos casa própria, foi contruida nos fundos da casa de minha mãe ( terreno), temos um carro financiado em meu nome e quem usa é ela, todas as despezas com alimentação, saúde, estudos de minhas filhas (02) duas, são por minha conta. Quero vender o carro e dividir com ela, quais são os direito dela e os meus? Preciso fazer um boletin de ocorrência?

    Gleison Maia

  • roni silva

    olá gostaria q alguém me ajudasse

    sou casado no civil e religioso, com comunhao parcial de bens, convivi com a minha esposa por 2 anos e 2 meses, nesse período tinha um cargo eletivo, que hj nao tenho mais. enquanto casado terminei de pagar um carro e iniciei a construção de uma casa, mas para isso tomei um empréstimo em um determinado banco ( em 32 vezes)minha esposa saiu de casa ( na quinta parcela do empréstimo) e me disse q essa nao era a vida q ela queria. me pediu e eu fui levá-la na casa da mae. ( isso ha 1 ano e 8 meses atras). já resolvemos a pensao alimenticia via justiça pois temos uma filha de 3 anos. quando falei em separação, ela disse que teria direito a metade do carro e metade da casa ( em construção, sem escritura). únicos bens que possuo.
    detalhe: uma semana depois que ela saiu de casa, como ela tinha ainda as chaves, levou boa parte dos móveis, inclusive albuns de casamento e da filha.
    pergunto:
    1- o fato dela ter saido de casa sem ter havido discussao nenhuma, nem brigas ( nunca descutimos) configura abandono de lar??
    2- se sim, o q devo fazer já q nao fiz o B.O e isso já vai completar 2 anos??
    3- se configurar abandono de lar, quais sao os direitos dela em relação aos bens?
    4 se nao configurar abandono de lar, quais sao os direitos dela?? bens móveis (carro) entram na partilha??
    desde já agradeço a colaboração.

  • Marcos Tadeu

    Minha mulher saiu de casa a tres dias, como posso proceder para caracterizar um abandono de lar para futuras ações e guarda da criança? Fazer um boletim de ocorrência?

  • anderson leite lima

    Abandono de lar...caracterizá-lo somente após 1 ano, segundo luz do CC.
    Entretanto sugiro que entrem em acordo para não criar trauma para seus filhos.
    Lembrem-se, casamento acaba mas a relação entre pais deve ser saudável e responsável.
    Aconselho a procurar um entendimento pacífico, qualquer medida tomada com resentimentos assolará em consequencias graves em um futuro próximo.
    Laços familiares não se destroem com o fim do matrimonio....pensem.

    Abraços sinceros e esfriem a cabeça.

  • Marcos Tadeu

    Neste caso que minha esposa foi para a casa de sua mãe há tres dias, como não posso ainda caracterizar como abandono de lar, as coisa de casa como móveis etc, ela terá direito ou não?