A 5ª Turma do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1) negou provimento à apelação do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP)

A 5ª Turma do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1) negou provimento à apelação do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP) contra sentença da 2ª Vara da Seção Judiciária do Distrito Federal, que concedeu segurança a um aluno, determinando que o Instituto não imponha qualquer restrição que impeça o estudante de colar grau ou ter o diploma expedido e registrado, por causa de sua ausência ao Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade) de 2013.

Em suas alegações recursais, o INEP sustentou que não existe previsão legal para solicitação de sua dispensa na via administrativa, pois somente estão dispensados da realização do Enade os estudantes habilitados e inscritos que não foram selecionados na amostragem, os de determinados cursos de graduação que tenham colado grau até o dia 18 de agosto de 2006, ou os que se encontrarem oficialmente matriculados e cursando atividades curriculares fora do Brasil.

O relator do caso, desembargador federal Carlos Moreira Alves, esclareceu que a sentença recorrida se encontra em plena sintonia com a orientação jurisprudencial do TRF1. O magistrado citou precedentes, no qual ficou esclarecido que a Lei nº 10.861/2004, que instituiu o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes), prevê o cabimento de sanções somente à instituição que não inscreve alunos habilitados para a participação no Enade. Porém, não há previsão legal de sanções aos alunos inscritos que deixarem de participar do exame. A ausência na participação do exame não pode ser um empecilho para a concessão do diploma, pois não há qualquer previsão legal específica.

O Colegiado, acompanhando o voto do relator, negou provimento à apelação do Inep.

Processo n°: 0036201-20.2014.4.01.3400/DF

www.trf1.jus.br


Autor


Informações sobre o texto

Este texto foi publicado diretamente pelo autor. Sua divulgação não depende de prévia aprovação pelo conselho editorial do site. Quando selecionados, os textos são divulgados na Revista Jus Navigandi.

Comentários

0

Autorizo divulgar minha mensagem juntamente com meus dados de identificação.
A divulgação será por tempo indeterminado, mas eu poderei solicitar a remoção no futuro.
Concordo com a Política de Privacidade e a Política de Direitos e Responsabilidades do Jus.

Regras de uso