Faz-se uma abordagem sobre a valorização do trabalho do advogado, através da demonstração da importância da cobrança de honorários relativos às consultas jurídicas, que, muitas vezes, são desmerecidas pelos clientes.

Infelizmente, estamos vivenciando uma realidade em que os advogados estão se tornando cada vez mais desanimados com a profissão. Muitas pessoas os procuram para conversarem, tirarem dúvidas, buscarem orientações de como procederem diante de algum problema ou situação. Os advogados, ao cobrarem as consultas pelo tempo dedicado a estas pessoas, muitas vezes são surpreendidos pela reação delas, que acham abusiva referida cobrança, recusam-se a fazer o pagamento da consulta e saem em busca de profissionais que fazem o mesmo sem cobrar nada pelo serviço. Diante disso, muitos advogados deixam de cobrar pela consulta. 

É importante registrar que, para exercer sua profissão, o advogado necessita se formar em Curso Superior de Direito, com duração de cinco anos e, ainda, ser aprovado no Exame da Ordem dos Advogados do Brasil, que está cada vez mais difícil. Também, necessita efetuar o pagamento de taxas referentes à sua inscrição na OAB, além de ter despesas com a instalação e estruturação de seu escritório, para garantir conforto e privacidade para seus clientes. Devido à grande competitividade do mercado e devido às constantes alterações em nossa legislação, o advogado precisa sempre estar estudando e se atualizando, precisa fazer um diferencial, visando sempre melhorar a prestação de seus serviços.

O advogado, que, assim como o médico, é um profissional liberal cujos serviços são essenciais, é indispensável à administração da justiça (artigo 2º do Estatuto da OAB e artigo 133 da Constituição Federal), sendo que seu trabalho está muito além do que ingressar com ações judiciais, comparecer em audiências, elaborar petições e requerimentos, despachar com o Juiz, acompanhar os processos etc. Ele representa o cidadão perante o Poder Judiciário na busca de uma resposta ou solução para algum problema ou situação.

O trabalho do advogado começa desde o primeiro contato com o cliente, desde a primeira conversa, porque, a partir dali, o cliente está sendo esclarecido sobre o que fazer para solucionar seu problema, e quais medidas serão necessárias para tanto. E é a partir da consulta que o cliente tem noção do que se fazer, se é ou não necessário contratar um profissional.

Assim, o trabalho do advogado, portanto, é de meios, ou seja, é através dele que o cidadão irá buscar uma resposta perante a Justiça, sobre algum problema ou situação. O tempo que ele se dedica ao cliente precisa ter valor e precisa ser cobrado, o que muitas vezes não é reconhecido, sendo que o pagamento da consulta ao advogado representa o mínimo de retribuição em relação ao muito que se dedicou durante vários anos e ao tempo dedicado ao atendimento do cliente. A consulta deve ser cobrada, evitando, por conseguinte, a desvalorização da profissão.


Autor


Informações sobre o texto

Este texto foi publicado diretamente pela autora. Sua divulgação não depende de prévia aprovação pelo conselho editorial do site. Quando selecionados, os textos são divulgados na Revista Jus Navigandi.

Comentários

0

Livraria