Trata-se de modelo de ação de indenização para buscar a responsabilização civil de causador de acidente na condução de veículo automotor em via expressa.

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA __ VARA CÍVEL DA COMARCA DE ______

                              ____, brasileiro, divorciado, inscrito no CPF sob o nº ______, domiciliado à ________, por intermédio do advogado subscritor, com endereço profissional ______, vem, respeitosamente à presença de Vossa Excelência, propor

AÇÃO DE INDENIZAÇÃO POR DANOS MATERIAIS EM DECORRÊNCIA DE ACIDENTE DE TRÂNSITO

                              em face de _____, brasileiro, com número de CPF _____, residente e domiciliado à ______ - GO, com fundamento nos fatos e fundamentos que adiante se colocam:

                              DOS FATOS E CAUSA DE PEDIR

                              O requerente é proprietário do carro ___, placa ____ e no dia ____, por volta das ___hs, nesta cidade, o veículo do requerente trafegava na ___ centro, quando obedecendo faixa de pedestre à sua frente, diminuiu sua marcha por conta de outro veículo à sua frente, que parou para dar passagem a pedestres que ali iniciavam sua travessia da referida avenida.

                              No momento em que estava parado esperando o pedestre atravessar a faixa, o veículo do requerente foi violentamente abalroado na parte traseira, pelo veículo _____, de cor branca e placa ____ de propriedade do requerido, que desatento e desenvolvendo incompatível para o local, não percebeu a travessia dos pedestres e as faixas próprias para os mesmos.

                              Tal batida causou sérios danos ao veículo do Autor, que também foi projetado sobre o veículo parado à sua frente, tendo sofrido este, também, danos materiais.

                              Em face da colisão, teve o autor prejuízos materiais de grande monta, à frente relacionados, que além de ser importado e com peças de difícil localização, teve além da traseira danificada, a parte dianteira também.

                              O requerente, no intuito de obter um acordo amigável por diversas vezes procurou o requerido para uma solução, das quais em nenhuma vez obteve êxito, tendo que, antecipando à demanda, promover o reparo e então buscar indenização pela via judicial, como ora faz.  

                              O  requerente procurou duas oficinas diferentes que elaboraram os seguintes orçamentos(anexos):

Oficia 01: R$ ____________________________________

Oficina 02: R$ ___________________________________

                              Desta feita, por conta de menor valor, o requerente procurou a oficina ____ para efetuar os reparos em seu veículo, pagando a importância de R$ _______ demonstrados pelos recibos anexados.

                              Como dito em linhas anteriores, quando o veículo do requerente estava parado, atrás de outro veículo, esperando que um pedestre atravessasse a faixa de pedestres o veículo do requerido, sem nenhuma cautela, abalroou fortemente pela traseira.

                              É sabido que, em linha de princípio, que quem colide por trás é o culpado, senão vejamos a jurisprudência:

“Culpado, em linha de princípio, é o motorista que colide por trás, invertendo-se, em razão disso, o ônus probandi, cabendo a ele a prova da desoneração de sua culpa”(STJ-4ªT.,Resp 198.196, Min. Sálvio de Figueiredo, j. 18.2.99, DJU 12.4.99).

                              Deste modo, não há que se discutir de quem é a culpa, pois é matéria pacificada que quem colide por trás em linha de princípio é o culpado, ainda mais porque o veículo do requerido não observou nenhuma sinalização, não diminuiu a velocidade, mesmo sabendo que se aproximava de uma faixa de pedestre.

                              Assim sendo, agiu com negligência e imprudência o motorista que dirigia o veículo do requerido, cometendo-se assim, ato ilícito.

                              Descreve o artigo 927 do Código Civil Brasileiro que:

Art. 927- Aquele que, por ato ilícito, causar dano a outrem, fica obrigado a repará-lo.

                              Assim, é obrigação do requerido reparar o dano sofrido pelo requerente, qual seja, os prejuízos causados em seu veículo.

                              Mesmo não sendo o condutor no momento do acidente, responde objetivamente e solidariamente o requerido pelo ato, por ser ele o proprietário do veículo.

                             

                              DOS PEDIDOS

                              POSTO ISTO, REQUER:

I)Que seja citado o requerido para os termos da presente ação, sob pena de revelia;

II)Seja o requerido condenado a pagar indenização pelos prejuízos causados ao requerente no valor de R$ _____________________

III)Protestando provar o alegado por todos os meios de provas em direitos admitidas, por mais especiais que sejam;

                              Dá-se a presente o valor de R$ ______ para fins meramente fiscais e de alçada..

                              Termos em que,

                              Pede e Espera Deferimento.

                              Cidade de data.

Advogado.

OAB______


Autor


Informações sobre o texto

Este texto foi publicado diretamente pelo autor. Sua divulgação não depende de prévia aprovação pelo conselho editorial do site. Quando selecionados, os textos são divulgados na Revista Jus Navigandi.

Comentários

0

Livraria