Quando iremos alcançar harmonia, quando teremos mais segurança nas relações do trabalho.

Relações do Trabalho – A Busca por Segurança e Harmonia.

Onde estão as dificuldades para que tenhamos boas e seguras relações de trabalho, quais são as ferramentas para que a harmonia prevaleça e as organizações consigam dar qualidade na relação entre empregadores e empregados ?

Em uma ampla e minuciosa análise que realizei, além de inúmeros depoimentos e entrevistas realizadas em salas de aula, em minhas palestras e consultorias realizadas nas empresas, percebo que as falhas, as lacunas na gestão, se apresentam desde o processo seletivo, a porta de entrada para essa nova fase, até o desligamento do funcionário.

Isto quer dizer que, cases de sucesso , ou modelo de uma gestão sem problemas e/ou lacunas, são exemplos raros, cito isso com propriedade porque casos de problemas e divergências, não são privilégios apenas de micro e pequenas empresas, são todas, inclusive de grandes organizações de renome e potências no cenário corporativo.

O negócio dos negócios, são as pessoas!

Vejamos o caso de grandes redes de supermercados, que possuem em suas prateleiras, os mesmos produtos que encontramos nos mercadinhos que ficam em nosso bairro ou perto da nossa residência, os produtos são os mesmos, de limpeza, enlatados, perecíveis, hortifrutigranjeiros, repito, os produtos são os mesmos, a atividade principal é a mesma, e qual o diferencia entre elas? nas pessoas… que cada umas destas organizações , possuem em seus quadros funcionais.

O sistema de promoção é deficiente, o tratamento de um empregador se altera , entre seus gerentes, percebo que grande parte ou a grande maioria dos líderes de hoje, não possuem formação ou perfil de liderança para comandar efetivamente suas equipes, e posteriormente, que é o esperado pela alta direção, é fato que não irá obter os resultados desejados, para isso o mecanismo , e neste ponto, afirmo que é a cultura da empresa, deve ser “mexida” deve se alterar uma ou outra forma de conduzir o negócio, mas para isso, terá por consequência que “desmantelar” outro mecanismo que irá por força dessa ação, “incomodar” um terceiro mecanismo, literalmente, é o caso de um automóvel, para que se conserte um mecanismo, o carro deve ficar “parado” na mecânica, porém o carro não pode ficar parado, pois o proprietário, ainda consegue se locomover com ele, o veículo é usado para o trabalho, não dá para parar o carro , assim posto, o que acontece, é o carro continuar por aí, mesmo com um dos mecanismos com defeito e com problemas, o final disso nós já sabemos, uma hora quebra tudo de vez;

Processos eficazes de mudança e estratégia, decisões claras, transparentes, análise dos elementos, desenvolvimento de lideranças e engajamento, devem ser a todo o momento, revistas pelas organizações, saber que a peça quebrada vai custar muito caro, diante do que pode ser um investimento em qualificação, esse é o verbo,qualificar, colocar o “dedo na ferida” é muitas e porque não dizer sempre será a melhor forma de limpar o ferimento e fundamental para que cicatrize da melhor forma possível, um choque de gestão e na prevenção, muitas vezes em uma cultura de correção, é a receita de sucesso, para o negócio.

As organizações de modo geral, e seus empregados, devem ter a clara consciência de que dois pontos, são fundamentais nessa história, para o empregador, custo é investimento, e o empregado, esse sim, deve dar o devido valor para a CTPS assinada, neste país, ser empregador não é tarefa fácil, para qualquer um, manter uma empresa em pleno funcionamento é uma batalha diária, um deve investir e o outro dar valor, esse é o modelo de casamento perfeito.

Peter F. Drucker, disse que; “ Onde quer que você veja um negócio de sucesso, pode acreditar que ali houve, um dia, uma decisão corajosa. “

A busca por uma gestão sem lacunas, é o sonho das organizações, o pote com ouro no final do arco Iris, assim como a paz mundial é a eterna busca da humanidade.

As organizações e as pessoas, precisam ter a vontade de crescer e especialmente, coragem pra mudar.



Informações sobre o texto

Este texto foi publicado diretamente pelo autor. Sua divulgação não depende de prévia aprovação pelo conselho editorial do site. Quando selecionados, os textos são divulgados na Revista Jus Navigandi.

Comentários

0

Livraria