[1] SOWELL, Thomas. Ação afirmativa ao redor do mundo: um estudo empírico sobre cotas e grupos preferenciais. Tradução Joubert de Oliveira Brízida. 1ª ed., Ed. É Realizações. São Paulo, 2016.

[2] BRASIL. Supremo Tribunal Federal. ADPF 186/DF, Rel. Ricardo Lewandowski. Publ. DJe 20/10/2014.

[3] BRASIL. Supremo Tribunal Federal. ADPF 186/DF, Rel. Ricardo Lewandowski. Publ. DJe 20/10/2014.

[4] BRASIL. Supremo Tribunal Federal. ADPF 186/DF, Rel. Ricardo Lewandowski. Publ. DJe 20/10/2014.

[5] IANNI, Octávio. Raças e classes sociais no Brasil. 2ªed. Rio de Janeiro: Editora Civilização Brasileira S.A., 1972. 248 págs.

[6] BRASIL. Supremo Tribunal Federal. ADPF 186/DF, Rel. Ricardo Lewandowski. Publ. DJe 20/10/2014.

[7] FLEISCHACKER, Samuel. Uma breve história da justiça distributiva. Trad. Álvaro de Vita. Ed. Martins Fontes, São Paulo, 2006.

[8] GARGARELLA, Roberto. As teorias de justiça depois de Rawls: um breve manual de filosofia política. Tradução Alonso Reis Freire. Ed. Martins Fontes, São Paulo, 2008.

[9] SANDEL, Michael J. Justiça: o que é fazer a coisa certa. Trad. Heloísa Matias e Maria Alice Máximo. Ed. Civilização Brasileira, Rio de Janeiro, 2011.

[10] FREEDOM, Samuel. Rawls. Routledge Philosophers, New York, 2007.

[11] FREEDOM, Samuel. Rawls. Routledge Philosophers, New York, 2007.

[12] FREEDOM, Samuel. Rawls. Routledge Philosophers, New York, 2007.

[13] RAWLS, John. O liberalismo político. Trad. Álvaro de Vita Luís Carlos Borges. Ed. WMF Martins Fontes, São Paulo, 2011.

[14] RAWLS, John. Uma teoria de justiça. Trad. Almiro Piseta e Lenita M. R. Esteves, Ed. Martins Fontes, São Paulo, 1997, pág. 08.

[15] RAWLS, John. Uma teoria de justiça. Trad. Almiro Piseta e Lenita M. R. Esteves, Ed. Martins Fontes, São Paulo, 1997, pág. 144.

[16] RAWLS, John. Uma teoria de justiça. Trad. Almiro Piseta e Lenita M. R. Esteves, Ed. Martins Fontes, São Paulo, 1997, pág. 155.

[17] RAWLS, John. Uma teoria de justiça. Trad. Almiro Piseta e Lenita M. R. Esteves, Ed. Martins Fontes, São Paulo, 1997.

[18] RAWLS, John. Uma teoria de justiça. Trad. Almiro Piseta e Lenita M. R. Esteves, Ed. Martins Fontes, São Paulo, 1997, pág. 166.

[19] RAWLS, John. Uma teoria de justiça. Trad. Almiro Piseta e Lenita M. R. Esteves, Ed. Martins Fontes, São Paulo, 1997, pág. 183.

[20] RAWLS, John. Uma teoria de justiça. Trad. Almiro Piseta e Lenita M. R. Esteves, Ed. Martins Fontes, São Paulo, 1997, pág. 74.

[21] FREEDOM, Samuel. Rawls. Routledge Philosophers, New York, 2007.

[22] RAWLS, John. Uma teoria de justiça. Trad. Almiro Piseta e Lenita M. R. Esteves, Ed. Martins Fontes, São Paulo, 1997, pág. 76.

[23] RAWLS, John. Uma teoria de justiça. Trad. Almiro Piseta e Lenita M. R. Esteves, Ed. Martins Fontes, São Paulo, 1997, pág. 04.

[24] RAWLS, John. Uma teoria de justiça. Trad. Almiro Piseta e Lenita M. R. Esteves, Ed. Martins Fontes, São Paulo, 1997, pág. 78.

[25] RAWLS, John. O liberalismo político. Trad. Álvaro de Vita  Luís Carlos Borges. Ed. WMF Martins Fontes, São Paulo, 2011.

[26] Rawls apud BRASIL. Supremo Tribunal Federal. ADPF 186/DF, Rel. Min. Ricardo Lewandowski. Publ. DJe 20/10/2014.

[27] SANDEL, Michael J. Justiça: o que é fazer a coisa certa. Trad. Heloísa Matias e Maria Alice Máximo. Ed. Civilização Brasileira, Rio de Janeiro, 2011.

[28] FREEDOM, Samuel. Rawls. Routledge Philosophers, New York, 2007.

[29] CRUZ, Ricardo Álvaro de Souza. O direito à diferença: as ações afirmativas como mecanismo de inclusão social de mulheres, negros, homossexuais e pessoas portadoras de deficiência. Arraes Editores, 3ª ed., Belo Horizonte, 2009.



Informações sobre o texto

Este texto foi publicado diretamente pelo autor. Sua divulgação não depende de prévia aprovação pelo conselho editorial do site. Quando selecionados, os textos são divulgados na Revista Jus Navigandi.

Comentários

0

Livraria