[1] http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicaocompilado.htm

[2] Tomé de Souza foi político português, militar e primeiro governador-geral do Brasil. Foi enviado ao Brasil pela corte portuguesa em março de 1549. Sua missão era estabelecer um novo sistema de administração política no Brasil: o governo-geral. A expedição chefiada por Tomé de Souza, que chegou à Bahia em 1549, contava com cerca de mil homens. (MAGALHÃES, Joaquim Romero, 1999).

[3] Joaquim José da Silva Xavier O Tiradentes, (1746-1792) foi o líder da Inconfidência Mineira, primeiro movimento de tentativa de libertação colonial do Brasil. Ganhou a vida de diferentes maneiras, além de militar no posto de Alferes, foi tropeiro, minerador e exercia a profissão de dentista, o que lhe valeu o apelido de Tiradentes. Foi traído pelo Coronel Joaquim Silvério dos Reis, foi preso no Rio de Janeiro e condenado à morte por enforcamento no dia 21 de abril de 1792. Seu corpo foi esquartejado e exposto pelas ruas de Minas Gerais. É considerado o Protomártir da Independência e Patrono Cívico das Nações e das Polícias Brasileiras (EBIOGRAFIA, 2017).

[4] Guerra do Paraguai foi o maior conflito armado internacional ocorrido na América do Sul. Foi travada entre o Paraguai e a Tríplice Aliança, composta pelo Brasil, Argentina e Uruguai. A guerra estendeu-se de dezembro de 1864 a março de 1870. (COTTA, 2014)

[5]  Este decreto tinha como objetivo reorganizar as Polícias Militares e os Corpos de Bombeiros Militares dos Estados, do Território e do Distrito Federal.

[6] Instituída no art. 2 do Decreto-lei n 667 de 2/07/1969, a Inspetoria-Geral das Polícias Militares foi criada, no âmbito do então Ministério do Exército, para desenvolver estudos, coletar e registrar de dados, bem como prestar assessoramento relacionado com o controle e coordenação das Polícias e Corpos de Bombeiros Militares, a nível federal.

[7] https://jus.com.br/artigos/40047/breve-evolucao-historica-da-polícia-militar-de-minas-gerais-pmmg-e-os-novos-paradigmas-da-constituicao-da-republica-federativa-do-brasil-de-1988

[8]“ cabo Valério dos Santos Oliveira, baleado durante a tentativa de invasão do prédio do Comando Geral da Polícia Militar, na Praça da Liberdade, no dia 24 de junho de 1997. “ (MACHADO, p.20,2011)

[9] Normas de eficácia contida, portanto, são aquelas em que o legislador constituinte regulou suficientemente os interesses relativos à determinada matéria, mas deixou margem à atuação restritiva por parte da competência discricionária do Poder Público, nos termos que a lei estabelecer ou nos termos de conceitos gerais nelas enunciados (SILVA, 2001, pg. 115.).

[10] Cabeças: § 4º Na prática de crime de autoria coletiva necessária, reputam-se cabeças os que dirigem, provocam, instigam ou excitam a ação. § 5º Quando o crime é cometido por inferiores e um ou mais oficiais, são estes considerados cabeças, assim como os inferiores que exercem função de oficial. (ART.53, CPM)

[11] TAVARES DOS SANTOS, José Vicente. Mais uma para ficar na história. Disponível em: http://www.estadao.com.br/noticias/suplementos,mais-uma-para-ficar-na-historia,834526,0.htm acesso em 15/05/2017.

[12] Os direitos humanos são direitos inerentes a todos os seres humanos, independentemente de raça, sexo, nacionalidade, etnia, idioma, religião ou qualquer outra condição.

[13] O princípio da dignidade da pessoa humana é um valor moral e espiritual inerente à pessoa, ou seja, todo ser humano é dotado desse preceito, e tal constitui o princípio máximo do estado democrático de direito. Está elencado no rol de direitos fundamentais da Constituição Brasileira de 1988.

[14] REZENDE E PAULA, Iaçanã Lopes de. O militar estadual visto como trabalhador à luz da Constituição Federal. In: Âmbito Jurídico, Rio Grande, XVII, n. 120, jan 2014. Disponível em: http://www.ambitojuridico.com.br/site/?n_link=revista_artigos_leitura&artigo_id=13643 . Acesso em 17 de maio 2017.

[15] Reclamação (RCL) é um instrumento jurídico com status constitucional que visa preservar a competência do Supremo Tribunal Federal (STF) e garantir a autoridade de suas decisões. Originalmente, ela é fruto da construção jurisprudencial do STF que, com o decorrer do tempo, foi sendo incorporada ao texto constitucional (artigo 102, inciso I, alínea “i”, da Constituição Federal). Disponível em: http://www.stf.jus.br/portal/cms/verNoticiaDetalhe.asp?idConteudo=271852. Acesso em 17/05/2017.

[16] https://stf.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/25356572/reclamacao-rcl-17915-df-stf.

[17] http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/1990-1994/d0591.htm.

[18] https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/d3321.htm.

[19] http://legis.senado.gov.br/legislacao/ListaTextoIntegral.action?id=215628&norma=228560

[20] O Plenário Virtual é um sistema tecnológico criado pelo STF para que os ministros deliberem se determinada matéria tem ou não repercussão geral. Um ministro suscita a questão e os outros têm 20 dias para votar, se não se manifestarem neste prazo, o sistema considera que o ministro votou pela existência de repercussão. O Plenário Virtual funciona 24 horas por dia e os ministros podem acessá-lo remotamente, o que contribui para evitar a sobrecarga do plenário físico. Disponível em: http://www.stf.jus.br/portal/cms/verNoticiaDetalhe.asp?idConteudo=168512. Acesso em 18/05/2017.

[21] A repercussão geral apresenta o chamado efeito multiplicador, ou seja, o de possibilitar que o Supremo decida uma única vez e que, a partir dessa decisão, uma série de processos idênticos seja atingida. O Tribunal, dessa forma, delibera apenas uma vez e tal decisão é multiplicada para todas as causas iguais. Disponível em: http://www.stf.jus.br/portal/cms/verNoticiaDetalhe.asp?idConteudo=168512. Acesso em 18/05/2017.

[22] http://g1.globo.com/politica/noticia/maioria-do-stf-vota-para-proibir-greve-para-todas-as-carreiras-policiais.ghtml.

[23] http://g1.globo.com/politica/noticia/maioria-do-stf-vota-para-proibir-greve-para-todas-as-carreiras-policiais.ghtml

[24] http://www.conjur.com.br/2017-abr-05/stf-proibe-greve-servidor-ligado-seguranca-publica.

[25]http://www.stf.jus.br//arquivo/informativo/documento/informativo860.htm#Direito%20de%20greve%20e%20carreiras%20de%20seguran%C3%A7a%20p%C3%BAblica.

[26] http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm.

[27] http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm



Informações sobre o texto

Este texto foi publicado diretamente pelo autor. Sua divulgação não depende de prévia aprovação pelo conselho editorial do site. Quando selecionados, os textos são divulgados na Revista Jus Navigandi.

Comentários

0