A derrota de Aécio reflete o cansaço do individualismo Neoliberal.

O PT é um partido de massa que, diferentemente dos tucanos, tem criado projetos sociais destinados à população carente. É claro que nós, classes média e alta, egoístas e individualistas, vemos tal iniciativa com ironia e deboche.

Esta revolta, este repúdio a tais projetos, não faz parte da democracia no seu sentido original, mas de uma política neoliberal, construída e reconstruída pelos tucanos, que incutiu em nós o sentimento de “ter” em detrimento da própria coletividade. Somos individualistas por concepção e formação. Políticas sociais, direcionadas à coletividade, são, no nosso sentir, desnecessárias, eleitoreiras e amamentam a pobreza ociosa.

Aécio Neves foi o melhor visual que o PSDB encontrou para derrubar Dilma e o PT. Descendente de Tancredo, altivo e eloquente, cínico e irônico, aparência de homem bem sucedido e rico, Aécio era um marketing mágico que depunha contra a imagem ultrassocial criada pelo Partido dos Trabalhadores.

Imaginem que o eleitor via em Neves justamente o avesso da pobreza e da marginalização: um “playboy da política” não apoiaria a pobreza nordestina, tão pouco manteria o bolsa família e outros projetos sociais. Aécio é a figura do individualismo em sua máxima expressão.

O golpe quase deu certo. Notem que Aécio é tão metido em escândalos políticos que sequer venceu a eleição em seu curral eleitoral (Minas Gerais). Mas se o PT é corrupto e Aécio também é, porque só acredito na corrupção petista e voto nos tucanos? Porque a corrupção do tucano vencido é elitista, elegante, quase imperceptível. Talvez um meio Malufismo: “Rouba, mas faz por nós, classes média e alta”. Dilma, em sentido diametralmente oposto, não tem carisma para a elite, se roubar, vai ser uma espécie de Robin Hood.

Acabo de ler em rede social uma frase atribuída à finada Margareth Thatcher, uma das mentoras do neoliberalismo moderno: “Para cada pessoa que recebe algo sem trabalhar há uma pessoa que trabalha sem receber”. É insensata a crítica aos projetos petista. Nítida é a conotação individualista e egoísta da frase. Esquecem - se que as desigualdades sociais contribuem para esta forma de divisão das riquezas. Afinal de contas, só se tem bolsa família para alcançar a pobreza que proporciona nossos elevados salários. Erradicar a miséria é autorizar a igualdade social e se isso acontecer não teremos pronatec ou bolsa família, mas também não gozaremos do status social que hoje alcançamos.

O resultado da eleição foi democrático, pois atendeu às necessidades daquela parcela da população que, as duras custas, nos incluem nas classes média ou alta. Não reclamem, portanto. 


Autor


Informações sobre o texto

Este texto foi publicado diretamente pelo autor. Sua divulgação não depende de prévia aprovação pelo conselho editorial do site. Quando selecionados, os textos são divulgados na Revista Jus Navigandi.

Comentários

2

  • 0

    Luis Carlos Valente

    A despeito de politicas sociais criadas nesses 12 (doze) anos em que o PT domina o cenário político nacional, percebe-se que, na realidade, tais medidas ditas "populistas" ou "assistencialista" não tiveram o condão de erradicar a pobreza e elevar as condições financeiras dos brasileiros. Tratou-se, certamente, de um mecanismo sofisticado para perpetuar a miséria entre as classes mais pobres, as quais ficaram reféns de um governo tirano e desarrazoado, a fim de que elas sejam utilizadas em prol dos "grandiosos" projetos nefastos do PT. Ora, decerto que o assistencialismo, bem como as políticas intervencionistas do Estado são salutares no desenvolvimento social, todavia, não se pode deixar de salientar que, para que tal assertiva seja repleta de razão, essa atuação deve se pautar no escopo real de elidir a miséria da classe mais pobre, a fim de que ela se desenvolva e, per si, não dependa mais de qualquer assistência, tornando-se esse auxílio necessário, apenas, a outras pessoas que, realmente, dependam dele. Com efeito, o que se percebe no atual cenário político-econômico do país ? Não houve qualquer medida plena nesse sentido, o atual governo não quer a erradicação da miséria, bem como não utiliza a intervenção estatal em prol da infirmação da pobreza, pois, se realmente fizesse isso, as pessoas não mais dependeriam do Estado e, prontamente, abririam possibilidades a outros governantes administrarem o pais, já que, nesse aspecto, o PT demonstrou ser uma grande catástrofe. Por derradeiro, a grosso modo, saliento que o PT conseguiu fazer algo que ninguém na história desse país conseguiu alcançar...."agir sem de fato atuar", "promoveu o assistencialismo, porém, sem ter intenção de findá-lo", "promoveu mecanismo para, mentirosamente, elidir a miséria, sem, no entanto, ter intenção de extingui-la".

  • 0

    jairo abrão de almeida

    Penso que o Brasil é o País com futuro promissor.,mas,tenhamos em mente que o seu caminhar deve ser repensado ! Pelo que nos mostra a mídia como um todo.não caminhamos para o sucesso,caminhamos,sim,para a recessão e para
    a total inversão dos valores ! Vale dizer que é o preço que se paga por viver em coletividade..Por falta de raciocínio,,do pensar (puro e simples),há conduções mal feitas....Eu diria até que as escolhas dos administradores,infelizes,são feitas com base em propagandas enganosas ! Já salientei em várias oportunidades que não acredito em urna eletrônica,pelo simples fato da vulnerabilidade.Vale dizer que em várias oportunidades tive notícias de eleitores que votaram em A e,num flash,apareceu outro candidato, e,logo em seguida,a confirmação ! Vai saber quem é quem, e outra,vou reclamar com quem ? Então,para não ter dúvidas quanto à direção do voto,estou no firme movimento da sua comprovação através de mecanismos próprios a ser promovido pelo TSE(luta contínua) ! Não dou a mínima nota para o atual sistema.Ele é voraz e não dá margem à recontagem e o VOTO,caros amigos, É COISA SÉRIA....É UMA PROCURAÇÃO EM BRANCO que se outorga aos dirigentes politicos,com,ou sem escrupulos ! Enfim,não estou satisfeito com os resultados das urnas e,sinceramente, gostaria que as coisas tivessem outras coordenadas !

Livraria