Deserdação é o ato unilateral pelo qual o testador exclui da sucessão herdeiros necessários, tipificando nos permissivos legais a sua vontade. Atingindo tão somente aquele que praticou ato reprovável.

CONCEITO

É o ato de manifestação da vontade do autor da herança que exclui da sucessão um herdeiro necessário, tipificando nos permissivos legais a sua vontade.

Para excluir da sucessão os parentes colaterais não é preciso deserdá-los, basta que o testador disponha do seu patrimônio sem os contemplar.  (CC. Art. 1850).

Os herdeiros necessários é o que tem à legitima correspondente à metade da herança, “os descendentes, os ascendentes e o cônjuge”.   

DISTINÇÃO ENTRE DESERDAÇÃO E INDIGNIDADE

A deserdação é uma manifestação de vontade exigida, muito embora também deva ser regida conforme os moldes legais. No entanto, a deserdação, segundo a Lei, só pode atingir os herdeiros necessários.

Já a indignidade é uma manifestação de vontade não exigida, pois deve ser segundo os moldes da lei e, as pessoas que podem ser indignas são os herdeiros testamentários, legítimos e legatários.

Para se deserdar alguém, além da vontade, deverá ser proposta uma Ação Declaratória de Deserdação.

Ainda, para se declarar a deserdação, é necessário que o filho tenha praticado os mesmos atos característicos da indignidade (crimes contra a vida, honra e liberdade) e também as causas que foram criadas específicas para a deserdação. Mas, essas causas próprias e específicas serão válidas apenas para ascendentes e descendentes.

A vontade da deserdação deverá estar única e exclusivamente expressa em testamento.

CAUSAS DE DESERDAÇÃO

Causas de deserdação para descendentes (pai deserdando filho). Art. 1.962:

I- Ofensa física;

II- Injúria grave;

III- Relações ilícitas com madrasta ou padrasto;

IV- Desamparo do ascendente em alienação mental ou grave enfermidade.

Causas de deserdação para ascendentes (filho deserdando pai). Art. 1.963:

I- Ofensa física;

II- Injúria grave;

III- Relações ilícitas com a mulher ou companheira do filho ou a do neto, ou com o marido ou companheiro da filha ou da neta;

IV- Desamparo do filho ou neto com deficiência mental ou (alienação mental ou grave enfermidade do filho ou neto)como no item anterior, grave enfermidade.

Causas de deserdação para cônjuge – somente a indignidade, ou seja, não possui causas próprias.

EFEITOS DE DESERDAÇÃO

O efeito de deserdação atingira somente o culpado, não podendo alcançar terceiros, estranhos à falta cometida. Portando será excluído da sucessão, como se morto fosse antes de sua abertura. Os sucessores do deserdado não serão excluídos da sucessão que receberão a herança em seu lugar. Só será excluído da sucessão aquele que deu a causa a indignidade

Portanto, os efeitos da deserdação são pessoais, não atinge os descendentes do herdeiro deserdado sucedem, como se ele morto fosse antes da abertura da sucessão. Mas o deserdado não terá direito ao usufruto ou à administração dos bens.

REFERÊNCIAS

GONÇALVES, Carlos Roberto. Direito Civil Brasileiro. 8ª Ed. São Paulo: Saraiva, 2014. Vol. 7.

DINIZ, Maria Helena. Curso de direito civil brasileiro. 19ª ed. São Paulo: Saraiva, 2005. vol. 6.    


Autor


Informações sobre o texto

Este texto foi publicado diretamente pela autora. Sua divulgação não depende de prévia aprovação pelo conselho editorial do site. Quando selecionados, os textos são divulgados na Revista Jus Navigandi.

Comentários

0

Livraria