Por ser documento obrigatório na contratação de trabalhador, a CLT determina um prazo de 48 horas para que o empregador faça as anotações que julgar necessárias, sob pena de incorrer em multa.

Imagine você, trabalhador, no meio da crise econômica que atinge o país atualmente, sendo dispensado da empresa. Como ninguém vive apenas de ar, você começa a enviar currículos, se cadastrar em sites de empregos, faz várias entrevistas, até que recebe uma proposta para contratação. Parabéns, diz o entrevistador, só passar no RH depois de amanhã com a CTPS pra fazermos o registro e você está contratado. Aí cai a ficha e você se lembra, com aquele frio na espinha, que sua CTPS está com seu antigo empregador – faz 1 mês – pra anotar a dispensa!

Essa situação ocorre com mais frequência do que deveria e nem precisamos continuar a história para sabermos que nosso amigo trabalhador perdeu a vaga de emprego, pois nenhum empregado pode ser admitido sem apresentar a Carteira de Trabalho.

Retenção da CTPS é ilegal

Por ser documento obrigatório na contratação de trabalhador, a CLT determina um prazo de 48 horas para que o empregador faça as anotações que julgar necessárias, seja em relação a admissão, rescisão ou alteração de salário, por exemplo, sob pena de incorrer em multa de valor igual à metade do salário-mínimo regional, conforme determina o artigo 53 da CLT.

Além disso, a retenção da CTPS constitui contravenção penal, punível com pena de prisão simples de 1 a 3 meses ou multa, segundo a Lei 5.553/68.

Retenção da CTPS gera dano moral

O dano moral decorre da violação da honra, imagem e intimidade do sujeito. Comprovado o dano (ato ilícito) e o nexo causal, surge o dever de indenizar e, portanto, o direito do ofendido a reparação de ordem moral. (saiba mais aquiaqui e aqui)

No caso da retenção da CTPS (ato ilícito), o dano moral é aquele in re ipsa. Isto é, se consuma pela própria ocorrência do fato, sendo desnecessário que a vítima comprove tristeza, apreensão, angústia, aflição, ou quaisquer efeitos danosos, porquanto sua percepção emana da própria violação ocorrida. 

Qual o valor da indenização pela retenção da CTPS?

Em recente decisão, o TST arbitrou a condenação em R$ 2.000,00 pelo injustificado estresse produzido ao trabalhador que teve sua CTPS retida por mais de 2 meses.

http://informativotrabalhista.com/retencao-da-ctps-gera-indenizacao-por-dano-moral/


Autor


Informações sobre o texto

Este texto foi publicado diretamente pelo autor. Sua divulgação não depende de prévia aprovação pelo conselho editorial do site. Quando selecionados, os textos são divulgados na Revista Jus Navigandi.

Comentários

0