As ferramentas operacionais e jurídicas na área pública são relevantes não só para a boa relação com as entidades, mas também para garantir a viabilidade técnica e econômica do contrato ao longo dos anos.

Para tanto a manutenção do equilíbrio econômico financeiro dos contratos públicos, destacam-se alguns pontos:

  • COBRANÇA DE FATURAS EM ATRASO

São comuns os atrasos no pagamento de serviços já prestados. Diante desta dificuldade, uma série de ações administrativas e judiciais são necessárias, contemplando ações em face do Ente Público e em face do servidor responsável pelo não emprego do recurso público designado para o pagamento da referida despesa.

Todo contrato público depende de uma dotação orçamentária prévia e específica, garantindo com isso, dentro das formalidades legais garantir o efetivo pagamento do objeto a ser licitado. Ou seja, toda contratação pública, em tese, tem garantida a verba para o respectivo pagamento.

É uma grave infração disciplinar quebrar a lógica desse sistema, sendo um mecanismo eficaz para o pagamento da fatura apontar a existência da irregularidade e as suas consequências em face também do servidor público responsável pela liberação de recursos – dentre outras iniciativas, sempre executadas com cortesia e precisão.

  • REEQUILÍBRIO ECONÔMICO FINANCEIRO DECORRENTE DE SITUAÇÃO DE FATO EXCEPCIONAL

Nem todo contrato é executado dentro das condições e expectativas inicialmente previstas no edital. Quanto há alterações das circunstâncias relevantes para a execução do contrato, é necessário estar atento para evitar ser incumbido de obrigações não previstas, por exemplo, a fim de garantir o equilíbrio contratual ao longo de sua execução.

  • QUESTIONAMENTO DE PENALIDADES POR DESCUMPRIMENTO CONTRATUAL

O contrato administrativo deve ser cumprido rigorosamente conforme previsto no Edital, com poucas possibilidades de alteração e somente com amparo em lei. Rotineiramente as empresas se deparam com severas penalidades, inclusive com a declaração de inidoneidade que pode impedir qualquer contratação com a Administração Pública. Por isso, merece especial atenção o acompanhamento preventivo para evitar punições durante a execução do contrato, tais como multas, suspensão de licitar, inidoneidade, improbidade administrativas, etc.

  • REAJUSTE PERIÓDICO ADEQUADO

O contrato administrativo deve ser cumprido rigorosamente conforme previsto no edital, que costuma prever as condições de reajuste periódico, conforme o caso. É imprescindível a atuação da assessoria jurídica para garantir o regular reajuste periódico, muitas vezes aplica aquém do devido pela Administração.

Tais segmentos merecem uma atenção dobrada pelo empreendedor, sob o risco de conduzir um negócio insustentável.

Para mais informações, fico à inteira disposição.


Autor

  • Adriana Motta

    Sócia-Coordenadora da Divisão de Licitações e Contratos Públicos, com mais de 10 anos de experiência na área de Direito Administrativo com ênfase em Licitações, Contratos Públicos, Carreiras e Concursos Públicos. Bacharel em Direito pela Universidade de Santa Cruz do Sul – RS Pós-graduada em Direito Público pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS Possui experiência no exterior com fluência em francês e italiano

    Textos publicados pela autora

    Fale com a autora


Informações sobre o texto

Este texto foi publicado diretamente pela autora. Sua divulgação não depende de prévia aprovação pelo conselho editorial do site. Quando selecionados, os textos são divulgados na Revista Jus Navigandi.

Comentários

0

Livraria