O artigo é uma reflexão da história e da atuação do Partido Comunista do Brasil em seus 99 anos de existência.

A CONSTRUÇÃO DE UMA HISTÓRIA DE LUTA

O Partido Comunista do Brasil (PCdoB), em 25 de março completou 99 anos, este que é atualmente o partido brasileiro mais antigo em atividade.

Com fundação no ano de 1922, o partido rapidamente tornou-se uma força proativa na defesa dos interesses das classes operárias e oprimidas do país.

Sempre de forma conectada com a realidade de cada momento da vida brasileira e as necessárias transformações, o Programa do PCdoB continua na vanguarda da luta em defesa dos direitos humanos, da justiça social e um novo projeto de desenvolvimento nacional.

O Partido foi um dos primeiros a enfrentar o autoritarismo da República Velha, assim como a onda nazifascista que surgiu durante a década de 1930 e, mesmo na ilegalidade, foi uma força pujante contra a Ditadura Militar. Convém recordar que sempre foi perseguido nestes momentos históricos antidemocráticos, mas, nem por isto, perdeu sua essência e seus exemplos de heroísmo e de lideranças que sempre defenderam seus ideais, ainda que pagando com suas próprias vidas.

Em quase um século de existência e presença ininterrupta (mesmo que na clandestinidade) na vida brasileira, o Partindo sempre procurou servir à classe trabalhadora, à democracia e para a formação de uma nação soberana e desenvolvida. Com sua formação, o proletariado brasileiro passou a ter um Partido genuíno nas suas lutas, que, de maneira magistral, carrega a radiosa bandeira do socialismo, oriunda da seminal e vitoriosa Revolução acontecida na Rússia.

Nestes 99 anos de existência, o legado de dezenas de lutadoras(es), seja por aquelas(es) que tombaram pela democracia, como as guerrilheiras e guerrilheiros do Araguaia, seja por aquelas(es) que construíram sua luta por gerações lideradas por brasileiras(os) de grandeza singular como, por exemplo, Astrojildo Pereira, João Amazonas, Luiz Carlos Prestes, Oscar Niemeyer, Mario Lago, Angelina Gonçalves e tantas(os) outras(os).

O PCdoB é seminal também na participação das mulheres e minorias, sempre destacando suas lideranças passadas e atuais, tais como: Jandira Feghali, Manuela D´Avila, Vanessa Grazziotin, Luciana Santos, Perpétua Almeida, Emília Fernandes, Jussara Cony e tantas outras grandes companheiras que fortalecem a história desta quase centenária legenda.

O legado que o PCdoB deixa à nação e as(os) trabalhadoras(es) é indispensável para os próximos 100 anos, por isso, esta pequena homenagem em forma de artigo e um registro para às gerações vindouras, que irão manter o sonho de uma sociedade mais justa e igualitária e que manterão vivos os pensamentos de Marx, Engels, Lênin, Rosa Luxemburgo e tantos outros importantes pensadoras(es) comunistas.

CONCLUSÃO

A luta seguirá, principalmente contra governos genocidas e antidemocráticos que tentam implementar a necropolítica e a destruição de garantias sociais. 

O PCdoB é, e sempre será, motivo de orgulho e inspiração, para comunistas, progressistas e todas aquelas pessoas que compreendem e conseguem ler os novos desafios de ser uma(um) comunista no começo da terceira década do século XXI.


REFERÊNCIAS

COSTA, Lucas Moran; STOLZ, Sheila. Desafios a segurança e a saúde em tempos de pandemia: a Medida Provisória no 927 na contramão da garantia dos direitos humanos e fundamentais das(os) profissionais da saúde. Revista Eletrônica Direito e Política (Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Ciência Jurídica da UNIVALI), v. 15, n. 2, 2020, Itajaí, p. 577-597. Disponível em: <https://siaiap32.univali.br/seer/index.php/rdp/article/view/16864>. Acesso em: 8 de set. de 2020. Acesso em: 20 de ago. de 2020.

____. A manutenção da qualidade de segurada(o) para as(os) trabalhadoras(es) intermitentes à luz da proibição do retrocesso social. In: COSTA, Ricardo Caetano; SOARES, Hector Cury; COSTA, Eder Dion de Paula (Org.). Cadernos CIDIJUS - Volume 2. Rio Grande: IBRAJU Edições, 2020, p. 9-26. Disponível em: <http://repositorio.furg.br/bitstream/handle/1/9187/Cadernos_CIDIJUS_2.pdf?sequence=1>. Acesso em: 30 out. 2020.

Celso de Mello compara Brasil a Alemanha nazista e diz que apoiadores de Bolsonaro 'odeiam' democracia. G1. 01 de junho. 2020. Disponível em: <https://g1.globo.com/politica/noticia/2020/06/01/celso-de-mello-ve-semelhanca-entre-brasil-atual-e-alemanha-nazista-e-diz-que-apoiadores-de-bolsonaro-odeiam-democracia.ghtml> Acesso em: 05 de março de 2021.

Direitos Humanos: moral e ética. In: STOLZ, Sheila; MARQUES, Clarice Pires Marques; MARQUES, Carlos Alexandre Michaello (Orgs.). Disciplinas Formativas e de Fundamentos: Fundamentos em Direitos Humanos. Coleção Cadernos de Educação em e para os Direitos Humanos. v.7. Rio Grande: FURG, 2013f.p. p.51-61.

Nazismo no Brasil multiplica-se durante governo de Bolsonaro. Diário de Notícias. 09 de Novembro. 2020. Disponível em: <https://www.dn.pt/mundo/nazismo-no-brasil-multiplica-se-durante-governo-de-bolsonaro-13006445.html> Acesso em 05 de março de 2021.

Mensagem do governo com alusão ao nazismo agride vítimas do Holocausto, diz rabino. BBC. 11 de maio. 2020. <https://www.bbc.com/portuguese/brasil-52626218> Acesso em: 05 de março de 2021.

PCdoB 99 anos: Indispensável à Democracia. 25 de março. 2021 < https://pcdob.org.br/noticias/pcdob-99-anos-indispensavel-a-democracia/ > Acesso em 05 de abril. 2021

STOLZ; Sheila; GONÇALVES, Vinícius Viana. Vida Famélica, Morte Severina: no mar do desinteresse político-econômico naufraga a fábula do direito fundamental a alimentação adequada. In: COSTA, Ricardo Caetano; SOARES, Hector Cury; COSTA, Eder Dion de Paula (Org.). Cadernos CIDIJUS - Volume 1. Rio Grande: IBRAJU Edições, 2020, p. 10-39. Disponível em: <http://repositorio.furg.br/bitstream/handle/1/9188/organized.pdf?sequence=4/>. Acesso em: 30 de nov. de 2020.


Autores

  • Vinicius Viana Gonçalves

    Possui formação como Técnico em Comércio Exterior, pela Escola Técnica Estadual Getúlio Vargas (Rio Grande/RS), Tecgº em Logística pela Faculdade de Tecnologia (FATEC/UNINTER), Bacharel em Ciências Jurídicas e Sociais Pela Faculdade Anhanguera do Rio Grande (FARG), Pós-Graduação em Ciências Políticas pela Universidade Cândido Mendes (UCAM), Pós-Graduação em Sociologia pela Faculdade Única de Ipatinga (FUNIP), Pós-Graduação em Educação em Direitos Humanos pela Universidade Federal do Rio Grande (FURG) e atualmente Mestrando em Direito e Justiça Social pela Universidade Federal do Rio Grande (FURG).

    Textos publicados pelo autor

  • Sheila Stolz da Silveira

    Sheila Stolz da Silveira

    Professora Associada do Curso de Direito e do Programa de Pós-Graduação em Direito e Justiça Social (Mestrado) da Universidade Federal do Rio Grande (FaDir/FURG/RS). Doutora em Direito pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC/RS), com bolsa do Programa de Doutorado Sanduíche no Exterior (PDSE-CAPES) realizado na Facultad de Derecho da Universidad Complutense de Madrid (UCM/Madri/Espanha). Mestre em Direito pela Universitat Pompeu Fabra (UPF/Barcelona/Espanha). Coordenadora Geral do Núcleo de Pesquisa e Extensão em Direitos Humanos (NUPEDH/FURG). Coordenadora do Curso de Pós-graduação em Educação em Direitos Humanos (PGEDH/FURG-UAB-CAPES). Lattes: http://lattes.cnpq.br/3038131556164688. Orcid ID https://orcid.org/0000-0003-3591-7153.

    Textos publicados pela autora

    Fale com a autora


Informações sobre o texto

Como citar este texto (NBR 6023:2018 ABNT)

GONÇALVES, Vinicius Viana; STOLZ, SHEILA., Sheila Stolz da Silveira. Os 99 anos do Partido Comunista do Brasil e os desafios do século XXI. Revista Jus Navigandi, ISSN 1518-4862, Teresina, ano 26, n. 6490, 8 abr. 2021. Disponível em: https://jus.com.br/artigos/89629. Acesso em: 21 jan. 2022.

Comentários

0

Autorizo divulgar minha mensagem juntamente com meus dados de identificação.
A divulgação será por tempo indeterminado, mas eu poderei solicitar a remoção no futuro.
Concordo com a Política de Privacidade e a Política de Tratamento de Dados do Jus.

Regras de uso