O artigo ora apresentado se trata de uma análise sobre o termo democracia e a sua incidência na Política Brasileira.

Sumário: 1. Conceito de Democracia e seus desdobramentos; 2. O Brasil como Democracia Participativa; 3. Estrutura da Política Brasileira; 4. A importância das redes sociais para a Democracia Participativa.

1. Conceito de Democracia e seus desdobramentos

A CF/88 tem como um dos seus princípios a Democracia (governo do povo); governo significa "comando, direção" e povo, para o Brasil, "brasileiros natos e naturalizados".

"Segundo ensina Ferreira Filho (2005: 102-103), longe de prosperar em qualquer solo, a experiência de um autêntico regime democrático exige a presença de alguns pressupostos. Há mister haver certo grau de desenvolvimento social, de sorte que o povo tenha atingido nível razoável de independência e amadurecimento, para que as principais decisões possam ser tomadas com liberdade de consciência". (FERREIRA FILHO, apud GOMES, 200, p. 36), (conforme site: https://jus.com.br/artigos/40607/analise-dogmatica-dos-principios-constitucionais-do-direito-eleitor...).

Em outras palavras, para a Democracia ser efetiva, devemos ter "pressupostos" (restrições, limitações) e cidadãos com um "nível razoável de independência e amadurecimento" (senso crítico mínimo, por meio do conhecimento técnico) "para que as principais decisões possam ser tomadas com liberdade de consciência" (com isso, as "ovelhas" {base eleitoral} terão um senso crítico e não atenderão imediatamente uma ordem dos "pastores" {partidos políticos}, surgindo nelas uma originalidade).

E "Friedrich Muller (2000:57, 115) diz que a democracia se fundamenta na “determinação normativa do tipo de convívio de um povo pelo mesmo povo.”. A democracia acaba por se revelar um eminente valor que foi construído ao longo da história. A própria observância do respeito à dignidade humana revela esse valor da democracia, pois se trata de um fundamento de qualquer regime democrático" (conforme site: https://jus.com.br/artigos/40607/analise-dogmatica-dos-principios-constitucionais-do-direito-eleitor...).

Noutras palavras, devemos, numa Democracia, ter uma "determinação normativa do tipo de convívio de um povo pelo mesmo povo" (Regular, restringir e limitar TODAS as relações entre os seres humanos, principalmente o exercício da Cidadania) e ter "respeito à dignidade humana, pois se trata de um fundamento de qualquer regime democrático" (SE O BRASIL CONTINUAR COM CIDADÃOS E POLÍTICOS IRRESPONSÁVEIS E INEFICIENTES, TODOS OS DIAS SERÁ OFENDIDA A DIGNIDADE DO POVO BRASILEIRO).

Quanto à Democracia, ela é classificada em Direta, Representativa e Semidireta ou Participativa, como ensina Pedro Lenza (conforme site: https://jus.com.br/artigos/40607/analise-dogmatica-dos-principios-constitucionais-do-direito-eleitor...).

Na primeira o Poder é exclusivo do Povo, na segunda é do Povo, porém este outorga a representantes e na terceira ocorre o mesmo que na segunda, todavia o Povo tem participação direta e um controle dos atos do Estado.

No Brasil é ensinado nas aulas de Direito, por exemplo, que temos a Democracia Representativa, porém temos leis que possibilitam a participação direta e um controle dos atos do Estado como, por exemplo, a Lei da Ação Civil Pública (Lei nº 7347/85), a Lei da Ação Popular (Lei nº 4717/65) e a Lei do Plebiscito, Referendo e Iniciativa Popular (Incisos I, II e III, Art. 14, CRFB/88 e Lei 9709/98).

Ora, esta realidade (ensinar o errado) deve ser alterada URGENTEMENTE, pois se temos leis para combater atos do Estado, vivemos numa DEMOCRACIA PARTICIPATIVA e como a regra é clara, devemos participar da Política, sempre com legitimidade e no estrito cumprimento da lei.

Percebemos então que a democracia é o Governo do POVO, ou seja, ela se consolida com a participação popular, portanto, não há que se falar em Estado Democrático de Direito sem se assegurar a tutela ao Princípio da Democracia.

2. O Brasil como Democracia Participativa

Relembrando: Democracia (governo do povo), governo significa "comando, direção" e povo, para o Brasil, "brasileiros natos e naturalizados".

Paremos para pensar, quem exerce o "comando, direção" da Política, os Políticos ou o Povo?

Há dois anos atrás o discurso seria:

"Infelizmente o povo serve apenas como""base eleitoral"",""mão de obra""ou""massa de manobra""para eleger os políticos, eles não participam de forma efetiva de NADA".

E também:

"Além do povo não participar de forma eficiente na vida política, o Político que deveria representar a sua COMPETÊNCIA, apenas visa os interesses de sua"base eleitoral","mão de obra"ou"massa de manobra"e isso ocorre porque O POVO NÃO TEM ESTE CONHECIMENTO, CASO CONTRÁRIO HAVERIA UMA PRESSÃO PARA MUDAR OS INTERESSES DA POLÍTICA!"

Hoje (25/11/16), depois de demasiados escândalos, a população brasileira começou a se politizar (com conhecimentos técnicos) e agora o discurso é diferente: "Vivemos numa Democracia Participativa, fiscalize quem te fiscaliza, vamos às ruas!".

E para finalizar: "O Povo é o"Chefão", o povo é o"Boss", por isso que Saens Peña dizia que era preciso educar o soberano. Quanto mais você educa o cidadão e o soberano, você tem uma democracia mais aperfeiçoada".

Esta frase é do saudoso Ulysses Guimarães, O PRESIDENTE DA ASSEMBLÉIA NACIONAL CONSTITUITE DA CONSTITUIÇÃO DA REPUBLICA FEDERATIVA DO BRASIL (nome jurídico do Brasil) DE 1988; ele foi tão importante para a Política Brasileira que teve a honra de ter seu nome escolhido para nomear o Plenário da Camâra dos Deputados.

3. Estrutura da Política Brasileira

Como dito, nosso país é chamado juridicamente de República Federativa do Brasil.

"República" é uma Forma de Governo e etimologicamente se divide em "rés = coisa" e "pública = do povo", logo "coisa do povo". Tem como características: a) Representatividade; b) Eletividade; c) Periodicidade; d) Responsabilidade; e) Soberania Popular.

Representatividade significa que temos representantes para satisfazer o interesse público (os Políticos).

Eletividade significa que temos eleições, o que nos diferencia de uma Monarquia ("Mono" = único; "Arquia" = poder).

Periodicidade significa que os representantes têm um mandato e ele acaba; todos são de quatro anos, salvo o de Senador, que é de oito.

Responsabilidade significa que os representantes não podem fazer o que bem entendem, eles seguem regras e caso haja violação delas, haverá uma responsabilização.

Por fim, Soberania Popular significa que "o poder emana do Povo" (Art. 1º, parágrafo único, CF/88).

Obs: Emanar significa "nascer", logo o Poder do Povo se restringe a eleger pessoas para representá-lo, quem toma as decisões são os representantes.

"Federativa" significa que o Estado Brasileiro está organizado numa Federação (Forma de Estado; art. 18, CF/88). Este tipo de organização cria entes autônomos (Estados e Municípios) e estes têm como características: a) Autonomia Financeira; b) Repartição de Competências; c) Impossibilidade de Secessão (Art. 60, § 4º, CF/88).

Autonomia Financeira significa que os entes da Federação elaboram seus orçamentos.

Repartição de Competências significa que União, Estados e Municípios têm obrigações exclusivas e comuns entre eles.

Impossibilidade de Secessão significa que os entes da Federação não podem se separar do Brasil (é permitida a incorporação, fusão e desmembramento).

"Do Brasil" significa que temos um ente da federação que é soberano, a chamada União.

Vale ressaltar também que, como vivemos numa República, temos mais de um Poder, no nosso caso, três, são eles: Legislativo, Executivo e Judiciário. É o que dispõe o artigo 2º da CF/88: "Art. 2º. São Poderes da União, independentes e harmônicos entre si, o Legislativo, o Executivo e o Judiciário."

Cada Poder tem funções típicas e atípicas.

No caso do Legislativo, sua função típica é legislar (criar leis) e as atípicas são administrar (seus órgãos {Câmara dos Vereadores, Assembleia Legislativa, Câmara dos Deputados e Senado Federal} e funcionários) e julgar (no caso de crime de responsabilidade)

No caso do Executivo, sua função típica é administrar (arrecadar impostos e reverter em melhorias na saúde, educação, segurança pública, moradia, transporte e etc. Da população) e suas funções atípicas são legislar (por Medida Provisória) e julgar (Recursos Administrativos).

E por fim, no caso do Judiciário, sua função típica é julgar e suas funções atípicas são legislar (elaboração do Regimento Interno) e administrar (seus órgãos {Tribunais} e funcionários).

Vale ressaltar que os três Poderes acabam quase realizando as mesmas tarefas, isso demonstra a independência deles. Porém, na prática, um Poder depende do outro para realizar suas atribuições e é por isso que se exige a harmonia entre os Poderes.

4. A importância das redes sociais para a Democracia Participativa

Depois da compreensão de todos estes conhecimentos técnicos, deve-se chegar nesta conclusão: O Brasil é um país complexo e trabalha de forma descentralizada.

Como vivemos numa intensa vida virtual, os Órgãos dos Três Poderes começaram a criar perfis nas redes sociais para noticiar seus atos e fatos diários; a rede mais usada é o facebook.

Nele contém páginas dos Tribunais, Ministérios Públicos, Câmara dos Deputados, Senado Federal, Presidência da República e etc.

E o mais interessante: toda vez que um Órgão noticia um ato ou fato, a população comenta, curte, compartilha e reage (pelo facebook) contra ou a favor do que está sendo noticiado.

Esta ideia é muito semelhante aos institutos do Plebiscito e Referendo.

Plebiscito se trata de uma consulta popular prévia a uma determinada matéria que será encaminhada para o Congresso Nacional, já o Referendo de uma consulta popular posterior, para que determinado ato governamental seja confirmado ou rejeitado.

E assim vai se desenhando o Novo Brasil, a Nova Política, um País que preza pela participação popular e repudia qualquer ato de corrupção e uma Política que prega a paz social, a convergência de interesses e a satisfação do interesse público.


Autor


Informações sobre o texto

Este texto foi publicado diretamente pelo autor. Sua divulgação não depende de prévia aprovação pelo conselho editorial do site. Quando selecionados, os textos são divulgados na Revista Jus Navigandi.

Comentários

0

Autorizo divulgar minha mensagem juntamente com meus dados de identificação.
A divulgação será por tempo indeterminado, mas eu poderei solicitar a remoção no futuro.
Concordo com a Política de Privacidade e a Política de Tratamento de Dados do Jus.

Regras de uso