O número de imóveis leiloados tem triplicado e ainda há muita gente que não domina o assunto, não sabem exatamente quais são as razões pra isso acontecer ou como se programar e se prevenir para evitar que seu imóvel seja levado a leilão.

Se você estiver inadimplente e não tiver condições de regularizar a situação, é possível tentar um acordo com o fornecedor e até mesmo pedir o reembolso de parte do valor já pago. Porém, é necessário entender e analisar muito bem o caso antes de tomar qualquer decisão.

O artigo 53 do Código de Defesa do Consumidor, estabelece que: "Nos contratos de compra e venda de móveis ou imóveis mediante pagamento em prestações, bem como nas alienações fiduciárias em garantia, consideram-se nulas de pleno direito as cláusulas que estabeleçam perda total das prestações pagas em benefício do credor que, em razão do inadimplemento, pleitear a resolução do contrato e a retomada do produto alienado".

Os proprietários que tenham seus imóveis envolvidos nessas situações tem direito a ampla defesa e ao contraditório, direitos emanados da Constituição Federal. A cada caso concreto, o procedimento para exercitar o seu direito de defesa é diverso, mas para a validade do processo que culmina com o leilão do imóvel, há necessidade de se respeitar e cumprir à risca todos os ditames legais. Caso contrario, o leilão padece de nulidade.

Além do medo de perder o imóvel por ausência no pagamento das prestações, há outras dívidas que geram dúvidas, impostos por exemplo. Nós juntamos informações sobre as possibilidades de perda de imóveis para ajudar e esclarecer em um FAQ que você consegue baixar clicando aqui.


Autor

  • Hoffman & Silva

    Hoffman & Silva Advocacia teve sua primeira fundação em 1989, por Elizabeth Imaculada Hoffman de Jesus, logo após sua formação na Universidade Presbiteriana Mackenzie, com o intuito de aplicar seus conhecimentos em prol do direito e da justiça.

    O escritório atua na área civil, trabalhista, assessoria jurídica, famílias e sucessões sempre com o máximo empenho e dedicação para com os seus clientes. Reflexo disso é a ausência de qualquer tipo de reclamação ou representação do conselho de ética dos advogados.

    Textos publicados pelo autor

    Fale com o autor


Informações sobre o texto

Este texto foi publicado diretamente pelo autor. Sua divulgação não depende de prévia aprovação pelo conselho editorial do site. Quando selecionados, os textos são divulgados na Revista Jus Navigandi.

Comentários

0

Livraria