O grande desafio do advogado para comprovar suas alegações no processo trabalhista, é que seu cliente traga testemunhas que tenham conhecimento dos fatos que por ele foi noticiado.

O grande desafio do advogado para comprovar suas alegações no processo trabalhista, é que seu cliente traga testemunhas que tenham conhecimento dos fatos que por ele foi noticiado.

Sempre nos deparamos com situações onde clientes nos procuram, confirmam que tem testemunhas, e principalmente as trarão no dia da audiência, e chegando lá, para nossa surpresa, a testemunha não compareceu.

Quantas vezes nas salas de espera vi colegas frustrados, porque sabiam que não poderiam comprovas suas alegações, porque a testemunha do seu cliente simplesmente não compareceu.

E o que devo fazer para garantir que a testemunha do meu cliente compareça na audiência, e assim consiga comprovar minhas alegações?

Como advogado do Reclamante, é importante fazer sempre uma entrevista com o Reclamante e sua testemunha juntos, podendo inclusive ser feita antes da distribuição da ação, ou no mínimo, antes da audiência, para que assim você obtenha todas as informações por completo.

A grande sacada neste caso, é você durante a entrevista, anotar o nome completo da sua testemunha, bem como seus dados pessoais (RG e endereço), para assim, arrolar essa testemunha e pedir que ela seja intimada, nos termos do parágrafo únicodo artigo 825 da Consolidação das Leis do Trabalho, que diz “As (testemunhas) que não comparecerem serão intimadas, ex officio ou a requerimento da parte, ficando sujeitas a condução coercitiva”.

Como advogado da Reclamada, da mesma forma, é necessária uma entrevista com o preposto e com as testemunhas antes do dia da audiência, e assim, elaborar um convite, caso a audiência seja Una, ou se for audiência inicial, você deve deixar o nome dela em ata, comprometendo-se a notifica-la, e se no dia da audiência ela não comparecer, estando o nome dela em ata, haverá meios legais para que seja resignada a data da audiência.

Desta forma, se a sua testemunha não vier no dia da audiência, seu processo não estará prejudicado, vez que ocorrendo o convite e a testemunha estiver ausente, você deve informar ao juiz o ocorrido, e pedir que seja resignada uma nova data, e assim é possível comprovar suas alegações com a vinda da testemunha em data posterior.



Autor


Informações sobre o texto

Este artigo foi desenvolvido para o blog www.advocaciapratica.com. O blog surgiu do desejo de contribuir com jovens advogados, dividindo experiências sobre a prática da advocacia.

Este texto foi publicado diretamente pelo autor. Sua divulgação não depende de prévia aprovação pelo conselho editorial do site. Quando selecionados, os textos são divulgados na Revista Jus Navigandi.

Comentários

0

Livraria