Ao navegar, você aceita que o Jus use cookies e parcerias para personalizar conteúdo e anúncios. Política de Privacidade

Símbolo do Jus.com.brJus.com.br

Petição

Petição inicial de recurso de multa de trânsito

RECURSO de multa por Avançar o sinal vermelho do semáforo ou o de parada obrigatória

AO ILMO. SR. PRESIDENTE DA JUNTA ADMINISTRATIVA DE RECURSO DE INFRAÇÃO (JARI) DO DEPARTAMENTO ESTADUAL DE TRÂNSITO DO ESTADO DO CEARÁ – DETRAN/CE

Ref.: AIT nº. XXXXXXXX



 

FULANO, brasileiro, portador do RG: XXXXXX-SSP/XX, CNH: XXXXXXX (nº registro XXXXX), residente e domiciliado à (ENDEREÇO), cidade de XXXX/CE, PROPRIETÁRIO do veículo abaixo descrito, vem mui respeitosamente através do presente, em conformidade com os arts. 280, 281 e 285 do CTB, Resoluções 299/08 e 404/12 do CONTRAN, da Lei Federal 9.784/99, e CF/88, e demais normas legais aplicáveis, apresentar

DEFESA DE AUTUAÇÃO

em face do Auto de Infração de Trânsito - AIT nº XXXXXX (detalhamento em anexo), contra o Recorrente, devido a suposta infração ao Art. 208, do Código de Trânsito Brasileiro, “Art. 208. Avançar o sinal vermelho do semáforo ou o de parada obrigatória”, veículo autuado de placas XXXXX/CE, marca modelo VW/GOL 1.0 GII, Renavam nº XXXXXX, onde para tal, junta cópia dos documentos exigidos e abaixo argumenta, procurando trazer ao vosso conhecimento todas as informações que julga necessárias para uma conclusão justa sobre o ocorrido, com vistas ao arquivamento da autuação por infração de trânsito.

DOS FATOS

Este Recorrente em pesquisa junto ao site do DETRAN/CE, verificou constar prenotado em seu prontuário AUTUAÇÃO POR INFRAÇÃO À LEGISLAÇÃO DE TRÂNSITO, na qual este Recorrente teria em tese na data de 30/10/2017 às 14h54min, cometido infração de trânsito por supostamente Avançar o sinal vermelho do semáforo.

Todavia, a Imposição de Penalidade não pode prosperar. Pois, a míngua das notificações da autuação e da penalidade, o que impossibilitou assegurar a amplitude do direito de defesa incrustado na Constituição Federal, o que colide frontalmente com o direito do recorrente de apresentar sua defesa prévia, direito este que somente se efetiva a partir do momento em que, comprovadamente, se deu ciência ao apenado, o que de todo não ocorreu.

DAS PRELIMINARES

A autuação é nula, posto que, violou o disposto nos Art. 281, Parágrafo único, inciso II, e 282 todos do CTB, sendo clara a AUSÊNCIA das notificações de autuação e da penalidade, comprovadas através do detalhamento da infração (documento obtido junto ao DETRAN - DOC. 2) em anexo, onde constata-se que o órgão de trânsito deixou de enviar ao endereço do recorrente as citadas notificações, conforme verifica-se não haver registro de número “AR” referente ao envio de qualquer das notificações, contrariando assim o Art. 37, caput da CF/88, que insculpiu, como princípio, a PUBLICIDADE dos atos administrativos e o Art. 5º, inciso LV, também, da CF/88, que, por sua vez, insculpiu como princípios, em processo administrativo, o da AMPLA DEFESA e do CONTRADITÓRIO.

Ora, ínclitos julgadores, de acordo com o que determina o CTB e jurisprudência firmada pelo STJ há necessidade de dupla notificação ao proprietário e/ou infrator para legitimar a imposição de penalidade de trânsito.

O referido entendimento restou consolidado na Súmula 312 do STJ, in verbis:

No processo administrativo para imposição de multa de trânsito, são necessárias as notificações da autuação e da aplicação da pena decorrente da infração. (grifo nosso)

Diante do exposto, o Órgão de Trânsito contrariando os princípios do devido processo legal, do contraditório e da ampla defesa, bem como a Súmula do STJ nº 312 não expediu as notificações da autuação e da penalidade referente à infração em tela. Ocasionando prejuízo inconteste ao recorrente.

Assim, requer e espera o acolhimento da preliminar para que se arquive o AIT julgando-o insubsistente, conforme determina o parágrafo único, incisos I e II, Art. 281 do CTB, já referido.

DO MÉRITO

Por cautela, se diverso for o entendimento de Vs. Sas. quanto à preliminar no mérito vem dizer que a autuação, também, é nula de pleno direito pelos seguintes motivos.

Primeiramente, faz-se mister registrar a irregularidade quanto ao local da possível infração, onde a fotografia (DOC. 10), obtida junto ao site do DETRAN, demonstra que o local, no qual, em tese, teria sido cometida a infração, fica defronte a sede do DETRAN em Juazeiro do Norte (próximo a Marmoraria Juazeiro ao lado do Atacadão e do Assaí), localizada (vide DOC. 9) na Av. Padre Cícero, nº 4455, km 4,5 – Bairro São José (neste caso CE-292, km 4,5), conforme demonstrado nas imagens anexas. Todavia, no detalhamento da infração, bem como na fotografia obtida junto ao site do DETRAN, o local informado é CE-292, km 22,4, divergindo os endereços.

Sendo assim, verifica-se, mais uma insubsistência que enseja o arquivamento do AIT, haja vista a irregularidade quanto ao local da possível infração.

Fora isso, necessário esclarecer o equivoco quanto a tipificação da infração, uma vez que o requerente nunca avançou o sinal vermelho do semáforo, mas sim realizou manobra de conversão da Rua Paulo Maia para a Av. Padre Cícero (CE-292) sentido Crato/Juazeiro do Norte, o que é permitido naquele trecho da avenida, bem como o semáforo estava verde para quem fosse realizar tal manobra.

Desta forma, cometeria a infração de avançar o sinal vermelho do semáforo, caso o veículo houvesse seguido pela Avenida Padre Cícero (CE-292, km 4,5) no sentido Juazeiro do Norte/Crato, o que no presente caso não ocorreu, uma vez que trafegava pela Rua Paulo Maia e no cruzamento com a Avenida Padre Cícero (CE-292, km 4,5), realizou a conversão para a mesma, só que seguindo no sentido Crato/Juazeiro e não no sentido Juazeiro/Crato, prova disto está na posição em que o veículo foi fotografado (DOC. 10), estando de forma transversal na pista, claramente seguindo na direção da mão da via que trafega no sentido Crato/Juazeiro, portanto equivocada tal Autuação.

Isto posto, no máximo, o recorrente poderia ter cometido a infração do Art. 197 do CTB, que dispõe o seguinte:

Art. 197 Deixar de deslocar, com antecedência, o veículo para a faixa mais à esquerda ou mais à direita, dentro da respectiva mão de direção, quando for manobrar para um desses lados.

Infração: Média

O que, também, seria injusto com o recorrente, uma vez que a intersecção das vias (Rua Paulo Maia e Av. Padre Cícero) ocorre justamente onde esta localizado o semáforo, não havendo espaço adequado para os veículos que trafegam pela Rua Paulo Maia e queiram seguir na Av. Padre Cícero, no sentido Crato/Juazeiro, possam atravessar a mão que segue no sentido Juazeiro/Crato, sem que veículos naquele trecho da via impossibilitem o deslocamento para a faixa mais à esquerda, antes de manobrar para o mesmo lado, devido a isso foi necessário atravessar diretamente a via, no momento que os veiculos que seguiam na Av. Padre Cicero no sentido Juazeiro/Crato, parassem com o fechamento do sinal, mas com o sinal aberto para os que fossem convergir para mão da Av. Padre Cícero que seguia no sentido Crato/Juazeiro, que era o caso em tela.

Nesse diapasão, junta-se ao presente recurso, as Imagens I, II, III e IV (obtidas através do site Google maps), as quais demonstram, claramente, que o veículo (VW/GOL GII – Placas XXXX) está convergindo da Rua Paulo Maia para a Av. Padre Cícero (CE-292, km 4,5) sentido Crato/Juazeiro e que tal manobra é notoriamente permitida naquele trecho da via.

Por conseguinte, como naturalmente percebe-se, tanto na fotografia vinculada ao AIT, obtida junto ao site do DETRAN, uma vez que não foi remetida nennhuma notificação da infração com tal fotografia, bem como nas imagens e informações juntadas em anexo, que ocorreu um equívoco na decisão imposta pela autoridade de trânsito, devendo a mesma ser cancelada por esta JARI, eis que eivada de nulidades.

DOS PEDIDOS

01. Que seja recebida a presente Defesa, pois preenche todos os requisitos de sua admissibilidade, com cópia de documentos do Defendente de acordo com a Res. 299/08 do CONTRAN;

02. Seja a preliminar acolhida e declarada, em definitivo, a NULIDADE ABSOLUTA do Auto de Infração de Trânsito nº XXXXXXXXX, em decorrência dos vícios apontados e comprovados

03. Caso Vossas Senhorias entendam pelo não acolhimento da preliminar, requer sejam acolhidos os argumentos de defesa para que seja julgado o AUTO INSUBSISTENTE, e por via de consequência o cancelamento da multa imposta, conforme preceitua o art. 281, inciso I do CTB, sendo anulada a pontuação, para que seja o Requerente isento da infração de transito a ele atribuída

03. De acordo com o Artigo 37 da Constituição Federal e Lei 9.784/00, a administração direta e indireta de qualquer dos Poderes da União dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios obedecerem aos princípios de legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade, motivação e eficiência, caso não seja acatado o pedido, solicitamos um parecer por escrito do responsável com decisão motivada e fundamentada sob pena de nulidade de todo este processo administrativo;

04. Requer-se, finalmente, o efeito suspensivo propugnado no artigo 285, parágrafo 3º do CTB (Lei nº. 9503/97), caso o presente recurso não seja julgado em 30 dias, e da Lei Federal nº 9.784/99, que regulamenta o Processo Administrativo, no Parágrafo único do art. 61.

05. Provará o alegado pelos documentos anexos, testemunhas e perícias, reservando-se no direito de juntar documentos novos, se for o caso.

Nestes termos,

Pede deferimento.

Crato/CE, 26 de Janeiro de XXXX

Requerente


 


 


 

Anexos: 1-Cópias do Documento de Identificação (CNH); 2-Detalhamento da Infração; 3-CRLV do veículo; 4-Comprovante de endereço; 5-Imagem I; 6-Imagem II; 7-Imagem III; 8-Imagem IV; 9-Imagem V; 10-Fotográfia vinculada a infração.

Página 1 de 1
Assuntos relacionados
Sobre o autor
Imagem do autor Júnior Brito
Júnior Brito

Acadêmico de Direito da Faculdade Paraíso do Ceará - FAP/CE

Informações sobre o texto

Este texto foi publicado diretamente pelos autores. Sua divulgação não depende de prévia aprovação pelo conselho editorial do site. Quando selecionados, os textos são divulgados na Revista Jus Navigandi

Publique seus artigos
Compartilhe conhecimento e ganhe reconhecimento. É fácil e rápido!