Aposentadoria por idade, por tempo de contribuição, por invalidez e especial.

2. PREVIDÊNCIA SOCIAL

  A previdência social é organizada em Regime Próprio,  Regime Geral e Complementar. O primeiro já foi disposto no capítulo da Administração Pública e aplica-se aos servidores ocupantes de cargos efetivos da União, dos Estados, Distrito Federal, Municípios, Autarquias e Fundações Públicas. Já o segundo é que nos interessa nesse capítulo e aplica-se aos trabalhadores da iniciativa privada, aos empregados públicos, aos cargos em comissão e aos temporários.

O Regime Geral de Previdência Social (RGPS) está disposto na Constituição nos artigos 201 e 202. A previdência social será organizada sob a forma de regime geral, de caráter contributivo e de filiação obrigatória, observados critérios que preservem o equilíbrio financeiro e atuarial, e atenderá, nos termos da lei, a: cobertura dos eventos de doença, invalidez, morte e idade avançada; proteção à maternidade, especialmente à gestante; proteção ao trabalhador em situação de desemprego involuntário; salário-família e auxílio-reclusão para os dependentes dos segurados de baixa renda; pensão por morte do segurado, homem ou mulher, ao cônjuge ou companheiro e dependentes.

Nenhum benefício que substitua o salário de contribuição ou o rendimento do trabalho do segurado terá valor mensal inferior ao salário mínimo. O salário mínimo é o mínimo que um segurando pode receber mensalmente.

Todos os salários de contribuição considerados para o cálculo de benefício serão devidamente atualizados, na forma da lei.

É assegurado o reajustamento dos benefícios para preservar-lhes, em caráter permanente, o valor real, conforme critérios definidos em lei. 

É vedada a filiação ao regime geral de previdência social, na qualidade de segurado facultativo, de pessoa participante de regime próprio de previdência.

A gratificação natalina dos aposentados e pensionistas terá por base o valor dos proventos do mês de dezembro de cada ano. 

2.1.     Competência para Legislar sobre Previdência Social

  A Constituição, no artigo 24, inciso XII trouxe a competência concorrente da União, Estados e Distrito Federal para legislar sobre a Previdência Social.

2.1.            Aposentadoria por Idade

A Previdência Social assegura 4 tipos de aposentadorias: por idade, por tempo de contribuição, por invalidez e aposentadoria especial.

A aposentadoria por idade é uma espécie de aposentadoria que requer idade e contribuição. Ao aposentar por idade dá-se a falsa impressão de que a idade seria o único requisito para a sua concessão. Mas. Na verdade não existe mais a aposentadoria simplesmente por idade. Isso porque a Previdência Social exige sempre a contribuição. Entre esses requisitos estão: a idade mínima de 65 anos para o homem e 60 para mulher; e a carência de no mínimo 180 contribuições o que equivale a 15 anos de contribuição. Pode até ser uma carência menor, desde que tenha pegado o período de transição.

A Constituição, no artigo 201, § 7°, inciso II, in fine  traz as regras para a aposentadoria do trabalhador rural. O trabalhador rural pode requerer sua aposentadoria aos 60 anos de idade, se homem, e aos 55 anos de idade, se mulher. E inclui-se nesse rol o produtor rural, o garimpeiro e o pescador artesanal.

Uma das grandes dificuldades dos trabalhadores rurais é fazer prova de suas alegações. Nesse sentido a súmula 149 do STJ afirma que a prova exclusivamente testemunhal não basta à comprovação da atividade rurícola, para efeito da obtenção de benefício previdenciário.

2.2.            Aposentadoria por tempo de contribuição

A aposentadoria por tempo de contribuição requer apenas a contribuição. E essa contribuição também varia de acordo com o sexo. O trabalhador do sexo masculino pode requerer a sua aposentadoria após 35 anos de contribuição e, a trabalhadora, após 30 anos de contribuição, pouco importando a idade. Não existe idade mínima para requerer essa espécie de aposentadoria.

2.3.            Aposentadoria por invalidez

A aposentadoria por invalidez é uma das espécies de aposentadoria mais requisitadas, é um dos benefícios mais almejados pela população brasileira. Isso se dá pelo fato de na aposentadoria por invalidez não existir o chamado fator previdenciário. Além disso, o valor da aposentadoria por invalidez é 100% do valor dos 80 maiores salários de contribuição. No entanto também é uma das espécies de aposentadoria mais difícil de obtenção devido a extensão dos requisitos.

Os requisitos para a concessão da aposentadoria por invalidez são: ser segurado da Previdência Social; encontrar-se incapaz para toda ou qualquer atividade; e possuir carência de, no mínimo, 12 contribuições, salvo se decorrer de acidente do trabalho, doença do trabalho ou da portaria 2.998/01.

A aposentadoria por invalidez pode ser cumulada com pensão por morte? Pode. O recebimento da pensão por morte pode ser cumulado com qualquer aposentadoria. Só não pode acumular duas pensões por morte, entretanto o cônjuge ou herdeiros poderá optar pela mais vantajosa.

2.4.            Aposentadoria especial

É a espécie de aposentadoria concedida ao trabalhador exposto a agente nocivos à saúde ou perigoso. Essa exposição deve ser permanente e contínua à atividades perigosas ou insalubres por 15, 20 ou 25 anos de trabalho.

Essa espécie de aposentadoria não incide o fator previdenciário. O benefício é de 100% do salário benefício.


Autor

  • Geraldo Andrade

    Bacharel em Direito (ESDHC) e História (UFMG). Pós-graduado em Culturas Políticas, Direito Público e Direito Processo Civil. Mestre em Direito, Planejamento e Desenvolvimento Sustentável. Professor de universitário e advogado.

    Textos publicados pelo autor


Informações sobre o texto

Este texto foi publicado diretamente pelo autor. Sua divulgação não depende de prévia aprovação pelo conselho editorial do site. Quando selecionados, os textos são divulgados na Revista Jus Navigandi.

Comentários

0

Livraria