Movimentos sociais brasileiros, alguns querendo a descriminalização e liberação da maconha, outros totalmente contras. O artigo analisa e mostra o porquê não se deve liberar, atualmente, a maconha.

O Brasil está preparado para a liberação da maconha? Analisando.

  1. Falácia dizer que, com a regulamentação à comercialização, o narcotráfico irá acabar. Ora, existe o tráfico de tabaco nas fronteiras brasileiras, mesmo sendo o tabaco lítico no Brasil, também exite o tráfico de medicamentos, como, por exemplo, anabolizantes proibidos no Brasil.
  2. Não diminuirá a violência, pois os narcotraficantes comercializarão outras drogas. Da mesma forma que podem comercializar, ilegalmente, a maconha e demais drogas (LSD, cocaína, crack), logo encontrarão outros meios para suas investidas criminosas.
  3. A Holanda foi o primeiro país a permitir o uso da maconha, em 1976, mas, em 2012, começou a revisar suas políticas diante do aumento da criminalidade, os crimes aumentaram, não pelas ações dos holandeses, mas de turistas.
  4. Maconha faz mal, e a maconha produzida atualmente é geneticamente modificada, para viciar mais rápido. Além disso, estudos apontam que a fumaça é cancerígena.
  5. A saúde pública vai muito mal, como, então, poderá absorver mais doentes, pois se cada qual pode usar uma quantidade, será que o usuário irá se automedicar ou irá sempre procurar um pneumologista, por exemplo, para ver se seus pulmões estão saudáveis?
  6. Se há pessoas que fumam tabaco em áreas fechadas, que é proibido por lei, imagine quando a maconha for legalizada para consumo próprio.
  7. Adolescentes fumam cigarros de tabaco, apesar de ser proibida, por lei, a comercialização do tabaco às crianças e aos adolescentes; imagine os adolescentes, que não possuem o lobo cerebral frontal totalmente formado, por isso são inconsequentes e impulsivos, a fumarem maconha nas ruas.

Os brasileiros não estão preparados.

Proponho o seguinte, a maconha israelense, pois ela não dá o "barato" da maconha tradicional. Quem vai querer usar a maconha israelense?


Autor


Informações sobre o texto

Este texto foi publicado diretamente pelo autor. Sua divulgação não depende de prévia aprovação pelo conselho editorial do site. Quando selecionados, os textos são divulgados na Revista Jus Navigandi.

Comentários

0