7.    CONSIDERAÇÕES FINAIS E CONCLUSÃO                                                   

Com tudo que vimos fica mais do que claro a importância do trabalho da perícia criminal no local de crime e a extrema importância de um correto isolamento e sua devida preservação desde o primeiro policial a chegar ao local. A interdisciplinaridade do direito e ciência é a base da perícia, e para garantir que a ciência tenho sua total eficácia na hora de se realizar os exames dos vestígios coletados, e de se garantir o direito de uma correta cadeia de custódia, um local preservado é de extrema importância. Se esse conhecimento não existir por parte dos envolvidos na hora da perícia, provavelmente as perguntas feitas não serão respondidas com clareza ou talvez não tenham força suficiente para serem usadas no processo, devendo haver uma harmonia entre as áreas de conhecimento de forma a se complementarem.

Torna-se óbvio que quanto mais preservada uma cena está, ela estará o mais fiel possível de como o autor a deixou, facilitando assim com que os peritos encontrem ali o que o autor esqueceu-se de limpar ou mesmo nem viu que estava deixando de vestígio no local.

A ciência evolui e a perícia evolui junto, de forma que os peritos devam estar sempre atrás de manter seus conhecimentos atualizados para poder acompanhar o ritmo, de forma que a evolução da perícia acompanhe o ritmo da evolução da ciência, trazendo para a evidência encontrada um valor probatório imenso. O reconhecimento e investimento no melhoramento de equipamentos e aumento do quadro de peritos é fator fundamental para caminhar no sentido da evolução e que para que cada vez mais resulte na produção de provas que formaram os elementos probatórios e possibilitem um laudo que ajude aos magistrados a proferirem suas decisões pela livre apreciação de provas, sendo um elemento fundamental para a realização da justiça.

Com o laudo do perito, ele estará perpetuando a materialidade daquele crime, e fazendo que com que quem o leia, entenda perfeitamente a dinâmica do delito. O perito precisa ter em mente que o laudo dele poderá colocar um culpado atrás das grades, mas também poderá libertar um inocente que está sendo acusado, e isso é de uma responsabilidade enorme.


8.    BIBLIOGRAFIA

Superintendência da Polícia Técnico-Científica. Disponivel em: <http://www.policiacientifica.sp.gov.br/ic-instituto-de-criminalistica/>. Acesso em: 2018.

BRASIL. Decreto Lei nº 3.689 de 03 de Outubro de 1941. Código Processo Penal, 03 outubro 1941.

COUTO, S. P. Manual de investigação forense. São Paulo: Ideia e Ação, 2010.

DOREA, L. E. Local de crime. 2ª. ed. Campinas: Millennium Editora, 2012.

FERREIRA, A. L. P. Noções básicas de preservação de local de crime. Administradores, 2012. Disponivel em: <http://www.administradores.com.br/artigos/negocios/nocoes-basicas-depreservacao-de-local-de-crime/60744/>. Acesso em: 06 jun. 2018.

FERREIRA, L. H. C.; FERREIRA, N. J. C. INVESTIGAÇÃO CRIMINAL - um estudo metodológico. 1ª. ed. Salvador: OSPBA, 2011.

GHELFI, R. Perícia criminal trabalha sem um terço de seu efetivo em SP. DCI, 2018. Disponivel em: <https://www.dci.com.br/dci-sp/pericia-criminal-trabalha-sem-um-terco-de-seu-efetivo-em-sp-1.726384/3.299705>. Acesso em: 12 set. 2018.

LIMA, G. P.; PAULA, C. T. D. O PAPEL DA PERÍCIA CRIMINAL NA BUSCA DA VERDADE REAL, São Paulo. 11.

REIS, A. B. D. PERÍCIA CRIMINAL. Perícia Criminal, 2013. Disponivel em: <http://albani-perito.blogspot.com/2013/04/pericia-criminal.html>. Acesso em: 15 set. 2018.

REIS, A. B. D. Metodologia Científica em Perícia Criminal. 3ª. ed. Campinas: Millennium Editora, 2015.

RODRIGUES, C. V.; SILVA, M. T. D.; TRUZZI, O. M. S. Perícia criminal: uma abordagem de serviços. Scielo, 2010. Disponivel em: <http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0104-530X2010000400016&script=sci_abstract&tlng=pt>. Acesso em: 06 jun. 2018.

RODRIGUES, C. V.; TOLEDO, J. C. D. A medição de desempenho no serviço de Perícia Criminal: proposição e aplicação em uma unidade pericial, São Paulo, Fe/Mar 2017. 29.

SINBIESP. Ministério da Justiça divulga o primeiro diagnóstico da Perícia Criminal no Brasil. Sinbiesp, 2013. Disponivel em: <http://www.sinbiesp-biomedicina.com.br/noticias/ministerio-da-justica-divulga-o-primeiro-diagnostico-da-pericia-criminal-no-brasil.html>. Acesso em: 28 set. 2018.

TRUFINI, T. V. Preservando o local de crime. Revista Jus Navigandi, 2017. Disponivel em: <https://jus.com.br/artigos/56384/preservando-o-local-de-crime>. Acesso em: 06 jun. 2018.

VADE MECUM SARAIVA COMPACTO / OBRA COLETIVA DE AUTORIA DE EDITORA SARAIVA COM A COLABORAÇÃO DE LIVIA CÉSPEDES E FABIANA DIAS DA ROCHA. Vade Mecum Saraiva Compacto. 18ª. ed. São Paulo: Saraiva, 22017.

VARGAS, J. P. S.; KRIEGER, J. R. A PERÍCIA CRIMINAL EM FACE DA LEGISLAÇÃO , Itajaí, 1º Trimestre 2014. 15.

VELHO, J. A.; COSTA, K. A.; DAMASCENO, C. T. M. Locais de Crime. Campinas: Millennium Editora, 2013. 


Nota

[1] Trecho fornecido em palestra de pericia criminal da OAB



Informações sobre o texto

Este texto foi publicado diretamente pelo autor. Sua divulgação não depende de prévia aprovação pelo conselho editorial do site. Quando selecionados, os textos são divulgados na Revista Jus Navigandi.

Comentários

0

Autorizo divulgar minha mensagem juntamente com meus dados de identificação.
A divulgação será por tempo indeterminado, mas eu poderei solicitar a remoção no futuro.
Concordo com a Política de Privacidade e a Política de Tratamento de Dados do Jus.

Regras de uso