refinanciamento FIES não é possível. Então como quitar a dívida?

Débora Cristina Carvalho Brasil perguntou Quinta, 26 de julho de 2007, 12h29min

Tenho uma dívida com o FIES, pois quando estudava não tinha condições de pagar meu curso. Agora, fui à Caixa Econômica, na tentativa de um acordo para sua quitação. No entanto, tive como resposta, que não é possível reparcelar meu débito, que atualmente está altíssimo, e que a dívida iria para execução caso o pagamento não fosse feito à vista. Então, como devo proceder??

Respostas

227

  • Isabel Cristina S V Boas

    Débora
    Boa Tarde

    Tem que procurar uma solução.Ministerio Publico Federal,Justiça Federal,ou advogado.A CEF não conversa ela dita as ordens tem que ser como ela quer.
    Procure orientação urgente,

    Abraços
    icsboas@hotmail.com

  • Alessandra Ribeiro Martins

    Tb estou na mesma situação da Débora, enviei uma carta para o MEC já que a CAixa diz que é só uma intermediaria... que quem dita as regras é a lei então a Caixa nada pode faer senão cumprir a lei...
    Absurdo!!!

  • Cilena Jacinto de Araújo

    Oi pessoal. Também me encontro nessa situação. Já entrei com ação de consignação e revisão de contrato na Justiça Federal de Santos, mas sinto em dizer que esta muito difícil conseguir algo. Estou providenciando o recurso de Apelação, pois o Juiz da 1ª Vara Federal , considera correto o que o Governo vem cobrando.
    Encontrei um fórum ( abaixo-assinado ao Fies) que sinceramente achei muito interessante. Vamos juntos providenciar esse documento e conseguir quantas assinaturas for possível.
    Entrem no fórum deixem seus e-mails para que a criadora da idéia entre em contato conosco.
    Vamos atrás dos nossos direitos !!

  • AGNALDO CAZARI

    Caros Colegas Desesperados do FIES,

    Também fui um beneficiário (se é que se pode chamar assim) do FIES e, em determinado momento deixei de pagar as parcelas por problemas financeiros. Tempos atrás fui notificado da Execução que a Caixa Federal havia intentado. Eu e o colega que me assiste nesta demanda entramos com embargos contra os valores cobrados, uma vez que meu contrato foi firmado de pois da lei que proibia a cobrança de juros sobre juros. Ganhamos e estou aguardando a manifestação da Caixa.
    Desta forma, provavelmente o valor será bem menor do cobrado na inicial executória e poderei propor novas condições de pagamento, como o parcelamento.

    Os ex-alunos que foram beneficiados pelo antigo CREDUC, tiveram anistia em seus débitos de até 90 %. Esperei que isso fosse acontecer com o FIES , mas me enganei. Todavia, negociar com a Caixa só via judicial.

    Abraços.

  • marcia vieira goulart

    Caro Agnaldo poderia me passar mais informações sobre essa lei que proibe a cobrança de juros sobre juros, para verificar se a data do meu contrato também foi anterior.
    Obrigada
    Marcia

    marciavgoulart@gmail.com

  • AGNALDO CAZARI

    Cara Colega Márcia,

    A Medida Provisória n.º 1963/17 - de Março de 2000, estatuiu sobre a chamada Lei de Usura n.º 4595/64, autorizando, apartir de então (2000) a cobrança de juros compostos.
    Como o meu comtrato se iniciou antes da Medida Provisória, havia então possibilidade de argumentar a não cobrança dos juros abusivos.

    É isso.


    Abraços.

  • Dr. Anderson Magalhães Lopes

    Ola Jaqueline, tudo bem?
    O contrato de FIES é um financiamento da CEF que vem causando grandes preocupações aqueles que o aderem, é uma verdadeira barbária o que está acontecendo com aqueles que nao podem prover seus estudos.
    Aqui no DF, como advogado, tenho lutado contra as praticas abusivas da CEF, para tanto é necessário que se promova duas ações em especial, uma revisional e outra de consignação.
    Pelas minhas experiências os juízes têm-se dignado dando provimento em pedidos basilares, como: retirada da capitalização de juros de 9% para 6%, retirada da tabela francesa "price", antecipação de tutela para que se retire o nome do estudante e de seus fiadores, até mesmo repetição do indébito, entre outros provimentos. Veja o Acórdão do TRF, 4º Turma. Qualquer dúvida vc pode me encontrar no meu e-mail, anderson_lm@yahoo.com.br

  • Dr. Anderson Magalhães Lopes

    Ola para todos da lista de discussões!! Sou advogado e tenho algumas causas do FIES, os juízes tem dado provimento a maioria dos pedidos!!!

    Estou demandando contra a CEF em todo o país, tenho um perito judicial que tem achado vários abusos nos contratos do FIES que podem abaixar de 10% a 70%, mas a incidência de 9% para 6% foi modificado pela lei, isto é certo, pois a capitalização por si só já é indevida, ainda, mas, se a lei obriga a aplicação de uma taxa a menor.

    Os interessados podem ligar no (61) 8414-0426

  • Marcelo Valois

    Olá pessoal. Sou fiador em um contrato de Fies e hoje estou sendo cobrado judicialmente pela CEF. Fiz proposta formal de parcelamento do débito, sem mesmo questionar os cálculos apresentados pela CEF, tudo no intuito de resolver o problema que já alcança uma cifra de aproximados 30 mil reais, mas a referida instituição finaceira simplesmente me disse que por falta de previsão legal não poderioa renegociar o débito e que eu teria que pagá-lo integralmente, tendo em vista o processo de execução em curso.
    Eeeeta "país-zinho" esse Brasil. O governo parcela a perder de vista débitos de tudo que é gente e para os estudantes... FERRO!!!!!!
    Pesquisei feito louco e encontrei um único julgado do TRF 1.ª Região (vanguarda, novidade mesmo) que obriga a CEF a aplicar aos contratos do Fies as mesmas regras de renegociação do CREDUC, ou seja, 80% de abatimento do débito dos inadimplentes e 90% para os adimplentes. Fui a Brasília somente para tirar cópia deste processo raro.
    Estou preparando a ação para o mais ráoido possível ajuizar. Caso alguém queira maiores informações meu e-mail é valoisadv@terra.com.br.
    Esta tese pode ser, ainda, trabalhada conjuntamente com a revisional do contrato buscando uma redução do saldo devedor.

  • Sabrina Barreto

    Conversei com um promotor publico e ele me disse q não há mto q se fazer!!!
    Assim q mover um acao contra a CEF é preciso fazer um deposito judicial de um valor q vc acha justo (o q está pedindo na acao) e continuar a depositar um tanto mensal, até a resposta da ação, q pode demorar muuuuuuuuiiito.
    Além disso, solicitar uma liminar para exclusao dos nomes (estudante e fiadores) dos cadastros de SPC e serasa...
    Mas td isso com um advogado particular, pelos valores envolvidos serem mto altos!!!
    Não sei como agir! Estou de maos atadas, pois nao tenho o valor para depósito inicial!!!
    Por favor, me digam como agiram....