Ao fazer nos EUA o que Lula fez no Brasil, Donald Trump colocou o MPF, Justiça Federal, PF e a Operação Lava Jato numa posição insustentável.

Há anos MPF, Justiça Federal e PF perseguem Lula porque ele fez a Petrobras contratar as empreiteiras brasileiras. O suposto crime dele chegou a ser investigado nos EUA.

Antes de tomar posse Trump anunciou que quer destinar 1 trilhões de dólares para a infra-estrutura. Na mesma semana, sob o comando do idiota que faliu a Sadia aplicando dinheiro da empresa no mercado financeiro norte-americano, a Petrobras de Temer diz que desinvestirá 15 bilhões no Brasil. A imprensa aplaude Michel Temer e se recusa a condenar os investimentos em infra-estrutura de Trump.

As consequencias das ações de um e de outro são evidentes. O presidente norte-americano eleito quer dar emprego e renda aos seus conterrâneos. O usurpador brasileiro quer fazer os trabalhadores passar fome no Brasil.

Um efeito indesejado do protecionismo de Trump. O circo da Lava Jato acabou implodir. E agora nem a imprensa conseguirá salvar as aparências.

MPF, Justiça Federal e PF perseguirão Trump porque ele quer dar lucro aos empreiteiros dos EUA? No que a conduta de Trump difere da de Lula? Qual o verdadeiro motivo de Lula ser esculachado pela imprensa por ter beneficiado empresários brasileiros? Quais são os interesses que as empresas de comunicação defendem no Brasil?

Desde tempos imemoriais a traição é um crime infamante. Em tempo de guerra sempre acarretou a morte do traidor. Nem mesmo o Brasil deixa de adotar esta regra:

Art. 355. Tomar o nacional armas contra o Brasil ou Estado aliado, ou prestar serviços nas forças armadas de nação em guerra contra o Brasil:

Pena - morte, grau máximo; reclusão, de vinte anos, grau mínimo.

Lula é tratado como traidor A que país o ex-presidente traiu? O Brasil ou os EUA? A quem MPF, Justiça Federal e PF servirão perseguindo Lula e deixando de processar Trump por beneficiar empreiteiros norte-americanos nos EUA? Estas meus, caros, são questões que as Forças Armadas devem responder.



Informações sobre o texto

Este texto foi publicado diretamente pelo autor. Sua divulgação não depende de prévia aprovação pelo conselho editorial do site. Quando selecionados, os textos são divulgados na Revista Jus Navigandi.

Comentários

0