estratégias

Uma das questões mais comuns hoje em dia é o uso das palavras bonitas que significam tudo e ao mesmo tempo nada dizem.

Recurso amplamente usado por políticos e outras categorias, diga-se de passagem.

Para não incorrer neste erro, vamos pensar numa definição.

Segundo a Wikipédia:

Estratégia, segundo Mintzberg, trata-se da forma de pensar no futuro, integrada no processo decisório, com base em um procedimento formalizado e articulador de resultados.

A palavra vem do grego antigo stratègós (de stratos, “exército”, e ago, “liderança” ou “comando” tendo significado inicialmente “a arte do general”) e designava o comandante militar, à época de democracia ateniense. O idioma grego apresenta diversas variações, como strategicós, ou próprio do general chefe; stratégema, ou estratagema, ardil de guerra; stratiá, ou expedição militar; stráutema, ou exército em campanha; stratégion, ou tenda do general, dentre outras.

Pincelando palavras chaves:

Pensar no futuro!

Integrados ao processo decisório!

Procedimento formalizado!

Articulador de resultados!

Do grego: Liderança do exército!

Você já pensou no seu departamento sob a ótica destas palavras?

Quer dizer:

Você pensa no futuro? Como está fazendo para mudar o futuro ou construir um futuro melhor?

Suas decisões estão alinhadas a direção da empresa? Como é visto o seu departamento jurídico na empresa?

Você tem documentado as atividades, funções, gestão e tecnologia do departamento? A tecnologia é útil para demonstrar resultados?

Você é visto como um órgão de consulta para decisões da empresa ou apenas é chamado ao conselho para dar pareceres jurídicos ou de resultados de processos judiciais?

E internamente na equipe, você é lider ou chefe? Cada um do departamento sabe seu papel, suas atividades e importância para a empresa e para os terceirizados?

Ufa!

Não é fácil ser estratégico… E mais, estas palavras chaves são apenas o início. Precisamos aprofundar tecnologia, gestão interna e externa (terceirizados), indicadores e conhecimento profundo do negócio, além das políticas internas e de mercado…

Seu departamento é realmente estratégico?

E você, diante de toda esta análise é estratégico?

A decisão está em suas mãos. Escolha a mudança e o crescimento, escolha ser estratégico, sempre.


Autor


Informações sobre o texto

Este texto foi publicado diretamente pelo autor. Sua divulgação não depende de prévia aprovação pelo conselho editorial do site. Quando selecionados, os textos são divulgados na Revista Jus Navigandi.

Comentários

0

Livraria