Cuidar a aparência pessoal é fundamental para o desenvolvimento profissional.

A profissão advocática tem características próprias tão consistentes a ponto de estabelecer um Código de Ética severamente regulamentador, restringindo os atos do profissional sob condições específicas e por conceitos próprios. É por sinal uma profissão igual a qualquer outra que está sujeita às condições adversas e normas naturais do mercado/sociedade, o que faz repensar a forma de atuação. E como qualquer outro profissional o Advogado deve ser antes um empreendedor.

O primeiro passo a ser observado neste contexto diz a respeito do marketing pessoal, não se limitando apenas na apresentação profissional. É fundamental que seja trabalhada a postura, aparência pessoal, a qualidade da escrita, a forma de comunicação clara e objetiva aos clientes sem um linguajar técnico, o relacionamento com os colegas, gestos e expressões e policiar a forma de tonalidade e a articulação da voz.

Isso faz parte da aparência profissional e do marketing pessoal. Vejamos que esses atos não estão restritos apenas no ambiente ou na relação de trabalho, esses requisitos devem permanecer inseridos no dia-a-dia pessoal mesmo que distingue claramente da profissão. Dessa forma, numa partida de futebol ou num dos bares da capital, o profissional deve se comportar como tal, levando contigo todas as composturas exigidas e praticadas no ambiente e nas relações de trabalho para assim não frustar as expectativas daqueles que desse comportamento espera.

Para manter a boa imagem profissional, é fundamental ao advogado causar as primeiras boas impressões aos futuros clientes e aqueles que possivelmente um dia virá a ser, e da mesma forma com os colegas. Conhecer a etiquetagem, saber se vestir de forma adequada e se comportar de maneira compatível com os diferentes ambientes, ser solidário, natural e simples, demonstra simpatia e domínio da profissão e nas relações interpessoais, uma vez que  deste profissional é esperado tais condutas.

Por final, é melhor  evitar o erro do que posterior ter que corrigi-lo por ingerência anterior. Uma imagem queimada fica mais cara para repor do que construí-la na forma correta desde o início.

Leia também. Você vai gostar de:

10 razões pelo qual o Advogado deve blogar

6 alternativas gratuitas ao Evernote

Rodrigues de Sousa

Marketing jurídico e especial

www.sisbran.com


Autor


Informações sobre o texto

Dicas de etiquetagem mínima do profissional evitando o frustramento das expectativas.

Este texto foi publicado diretamente pelo autor. Sua divulgação não depende de prévia aprovação pelo conselho editorial do site. Quando selecionados, os textos são divulgados na Revista Jus Navigandi.

Comentários

0

Livraria