Artigo sobre processo eletrônico

Muito se fala em processo eletrônico, alguns amam, outros odeiam.

Se diz que piorou a advocacia, para outros foi uma solução divina e todos concordam em sua sina: Não há como voltar atrás, não há como fugir desta nova rotina.

Alguns pensam que o processo é ruim por que é eletrônico, afinal no papel este profissional fez a sua vida.

Para outros, o eletrônico é bem-vindo e o papel já vai tarde, terminar a sua senda.

E novamente todos esquecem da realidade batida: O eletrônico é apenas o meio de se comunicar com o judiciário e não a própria advocacia.

Mudaram os meios e não os fins.

Mudaram os meios e não o escopo.

Mudaram os meios e não a vida.

Mudaram os meios, ora bolas, chega de reabrir esta ferida.

Vamos buscar treinamentos, conhecimento e aprender mais e mais das novidades da nossa profissão.

Somente fica parado no tempo aquele que já desistiu da ação.

Vamos criticar e dizer das mazelas do processo eletrônico, por que não?

Agora, apenas maldizer por maldizer, isto não cabe não.

Se ele a ti prejudica, com a OAB deve se comunicar, pois quem não se comunica, se trumbica.

E a OAB é uma entidade e não uma advinha. Vejo pela nossa comissão da OABRS de processo eletrônico esta verdade: Muita das reclamações recebidas já viraram mudança aos advogados, barbaridade.

É óbvio, ululante, diáfano e cristalino que há muito a melhorar, que existe ainda um longo caminho a se aprimorar. E não será amaldiçoando ou reclamando pelos cantos ou ainda apenas xingando que as coisas vão mudar.

Cada um deve fazer o seu papel e tentar se aprimorar, tendo a OAB como apoio, é verdade para a coisa mudar.

E quer crescer mais e mais nesta nova verdade da advocacia?

Aprenda que é através da gestão e da tecnologia que passa o mercado jurídico.

Aprenda que gestão existe primeiro, tecnologia em segundo e em zero, antes de tudo, são pessoas, treinamentos e conhecimento, sobretudo.

E nesta salada de frutas, estamos apenas com alguns ingredientes, pois sistemas, padronização e acessórios como certificação digital, java, firefox entre outros são necessários, para que o caldo seja doce e não amargo.

Ufa! Tanta informação e tanto a se fazer, o que realmente devo fazer?

Aceitar que é na mudança que está a mola mestra da vida e que sem feridas não existe a cura e a verdade da nossa existência. Somos resultados de quedas, feridas e muito aprendizado. E o processo eletrônico não é diferente: Somente cresceremos com ele após cicatrizarmos.

#Ficaareflexão


Autor


Informações sobre o texto

Este texto foi publicado diretamente pelo autor. Sua divulgação não depende de prévia aprovação pelo conselho editorial do site. Quando selecionados, os textos são divulgados na Revista Jus Navigandi.

Comentários

0

Livraria