REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

 

BARROS, Lúcio Alves de. Sobre o individualismo metodológico no pensamento social. Disponível  em: <https://www.academia.edu/13176211/sobre_o_individualismo_metodológico_no_pensamento_social>. Acesso em 28 nov 2016.

 

COHEN, Gabriel. Introdução. In: COHN, Gabriel. (Org.). WEBER, Max. Sociologia. São Paulo: Ática, 2004.

 

DINIZ, Eli. Governabilidade, Democracia e Reforma do Estado: Os Desafios da Construção de uma Nova Ordem no Brasil dos Anos 90. In: DADOS – Revista de Ciências Sociais. Rio de Janeiro, volume 38, no 3, 1995. pp. 385-415.

 

DUBROW, Joshua Kjerulf. Governança Global Democrática, Desigualdade Política e a Hipótese da Resistência Nacionalista. Sociologias. Porto Alegre, ano 15, n. 32, p. 94-110. Jan. 2013.

 

FINKELSTEIN, Lawrence S. “What is Global Governance”. Associação de Estudos Internacionais, Vancouver, 1991. pp. 367-372.

 

GOULART, Fernando Antonio Leite; GOMES, Eduardo Rodrigues. Desafios da Governança e Transparência na regulamentação técnica do comércio internacional de produtos agrícolas e industriais. Niterói, Ed.: II Simpósio Internacional de Transparência nos Negócios, ano 2008. Disponível em: <http://repositorios.inmetro.gov.br/bitstream/10926/1336/1/2008_GoulartGomes.pdf.pdf> Acesso em 10/06/2016.

 

HOWARD, Lisa Morje. Sources of Change in United States - United Nations Relations. Global Governance, v. 16, p. 485-503, 2010.

 

KEOHANE, Robert O. Global Governance and Democratic Accountability. United Nations Public Administration Network (UNPAN) 2002. Disponível em: <http://unpan1.un.org/intradoc/groups/public/documents/apcity/unpan034133.pdf> Acesso em 23 nov 2016.

 

KRAHMANN, Eike. National, Regional and Global Governance: One Phenomenon or Many? Global Governance, v. 9, p. 323-346, 2003.

 

KRATOCHWIL, Friedrich; RUGGIE, John Gerard. A Stage of the Art on an Art of the State. Michigan, Ed.: The MIT Press, International Organization, v. 40, n. 4,,ano 1986, p.753-775. 

 

LEE, Yuan-Tseh. Challenges Facing Human Society en the 21st Century. In: BURAWOY, Michael. Ed. Facing an Unequal World: Challenge for a global sociology. Taiwan: Institute of sociology, Academia Sinica, 2010. p. 28-34. v.1. Disponível em: <http://www.ios.sinica.edu.tw/cna/download/proceesings/02.Lee.Opening.pdf>. Acesso em 14/nov/2016.

 

LOMBORG, Bjorn. The Skeptical Environmentalist: Measuring the Real State of the World. Cambridge University Press, Cambridge, UK, 2001. 

 

LORENZETTI, Julia Vaz; CARRION, Rosinha Machado. Governança ambiental global: atores e cenários. Cadernos EBAPE. BR, v. 10, n. 3, p. 721-735, 2012.

 

MARKOFF, John. Globalization and the future of Democracy. Journal of World Systems Research. v.5, n.2, 1999. Disponível em: <http://jwsr.edu/archive/vol5/number2/v5n2_split/jwsr_v5n2_markoff.pdf> Acesso em 14/nov/2016.

 

MONTEIRO, J. Cauby S; CARDOSO, Adalberto Trindade. Weber e o individualismo metodológico. Anais do 3º Encontro Nacional da ABPC - Associação Brasileira de Ciência Política. Niterói - RJ, jul 2002.

 

OLIVEIRA, Carla Montefusco. Método e sociologia em Weber: alguns conceitos fundamentais. Revista Eletrônica Inter-Legere. n. 3, 2008.

 

PLATIAU, Ana Flávia Barros; VARELLA, Marcelo Dias; SCHLEICHER, Rafael T.. Meio Ambiente e Relações Internacionais: perspectivas teóricas, respostas institucionais e novas dimensões de debate. Ed.: Rev. Bras. Polít. Int. 47 (2): 100-130, 2004. 

 

RAMOS, Guerreiro. A sociologia de Max Weber: sua importância para a teoria e a prática da Administração. Revista do Serviço Público. Brasília. v. 57, n. 2, p. 267-282, 2006.

 

ROSA, Breno Augusto Alves Pereira; BUENO, Ironildes. O panorama contemporâneo da governança global do meio ambiente: atores e desafios. World Citizen Magazine, v. 1, n. 1, 2013.

 

ROSENAU, J. N.; CZEMPIEL, E. (Eds.). Governance without government: order and change in world politics. Cambridge: Cambridge University Press, 1992. 

 

STEFFEN, Will; CRUTZEN, Paul J.; MCNEILL, John R. The Anthropocene: are humans now overwhelming the great forces of nature. AMBIO: A Journal of the Human Environment, v. 36, n. 8, p. 614-621, 2007.

 

STEFFEN, Will et al. Global change and the earth system: a planet under pressure. Springer Science & Business Media, 2006. Disponível em <http://www.igbp.net/download/18.1b8ae20512db692f2a680007761/IGBP_ExecSummary_eng.pdf>

 

TOMASSINI, Luciano. Governabilidad y Políticas Publicas em America Latina. In: FLÓREZ, Fernando Carrillo (editor). Democracia em déficit. Gobernabilidad y desarollo em América Latina y el Caribe. Washington, DC: Banco Interamericano de Desarollo, 2001.

 

WEBER, Max. Economia e Sociedade: fundamentos da sociologia compreensiva. Tradução Regis Barbosa e Karen Elsabe Barbosa; revisão técnica Gabriel Cohen. Brasília, DF: UnB: São Paulo: Impresa Oficial do Estado de São Paulo, 1999a.

 

____________. A objetividade do conhecimento nas Ciências Sociais. In: WEBER, Max. Metodologia das Ciências Sociais, Parte 1. São Paulo/Campinas: Editora Cortez, Editora da Universidade Estadual de Campinas, 1999b.

 

____________. Metodologia das Ciências Sociais, Parte 2. São Paulo/Campinas: Editora Cortez, Editora da Universidade Estadual de Campinas, 1992.


Autor

  • Karina Martins

    Mestre em Direitos Humanos, Cidadania e Violência pelo Centro Universitário Euro-Americano (2015-2017). Especialista em Direito Agroambiental e Sustentabilidade pela Universidade Federal de Mato Grosso (2015). Especialista em Direito e Processo Civil pela Universidade Cândido Mendes - RJ (2008). Possui graduação em Direito pela Universidade de Cuiabá (2002). Docente no Centro Universitário Euro-Americano em Brasília-DF.

    Textos publicados pela autora

    Fale com a autora


Informações sobre o texto

Artigo apresentado como avaliação na disciplina intitulada Estado e Sociedade em Max Weber, ministrada, no Mestrado em Direitos Humanos, Cidadania e Violência com ênfase em Ciência Política, pelo Dr. Manoel Santana Cardoso (http://lattes.cnpq.br/8781184785858606), em 02 de novembro de 2016.

Este texto foi publicado diretamente pela autora. Sua divulgação não depende de prévia aprovação pelo conselho editorial do site. Quando selecionados, os textos são divulgados na Revista Jus Navigandi.

Comentários

0