Uma história triste em Minas Gerais, a lamentável posição da Vale diante de uma tragédia.

"Minha Redação de Casa

Era uma vez uma mineradora grande, que guardava a lama de resíduos em suas barragens. 

As barragens, entretanto, eram mal construídas e não comportavam mais a quantidade de dejetos; as barragens se romperam. 

E assim acaba a nossa história. 

E assim acabam as histórias de vidas inteiras..."

...

A lama descendo engoliu bicho que fala, e bicho que pasta, e até bicho que voa. Engoliu veículos e muros, e igrejas e ainda escolas. Engoliu as plantas e as casas e os aconchegos tão sagrados de famílias inteiras. 

Causa estranheza o silêncio sepulcral de uma empresa bem "modesta", que chamávamos antigamente de Companhia Vale do Rio Doce (foi assim que aprendi no colégio), e que agora só se chama Vale.

Essa companhia é controladora da metade da Samarco, a grande vilã do episódio. E está calada, como se não existisse. Não diz nada, e apenas observa. Perinde ac cadaver.

Dessa forma, em meio a todo esse mar de lama eu ainda me pergunto: 

Por que o silêncio, Vale?

- Porque o silêncio vale...

Ou cadê o vale, hoje encoberto?

Ou cadê a Vale? Encoberta o encoberto, Vale? 

Isso vale? Ou isso não vale? Ou apenas isso não, Vale?

As ações da Vale despencaram em todo o Mercado; só que a ausência das ações no vale despencaram todo o próprio vale! E levaram junto o mercado; e a padaria; e lavouras; e as gentes todas que estavam no caminho. 

Vale vale Vale... Mas não vale a pena. Aliás, Vale tem pena?

Vamos ver o quanto vale para o vale a vida humana. Vamos ver o quanto vale tudo isso para a tal da Vale.

E encerro hoje, exaurido e estarrecido, com estrofe de um genial poeta, sobrenome Andrade, também lá das nossas Minas, e que clama em sincero e impotente desespero pela gente que ficou sem nada:

"... Com a chave na mão

quer abrir a porta,

não existe porta;

quer morrer no mar,

mas o mar secou;

quer ir para Minas,

Minas não há mais.

José, e agora?

(...)’


Autor

  • Andre Rodrigues Costa Oliveira

    Andre Rodrigues Costa Oliveira é advogado e consultor militante em Brasília-DF, também com atuação em diferentes Unidades da Federação. MBA Executivo pelo Instituto COPPEAD-UFRJ (administração e negócios), Doutorando pela Universidade Católica Argentina - UCA. Docente em instituições de ensino superior de graduação e pós-graduação, palestrante e conferencista.

    Textos publicados pelo autor

    Fale com o autor

    Site(s):

Informações sobre o texto

Este texto foi publicado diretamente pelo autor. Sua divulgação não depende de prévia aprovação pelo conselho editorial do site. Quando selecionados, os textos são divulgados na Revista Jus Navigandi.

Comentários

0

Livraria