5 Mudanças significativas tomadas durante o enfrentamento

De acordo com o Dr. Frederico Carbone pesquisar italiano do fenômeno COVID-19 em seu artigo SARS-Cov-2 outbreak and lockdown in a Northern Italy hospital. Comparison with Scandinavian no-lockdown country, o lockdown foi uma medida preventiva tomada para diminuição do contágio que se dava quase que de imediato ao conhecimento do COVID-19 no território, porém, sua eficácia é relativa e variáveis devem ser consideradas, não podendo ser aplicado em todos os lugares.

Três semanas foram necessárias para o contágio em todo o território da Itália e após este período foi declarado o lockdown, sobre o qual pode se ver certo declínio no número de contagiados, mas em números menores do que os esperados por suas autoridades.

No caso Suécia, a curva de contágio não parecia diminuir e os testes passaram a ser feitos cada vez em mais pessoas que assintomáticas, aderiram ao isolamento social.

6-Gráfico de desenvolvimento dos casos confirmados/mortes - Itália

Fonte: World Health Organization Coronavirus Disease (COVID-19) Dashboard

O Dr. Frederico aponta ainda que temos de considerar que, no geral, a densidade populacional da Itália é dez vezes maior que a da Suécia, existindo cidades que esse nível de densidade é o dobro.

Em outro aspecto, se tornam similares entre os países a letalidade e os índices distribuição da doença através da idade e do sexo; assim como, a transmissão via assintomáticos.

Além dos cuidados gerais e extra-hospitalar, a preparação do ambiente hospitalar específico à cada tipo e fase do contágio se demonstrou efetiva na prevenção da contaminação interna, assim como para diminuir o tempo no nosocômio.

Um ponto essencial da mudança de comportamento frente ao vírus, foi a tomada de consciência da relevância do tratamento nas primeiras semanas do contágio. Isto, porque, a detecção tardia de um grande número de pessoas demonstrou que nas primeiras semanas os sintomas respiratórios e febre do vírus não foram apresentados.

Assim, este foi o ponto de mudança da estratégia de combate ao COVID-19. No entanto, semanas após a determinação do lockdown a taxa de contaminação voltou a subir.

 

7-Gráfico Comparativo Geral - Itália/Suécia

Fonte: artigo SARS‐CoV‐2 outbreak and lockdown in a Northern Italy hospital. CARBONE, Frederico

Sendo assim o lockdown um fator de diminuição do contágio, que em números menores do que os esperados, pode contribuir com a maior mudança de parâmetro que as alterações feitas nos procedimentos hospitalares, como por exemplo, a limitação de entrada de não paciente especialmente em locais nos quais a rede de saúde é única.

Questionado sobre a cientificidade das medidas tomadas na Suécia, o epidemiologista chefe respondeu dizendo que todas as medidas lá tomadas são baseadas nos recentes dados científicos captados até o momento, da mesma forma que as decisões sobre os lockdowns, que não possuem comprovações finalísticas de sua eficiência científica.

Com a leitura dos dados desta coletânea que atualmente não se tem por conclusivo o cenário da crise epidêmica. A compreensão de científica possui uma gama de dados muito recentes, o suficiente para não terem apresentados diversidade de efeitos o suficiente para terem seus efeitos ao menos previstos.

A Suécia tem apostado suas fichas em um planejamento dito sustentável e a longo prazo. Isto, justificado por uma política que racionaliza as perdas e ganhos, especialmente, no que se refere ao ambiente doméstico social.

Verdade é que, em comparação com os paradigmas eleitos nesta coletânea, a implementação do lockdown se mostrou ato de grande eficiência na queda dos números de contágio e letalidade.

No entanto, a política adotada pelos suecos nesta crise aposta na imunização da população adulta e na otimização da reação da sociedade por força da melhor sanidade do ambiente social. Acreditando que na hipótese de novas ondas de contágio pelo COVID-19.

Fica evidente o alto grau de confiança que o governo obteve junto aos seus cidadãos suecos. No entanto, um dos fundamentos para essa relação possivelmente fica demonstrado como sendo o respeito à autonomia responsável da população.

De modo geral, a Suécia vem acompanhando os patamares econômicos paradigmas dos outros chamados pequenos Estados europeus. E sua opção por uma medida alternativa de enfrentamento ao COVID-19, de forma contextualizada, se mostra coerente com o histórico político-cultural e objetivos do país.


6 Contexto histórico-cultural e socioeconômico

No contexto do liberalismo econômico, a Suécia é um caso de excepcional relevância. Pois, apesar de servir-se de uma administração assistencialista voltado ao Estado de bem estar social, também desponta através de medidas que a colocam com um dos países mais abertos ao mercado internacional, livre comércio; grande proteção à pessoa jurídica e iniciativa privada.

Segundo o ranking de liberdade econômica do Instituto Fraser, em 2017 a Suécia ocupava a posição de número 35 entre 162 países. Como comparativo, neste mesmo ranking, o Brasil  ocupava a 120° posição.

8-Ranking de liberdade econômica de 2017

Fonte: Fraser Institute. Economic Freedom Ranking.

O grande crescimento da economia sueca se deu por quase um século, entre 1870 e 1970, período no qual a Suécia foi uma das nações na liderança do crescimento econômico-financeiro.

9-Tabela de crescimento anual do PIB

Fonte: KRANTZ, Olle. Economic Growth and Economic Policy in Sweden in the 20th Century: A Comparative Perspective. Folha 3

O crescimento da Suécia no início do século XX se deu pelo conjunto de sua industrialização e ampliação da malha ferroviária, assim como o ótimo cenário de crescimento internacional. A indústria automotora e dos bens de consumo em geral se consolidou até a década 1950-60.

Outro fator preponderante ao histórico político-econômico da Suécia e sua posição de neutralidade tanto na 1° Grande Guerra, quanto na 2° Grande Guerra Mundial. O que possibilitou, ainda neste período turbulento, pagamento de grande montante da dívida externa e estabilidade inflacionária e fortalecimento de suas finanças.

O crescimento moderno implica em dependência entre mercados, especialmente, quando referido aos pequenos Estados com pequenos mercados internos.

Em 1970, com influência do teórico Katzenstein e do Neocorporativismo no meio nórdico e escandinavo, os considerados estados menores tiveram um aumento substancial em suas relações internacionais.

10-Ranking dos 25 países mais globalizados

Fonte: Measuring Globalization, Foreign Policy, January/February 2001.

Neste contexto, a Suécia muito se aplica às políticas de empregabilidade do país. Exatamente como forma de equilibrar a dependência do mercado externo com seu ambiente econômico interno do estado de bem estar social. No entanto, isto evidencia os altos níveis de taxação interna e a forte tendência inflacionária do país.

No mesmo sentido, há uma grande diversidade de subsídios governamentais em prol da classe industrial. Exemplo disso, na década de 1970, é que a crise do petróleo abalou justamente este cenário globalizado no qual a Suécia foi rapidamente afetada por sua estreita ligação com o meio petrolífero.

Havendo a necessidade de intervenção direta do governo que, através de comprar e subsídios, manteve a vitalidade da especializada indústria naval sueca. O posicionamento governamental perdurou até cerca de 1985, quando outras indústrias como a automobilística tomaram maior relevância nacional por sua maior lucratividade.

11-Tabela de subsídios à indústria sueca 1971/1980

Fonte: OCDE. Imbalances in the shipping industry and assessment of policy responses. Paris, 2017. Folha 56

12-Tabela de subsídios à indústria náutica sueca 1971/1980

Fonte: OCDE. Imbalances in the shipping industry and assessment of policy responses. Paris, 2017. Folha 57

Essas condições da indústria sueca, apesar de relativamente terem sidos mantidas as de empregabilidade, muito se perdeu no quesito da competitividade. Desta forma, um cenário doméstico de instabilidades social estava imposto.

13-Tabela jovens suecos desempregados 1963/1981

Fonte: GINSBURG,Helen. How Sweden combats unemployment among youg and older workers

Assim, os subsídios passaram a ter outras finalidades mais individuais e direcionadas à população. E, como dito anteriormente, a indústria naval foi praticamente encerrada com o fim do interesse subsidiário do governo sueco.

14-Gráfico da capacidade produtiva da indústria naval sueca 1970/2015

Fonte: OCDE. Imbalances in the shipping industry and assessment of policy responses. Paris, 2017. Folha 56

Foram implementadas políticas assistenciais voltadas ao trabalho de jovens, como o incentivo dos estudos técnicos profissionais desde, em trabalho conjunto entre os meios escolares e profissionais locais, assim como, foram criadas ferramentas de proteção ao trabalho dos cidadãos de maior idade.

Este processo político levou a um reforço nas relações entre o governo central e as autoridades administrativas locais descentralizadas. Consequentemente, podemos notar o traço histórico, da atualmente percebida, confiança social da população.

Contudo, é inegável o salto dos gastos públicos em relação ao produto interno do país, que de 1960 a 1995 mais que dobrou, passando de 31% a 66%.


Autor


Informações sobre o texto

Como citar este texto (NBR 6023:2018 ABNT)

MARQUES JUNIOR, Ardim Dutra. O case sueco de enfrentamento ao covid-19. Revista Jus Navigandi, ISSN 1518-4862, Teresina, ano 25, n. 6258, 19 ago. 2020. Disponível em: https://jus.com.br/artigos/84688. Acesso em: 26 jan. 2022.

Comentários

0

Autorizo divulgar minha mensagem juntamente com meus dados de identificação.
A divulgação será por tempo indeterminado, mas eu poderei solicitar a remoção no futuro.
Concordo com a Política de Privacidade e a Política de Tratamento de Dados do Jus.

Regras de uso