Tecnologia humanizada

Tecnologia humanizada. Talvez seja uma boa expressão para identificar o que penso sobre tecnologia.

somente a tecnologia é algo frio, calculista e principalmente inútil. Por mais avançada que seja, se não for útil ao propósito humano de nada servirá.

E, falando nisto, como anda a tecnologia na sua vida?

Muita tecnologia? Celulares de último tipo, tablets, computadores, programas que fazem quase tudo sozinhos… E a parte humana?

Como você trata os seus colaboradores? Como você lida com o seu cliente?

Só por e-mail?

Onde ficou o contato humano? Aonde ficou esquecido que é de relações humanas que vivemos?

Sois advogados! Jamais esqueçam disto!

A tecnologia pode e deve ser utilizada, contudo é da inteligência, perspicácia, conhecimento e visão que são forjados os profissionais do direito.

Um computador pode ter toda jurisprudência, leis e julgados do mundo, mas depende do raciocínio humano para dizer o sim ou o não, e o ser humano ainda poderá dizer além do sim e não, um talvez, quiçá ou quem sabe.

Só o ser humano faz a diferença. Máquinas se não forem úteis não valem a pena.

Ninguém, exceto outro ser humano, poderá fazer a diferença em um processo, julgado ou decisão.

O processo pode ser eletrônico, contudo a advocacia continua sendo uma relação humana.

Tecnologia humanizada. Que assim seja para todo o sempre.


Autor


Informações sobre o texto

Este texto foi publicado diretamente pelo autor. Sua divulgação não depende de prévia aprovação pelo conselho editorial do site. Quando selecionados, os textos são divulgados na Revista Jus Navigandi.

Comentários

0

Livraria