Definições e apresentação do que a lei considera como preconceito, polêmicas e uma pesquisa que mostra como anda o preconceito nas escolas públicas do país.

O artigo inciso IV da CF assevera que

“Constituem objetivos fundamentais da República Federativa do Brasil: promover o bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação”

A CF/88 (Art. 5º, inciso XLII) determina que

“A prática do racismo constitui crime inafiançável e imprescritível, sujeito à pena de reclusão, nos termos da lei”.

Há uma discussão se imprescritibilidade abrange também as expressões etnia, religião e procedência nacional.

O STF, em decisão de um caso específico (HC 82424, Caso Ellwanger), aplicou a imprescritibilidade também a religião. O Ministro Celso de Mello, que seguiu a maioria, votou no sentido de que

“Só existe uma raça: a espécie humana. Aquele que ofende a dignidade de qualquer ser humano, especialmente quando movido por razões de cunho racista, ofende a dignidade de todos e de cada um”.

A Lei nº 7.716/89 foi criada para resguardar o direito à dignidade da pessoa humana (Art. 1º, III, CF) e direito à igualdade (Art. 5º, CF) determinando em seu título a punição de crimes resultantes de preconceito de raça ou de cor.

Este rol foi ampliado no ano de 1997 (Lei nº 9.459), quando o legislador então acrescentou ao artigo os termos etnia, religião e procedência nacional, passando o referido artigo a vigorar da seguinte forma:

“Serão punidos, na forma desta Lei, os crimes resultantes de discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional”.

DEFINIÇÕES

Preconceito: Qualquer opinião ou sentimento concebido sem exame crítico, é um juízo pré-concebido, que se manifesta numa atitude vexatória.

OBS: Difícil lidar com preconceito pois é um sentimento, e as leis não podem punir sentimentos, apenas ações (ou omissões). Para ocorrer a punição deve-se ter uma exteriorização da sua vontade em cometer algum ilícito.

Discriminação: Ação ou efeito de separar, segregar, pôr à parte.

Raça: É uma categoria social, os grupos sociais dividem a humanidade e as sociedades a partir de traços fenotípicos.

Cor: Se trata única e exclusivamente da pigmentação da pele.

Etnia: Refere-se a aspectos sócio culturais.

Religião: É toda crença. (Acredita ser verdade)

OBS: Ateísmo não está abrangido pela “lei de racismo”, vez que não é uma religião, mas uma filosofia de vida.

Procedência nacional: Deve ser vista de modo ampliativo, devendo não ser entendida apenas a nacionalidade do indivíduo, mas também sua origem regional.

HOMOFOBIA

O preconceito em razão de orientação sexual não é punido, pois não se encontra no rol do artigo (Lei nº 7.716) e não pode ser estendido sob pena de ofender o princípio da legalidade.

Houve uma tentativa de criminalização da homofobia através do projeto de lei 122 de 2006 para acrescenta-la na lei de preconceito.

A proposta enfrentou resistências, principalmente de lideranças religiosas. O regimento interno do SF determina que todas as propostas tramitando há mais de 2 legislaturas devem ser arquivadas, foi o que aconteceu.

PESQUISA [1]

Com o objetivo de enfrentar os preconceitos foi realizada pesquisa pelo MEC, desenvolvida em 501 escolas públicas de todo o país e baseou-se em entrevistas com mais de 18,5 mil alunos, pais, mães, diretores, professores e funcionários em 2009.

Foi apontado que 99,3% dos entrevistados apresentam algum tipo de preconceito.

Maiores preconceitos apresentados:

Preconceito contra Portadores de deficiências especiais

Preconceito Étnico-racial

Preconceito contra Gênero

Preconceito contra Geração

Preconceito Socioeconômico

Preconceito contra Orientação sexual

Preconceito Territorial

Porcentagem:

96,5%

94,2%

93,5%

91%

87,5%

87,3%

75,95%

A maioria dos entrevistados possuem preconceito em mais de uma área, entre 3 e 5.

Preconceitos com maior intensidade:

Preconceito de gênero do homem em relação a mulher

Preconceito perante os idosos

Preconceito contra portadores de necessidades especiais

Porcentagem:

38,2%

37,9%

32,4%

Ainda segundo os dados obtidos pela pesquisa, 99,9% dos entrevistados desejam manter distância de algum grupo social.  

Grupos sociais com maiores rejeições:

Deficientes mentais e homossexuais

Ciganos

Deficientes físicos

Índios

Pobres

Moradores da periferia ou de favelas

Moradores da área rural

Negros

Porcentagem:

98,9%

97,3%

96,2%

95,3%

94,9%

94,6%

91,1%

90,9%

Por ser um País imigratório com as mais diversas, etnias, procedência e credos, esses dados são preocupantes, já que a sociedade continua sofrendo com discriminações e preconceitos em suas diversas formas.


[1] Pesquisa e estudo disponibilizado no site da USP, realizada a pedido do INEP (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), feita pela SECAD (Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade) e executada pela FIPE (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas).


Autor


Informações sobre o texto

Este texto foi publicado diretamente pelo autor. Sua divulgação não depende de prévia aprovação pelo conselho editorial do site. Quando selecionados, os textos são divulgados na Revista Jus Navigandi.

Comentários

0

Autorizo divulgar minha mensagem juntamente com meus dados de identificação.
A divulgação será por tempo indeterminado, mas eu poderei solicitar a remoção no futuro.
Concordo com a Política de Privacidade e a Política de Tratamento de Dados do Jus.

Regras de uso