Meus pais tiravam o sustento da família no bar, isto de segunda a segunda não tinha feriado alias nos feriados o movimento era mais intenso.

RECORDAÇÃO

Sou de uma família humilde meus pais labutaram na vida para poder dar conforto aos filhos, mas a luta foi árdua.

Tudo começou em um comércio, um bar chamado de RITZ BAR.

Quem não se lembra do RITZ BAR ( ITAPEVA-MG) onde tinha o melhor sorvete e o melhores pastéis e coxinhas.

Minha mãe ficava o dia todo preparando os pastéis e coxinhas e no fim de semana o delicioso pernil acebolado e nós ficávamos atrás do balcão. Sábado e domingo era aquela briga , porque todos queriam sair (passear), mas tínhamos que ajudar meu pai .

Sábado e domingo era complicado porque era o encontro dos boêmios e eles ficavam até de madrugada bebendo cerveja e ouvindo os discos de vinil – Pedro Bento e Zé da Estrada- Miltinho Rodrigues- Nelson Gonlçaves- Du Ciriema e outros eram uma disputa para ver quais grupos bebiam mais cervejas e no final a contagem das garrafas, mas na hora de pagar falavam pendura ai ta depois eu acerto isto ia até por volta das 3 horas da madrugada.

Quando eles resolviam brigar nossa era muito estressante.

Meus pais tiravam o sustento da família no bar, isto de segunda a segunda não tinha feriado alias nos feriados o movimento era mais intenso.

Em dias de jogos do SELETO FUTEBOL CLUBE aos domingos. La ia eu com a caixa de isopor lotado de sorvete para vender no campo, isto era rotina todos os domingos.

Com o tempo meu pai adquiriu uma Perua Kombi (taxi) eu e meus irmãos fazíamos viagem para todos os lugares, para Aparecida era constante teve uma viagem que meu irmão estava indo e pegou fogo na Kombi, queimou todinha sorte que não feriu ninguém.

Comecei a estudar porque levava os alunos na faculdade e aproveitei a carona e conclui o curso de direito isto graça ao meu pai que cedeu a Kombi para levar os alunos.

No dia de natal o almoço não era só para a família e sim para todos que encontravam no bar principalmente para aqueles que não tinham família já era tradicional no dia de natal.

Meus irmãos também conseguiram formar com a ajuda dos pais tudo saía do bar.

Meus pais foram lutadores não tiveram herança só trabalhavam, minha mãe na cozinha e meu pai atrás do balcão, e com fé e luta conseguiram dar aos filhos uma boa educação, fizeram o que podiam para os filhos.

Sou grato aos meus pais que hoje estão junto de Deus olhando por nós.

Obrigado por tudo.


Autor

  • Sergio Francisco Furquim

    Advogado.<br>Especialização: Direito Previdenciário pela Escola <br>Paulista de Direito Social.<br>Presidiu a Subseção OAB/CAMANDUCAIA-MG no período de 2002 a 2012.<br>Recebeu Moção de Aplauso da Câmara Municipal de Camanducaia -2008/2012.<br>Desenvolveu um trabalho " OAB CIDADÃ ( Video YOTUBE -Parte 1 e 2 )<br>Autor dos Livros: Mensagens Positivas e Artigos de Refletem a Realidade Brasileira e Você é o Construtor do seu Futuro.

    Textos publicados pelo autor


Informações sobre o texto

Este texto foi publicado diretamente pelo autor. Sua divulgação não depende de prévia aprovação pelo conselho editorial do site. Quando selecionados, os textos são divulgados na Revista Jus Navigandi.

Comentários

0

Livraria