O objetivo da avaliação usar degradação de impacto ambiental é considerar os impactos ambientais de qualquer atitude que possa causar uma destacável da qualidade do meio ambiente.Esta questão de avaliar o impacto vem sendo debatido desde sua origem.

RESUMO:O papel da indústria e do comércio, segundo Barbiere:A agenda 21 dedica ao comércio e à indústria, coclamando as empresas e suas entidades a reconhecer o manejo do meio ambiente como uma das suas mais altas prioridades e como fator determinante do desenvolvimento sustentável ,para o fortalecimento da indústria e do comércio com vistas ao desenvolvimento sustentável.A agenda 21 estabeleceu duas áreas programas a saber promoção de uma produção mais limpa e promoção da responsabilidade empresarial.O objetivo da primeira área-programa é o de aumentar a eficiência da utilizaçãode recursos, inclusive aumentando a reutilização e reciclagem de resíduos e reduzindo a quantidade de despejos de resíduos por unidade produzida,conforme já comentado.

Palavras-chaveSustentabilidade; empresas; responsabilidade .

Abstract: he role of industry and trade, in Barbiere: Agenda 21 is dedicated to commerce and industry, coclamando companies and its entities to recognize environmental management as one of its highest priorities and as a determinant of sustainable development, the strengthening of industry and commerce in order to sustentável.A development agenda 21 programs established two areas namely promotion of cleaner production and promoting accountability empresarial.O goal of the first area program is to increase the efficiency of resources utilizaçãode including increasing the reuse and recycling of waste and reducing the amount of waste dumps per unit produced, as already mentioned.

Words -chave:Sustentabilidade; companies; responsibility.

INTRODUÇÃO

A Agenda 21 recomenda que o comércio e a indústria, em colaboração com as instituições deensino e pesquisa,devem aumentar as tecnologias ambientalmente saudáveis e de sistemas de manejo ambiental, utilizando os conhecimentos autóctones,sempre que apropriados. E devem promover e assegurar o manejo responsável e ético de produtos e processos do ponto de vista da saúde, da segurança e do meio ambiente.

A Agenda 21 dedica ao comércio e a indústria conclamando as empresas e suas entidades a reconhecer o manejo do meio ambiente como uma das suas mais altas prioridades e como fator determinante do desenvolvimento sustentável para o fortalecimento da indústria e do comércio com vistas ao desenvolvimento sustentável.

Foram estabelecidos duas áreas-programas, a saber: promoção de uma produção mais limpa e promoção da responsabilidade empresarial.Oobjetivo da primeira área programa é o de aumentar a eficiência da utilização de recursos, inclusive aumentando a reutilização e reciclagem de resíduos e reduzindo a quantidade de despejos de resíduos por unidade produzida, conforme ja comentado.A Área-programa concernete à promoção da responsabilidade empresarial objetiva estimular o conceito de vigilância no manejo e utilização dos recursos por parte dos empresários e aumentar o número de empresários cujas empresas apóiem e implementem políticas de desenvolvimento sustentável

Programa de atuação responsável (Reponsable Care) da indústria química, que foi criado no canadá em meados da década dos 80 por empresas do setor químico, sendo adotado atualmente em cerca de 40 países, inclusive  no Brasil, onde sua promoção é feita pela Associação Brasileira da Indústria Química(ABIQUIM), que conta com a adesão de mais de uma centena de empresas brasileiras.Estes progrmas baseia-se em seis grandes pilares, a saber: princípios diretivos ;códigos de práticas gerenciais; comissões de lideranças executivas;conselhos comunitários consultivos;avaliação de progresso; e difusão na cadeia produtiva. 

Como se pode ver, se os princípios diretivos que constituem um código de conduta para as empresas adotarem em relação as suas atividades administrativas e operacionais, recomendam a adoção do gerenciamento ambiental e de tecnologias limpas de produto e de processo, conforme mencionado anteriormente.

Os princípios da Carta Empresarial para o desenvolvimento sustentável, também conhecida como Carta de Rotterdam,elaborada em 1990 pela Cãmara de Comércio Internacional (ICC), outra iniciativa empresarial de auto-regulamentação citada na Agenda. Cerca de 2.300 empresas de vários países ja aderiram à Carta da ICC,subscrevendo a seus termos e adotando os seus princípios que se enquadrem dentro da postura típica da prevenção da poluição.Essa Carta adota a abordagem da melhoria contínua, algo que vem se tornando bastante usualentre as empresas que desenvolvem programas de qualidade.

OBJET IVOS

O objetivo da primeira área-programa é o de aumentar a eficiência da utilização de recursos, inclusive aumentando a reutilização e reciclagem de resíduos e reduzindo a quantidade de despejos de resíduos por unidade produzida;Estimular o conceito de vigilância no manejo e utilização dos recursos por parte dos empresários e aumentar o número de empresários cujas empresas apóiem e implementem políticas de desenvolvimento sustentável.

DISCUSSÃO

Por que as empresas pouco valorizam o desenvolvimento sustentável,quando só iria trazer uma longa vida para a empresa e para todos os seres humanos?

Será que a burocracia em formalizar e executar projetos impede o desenvolvimento de um programa  sustentável nas empresas?

Ou será que o governo não incentiva e nem policia de forma eficaz a execução de projetos empresariais sustentáveis?

Os gastos para um projeto sustentável não corresponde aos resultados adquiridos?

Como essas iniciativas empresarias são de adesão voluntária, infere-se que a empresa que se compromete com elas pretenda ir além do que estabelece a legislaçao ambiental.Adiantar-se às exigências legais pode trazer vantegens a uma empresa como, por exemplo,facilitar o seu relacionamento com os órgãos ambientais governamentais, diferenciar-se de seus concorrentes etc.

A possibilidade de estabelecer uma relação de soma positiva entre as atividades empresariais e o meio ambiente é outra idéia que permeia essas iniciativas de auto-regulamentação do próprio setor privado.A empresa não deve se preocupar com o meio ambiente apenas para atender os requisitos legais a que está sujeita, mas também para alcançar objetivos econõmicos compatíveis com padrões sustentáveis de desenvolvimento. Em matéria de tecnologia, significa adotar uma postura que no mínimo objetive alcançar ganhos de produtividade através da prevenção da poluição.

Como princípios  diretivos da atuação responsável temos:

Assumir o gerenciamento ambiental como expressão de alta prioridade empresarial ,através de um processo de melhorias contínua em busca da excelência.

Promover em todos os níveis hierárquicos, o sensode responsabilidade individual com relação ao meio ambiente, segurança e saúde ocupaciona, bem como o senso de prevenção de todas as fontes de risco associados às operações, produtos e locais de trabalho.

Ouvir e responder às preocupações da comunidade sobre seus produtos e as suas operações.

Colaborar com órgãos governamentais e não governamentais na elaboração e aperfeiçoamento de legislação adequada à salva-guarda da comunidade, locais de trabalho e meio ambiente.

Promover a pesquisa e o desenvolvimento de novos processos e produtos ambientalmente compatíveis.

Avaliar previamente o impacto ambiental de novas atividades processos e produtos e monitorar os efeitos ambientais de suas operações.

Buscar continuamente a redução de resíduos,efluentes e emissões para o ambiente oriundos das suas operações.

Cooperar para a solução dos impactos negativos aomeio ambiente decorrentes da disposição de produtos ocorrida no passado.

Transmitir às autoridades , aos funcionários, aos clientes e à comunidade informações adequadas quanto aos riscos à saúde,à segurança e ao meio ambiente de seus produtos e operações e recomendar medidas de proteção e de emergência.

Orientar fornecedores, transportadores, distribuidores, consumidores e o público que transportem,armazenem, usem, reciclem e descartem os seus produtos com segurança.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Vimos neste estudo a importância de investigar este tema, pois o desenvolvimento sustentável econômico e social esteve sempre muito associada à água.Na indústria metalúrgica,em que a transformação dos minerais é feita a altas temperaturas, a água é usada para resfriar as máquinas. Nas indústrias de papel e de tecido, para lavar corantes tintas,na indústria da construção, para fazer concreto e argamassa.No fundo a água está presente em todo produto industrializado. A fabricação de um só computador consome mais de uma tonelada de água

Mas infelizmente aindahá indústrias irresponsáveis que ao lançar resíduos e materiais tóxicos nos rios, têm causado grandes danos,envenenamento do nosso ouroazul.Cuidar da água da qual dependemos:esta deve ser a regra,também para a indústria.

Executivos agem como se tivessem deescolher entre os benefícios basicamente sociais de criar produtos ou processos sustentáveis e o custo financeiro dessa decisão.Mas isso não é verdade.Há tempo que estudam iniciativas desustentabilidade.A sustentabilidade é um rico filão deinovações organizacionais e tecnológicas capazes degerar tanto receita como lucro.Uma empresa ambientalmente corretatem custos menores, pois acaba utilizando menosinsumos.Além disso,o pocesso gera receita adicional-graças a produtos melhores ou por permitir que a empresa crie novos negócios.Aliás,já que essas metas de inovação empresarial constatamos que hoje,empresas inteligentes estão tratando a sustentabilidade como nova fronteira de inovação.

A busca da sustentabilidade já começa a transformar o cenário competitivo, o que obrigará a empresa a encarar de outra maneira, tecnologias, processos e modelos de negócios.A chave do progresso,sobretudo em tempos de crise,é a inovação.Assim como certas empresas de internet sobrevivem ao colapso de 200 e vieram desafiar as líderes de mercado,empresas sustentáveis prometem subverter a ordem estabelecer ao fim da recessão.Ao tratar a sustentabilidade como meta desde já,essas pioneiras vão adquirir competências que rivais terão dificuldade para equiparar.Essa grande valia, pois a sustentabilidade sempre fará partee do desenvolvimento.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Meira Cartea,P.(2005).Eloxio da EducaciónAmbiental in Educação Ambiental no contexto da década das Nações Unidas da Educação para o Desenvolvimento Sustentável 2005-2014.Boletim das XIII da ASPEA:14-18.Lisboa,ASPEA. 

Centro de Estudos em Economia,Meio Ambiente e Agricultura

www.unb.br/face/eco/ceema/mestradodissertacoes.htm...

Avaliando um Programa de Educação Ambiental em uma Empresa do Siderúrgico:Características e Possibilidade desse Instrumento deGestão.

Andréa                                     Aguiar                                   Azevedo                        11/11/2013

Orientador:Prof.Jorge Madeira Nogueira - ECO/UnB

Sites aconselhados:

Eco-schools

Associação Bandeira Azul da Europa

Fundação para a Educação Ambiental Internacional

Projecto Jovens Repórteres para o Ambiente

Web sites:

Villanueva,J.(2001).La Ecoescuela:una fórmula para la Educación Ambiental

www.abae.pt

www.fee-international.org

www.eco-schools.org

S


Autor


Informações sobre o texto

A grande preocupação mundial é salvar o planeta.Como fazer isso? Os grandes empresários alegam que ao aderir ao ambientalismo cada vez mais perderá competitividade.Não surpreende que a luta para salvar o planeta tenha virado uma batalha campal entre governo e empresas , entre empresas e grupos de consumidores e às vezes, entre grupo de consumidores e governos.

Este texto foi publicado diretamente pela autora. Sua divulgação não depende de prévia aprovação pelo conselho editorial do site. Quando selecionados, os textos são divulgados na Revista Jus Navigandi.

Comentários

0

Livraria