O presente artigo mostra como identificar o assédio e como denunciá-lo.

O crime de assédio é dividido em assédio moral e assédio sexual. Tendo-se isso em vista, é importante destacar a diferença entre ambos, para que se saiba como proceder em cada caso.

                        Segundo Inácio[1], o assédio moral ocorre quando as broncas, ofensas e agressões são constantes. Ele esclarece, ainda, que o assédio moral apenas pode ocorrer durante o contrato de trabalho, não sendo possível a configuração desse crime na entrevista de emprego.

                        O assédio moral pode ocorrer contra uma pessoa ou contra um grupo de pessoas e tem por objetivo atingir a honra e a imagem. A punição do (a) agressor (a) depende das provas produzidas pela vítima. Por isso, é de extrema importância que a vítima resista ao assédio, reúna provas contra o (a) agente e, em seguida, procure orientação do sindicato ou de um advogado.

                        Já o crime de assédio sexual é regulamentado pelo Decreto Lei 2848/40, em seu artigo 216-A, do Código Penal, com pena prevista de Detenção de 1 (um) a 2 (dois) anos, ocorrendo o aumento de pena de até um terço, se a vítima for menor de 18 anos. [2]

                        O assédio sexual consiste, em outras palavras, no constrangimento de alguém com o intuito de obter uma vantagem ou um favorecimento sexual, aproveitando-se o agente da sua condição de superior hierárquico ou ascendência inerentes ao exercício de emprego, cargo ou função. Ou seja, apenas ocorrerá a configuração desse crime se houver essa relação de emprego ou o (a) agente for superior ou inferior hierárquico (a).

                        No assédio sexual, a vítima também deve resistir a agressão e produzir o máximo de provas possíveis, inclusive a prova testemunhal, para que o (a) agressor (a) seja punido (a).  

                        A denúncia é fundamental para que o dano moral causado pelo (a) agente seja reparado, além de ter um caráter educativo, tanto para o (a) agente quanto para outros (as) possíveis agressores (as). 

              Para fazer a denúncia do ato de assédio sexual ou moral, a vítima deve procurar a orientação do seu sindicato ou de um advogado.  Além disso, deve, também, ir a uma delegacia e registrar um boletim de ocorrência, e, em seguida, abrir um processo contra o (a) agressor (a).

_________________________________________________________________________

[1]  Aparecido Inácio, advogado, especialista no tema assédio moral e autor do livro “Assédio Moral no Mundo do Trabalho” (Editora Ideias & Letras).

[2] Decreto Lei 2848/40, Artigo 216-A, Do Código Penal Brasileiro.

_________________________________________________________________

                                                     Referências

Exame.com. 10 Perguntas e Respostas Sobre Assédio Moral e Sexual. Disponível em: < http://exame.abril.com.br/carreira/10-perguntas-e-respostas-sobre-assedio-moral-e-sexual/> Acesso em 12 de abril de 2017;

Jus Brasil, O Crime de Assédio Sexual. Disponível em: <https://vicentemaggio.jusbrasil.com.br/artigos/121942480/o-crime-de-assedio-sexual> Acesso em 12 de abril de 2017;

Planalto. DECRETO-LEI No 2.848, DE 7 DE DEZEMBRO DE 1940. Disponível em < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto-lei/Del2848.htm> Acesso em 12 de abril de 2017.




Informações sobre o texto

Este texto foi publicado diretamente pela autora. Sua divulgação não depende de prévia aprovação pelo conselho editorial do site. Quando selecionados, os textos são divulgados na Revista Jus Navigandi.

Comentários

0

Livraria