QR Code: agora uma realidade!

Brado desde 2011 que o uso do QR Code na advocacia era algo útil e poderia ser utilizado em escala, tanto que recentemente uma notícia abalou o mundo jurídico como novidade: um advogado, ao usar um QR Code para explicar em video a sua petição, ganhou uma antecipação de tutela.

Vejamos um trecho da notícia:

O juiz de Direito José Maria Nascimento, do 13º JECiv de Natal/RN, destacou o uso de um QR Code na petição inicial de uma ação de obrigação de fazer combinada com indenizatória ao conceder uma antecipação de tutela. De acordo com o disposto na decisão, a prova anexada por meio do QR Code foi fundamental para comprovar o fato que motivou a ação.

A ação questionava a suspensão de uma linha telefônica pela empresa Telemar Norte S/A, conhecida pelo nome fantasia “Oi”. A autora alegou que pagou a fatura que teria gerado a suspensão da linha e juntou tanto o comprovante de pagamento, quanto o aviso da operadora de que aquela fatura específica teria gerado a suspensão.

No entanto, além da inclusão dos documentos impressos, o autor da ação inovou ao adicionar um QR Code, bem como um hiperlink, na petição enviada através do PJE.

Fonte: http://www.migalhas.com.br/Quentes/17,MI266680,21048-QR+Code+usado+em+peticao+inicial+garante+antecipacao+de+tutela

Muitos acharam isto uma novidade quente, contudo, já não é. QR Codes são amplamente utilizados por empresas e no universo jurídico fora do Brasil há muito tempo.

O primeiro artigo que escrevi sobre este tema foi em 2011, há 6 anos. Inclusive lá explico detalhadamente como obter, criar e usar um QR Code, acesse: https://gustavorochacom.com.br/?s=qr+code

Por óbvio, o importante desta notícia é que ela nos revela algo essencial hoje no mercado jurídico: PRECISAMOS NOS REINVENTAR SISTEMATICAMENTE para permanecer no mercado.

A tecnologia só vale a pena se for útil, então não perca tempo com tecnologias que você não usa ou não quer nem saber de usar.

Faça um exercício simples agora, neste momento: Acesse seu celular e olhe todos os aplicativos ali instalados. Quais você realmente usa e quais estão ali ocupando apenas espaço? Por que não delatar do celular aplicativos inúteis a sua realidade?

O mesmo vale para petições: Por que não deletar páginas e mais páginas de jurisprudência que todo mundo está careca de saber? Por que não tentar qr cores com videos ou links para sites com matérias atualizadas sobre o tema que está sendo objeto de litígio?

Pensar vem antes da tecnologia. Gestão, idem. Tecnologia, só se for útil!

#PenseEFETIVAMENTENisto

____________________________________________________
Sou Gustavo Rocha
CEO da Consultoria GustavoRocha.com – Gestão, Tecnologia e Marketing Estratégicos
(51) 98163.3333  |  gustavo@gustavorocha.com  | http://www.gustavorocha.com


Autor


Informações sobre o texto

Este texto foi publicado diretamente pelo autor. Sua divulgação não depende de prévia aprovação pelo conselho editorial do site. Quando selecionados, os textos são divulgados na Revista Jus Navigandi.

Comentários

0