O presente artigo, visa instruir jornalistas, administrados, contribuintes e até advogados, a como conseguir informações públicas de maneira efetiva.

A Lei nº12.527/2011 traz o direito de qualquer interessado, acessar informações junto à Administração Pública Direta (União, Estados, Municípios e Distrito Federal), e Administração Indireta (Autarquias, Fundações Públicas, Empresas Públicas, Sociedades de Economia Mista).

O pedido de informação, pode ser realizado por meio administrativo, através de simples protocolo de requerimento, devendo conter a identificação do requerente e a especificação da informação pretendida.

O prazo para a Administração entregar as informações disponíveis é de imediato (art. 11). Tratando-se de informação, não disponível ou de difícil acesso, o prazo será de 20 dias, prorrogáveis por mais 10.

A Administração só poderá negar acesso se a informação solicitada for sigilosa, ou seja, “aquela submetida temporariamente a restrição de acesso público em razão de sua imprescindibilidade para a segurança da sociedade e do Estado” (art. 4°, inciso III).

Caso a Administração negue acesso de informação não sigilosa, responderão seus servidores pelos prejuízos causados, acrescidos das possíveis penas de advertência ou multa, podendo inclusive, responder por improbidade administrativa (arts. 32 a 34 e art. 11 da lei 8429/92).

Pode ser solicitada informações sobre: orientações sobre  procedimentos; contidas em registros ou documentos;  produzidas ou custodiada por pessoa física ou entidade privada decorrente de qualquer vínculo com seus órgãos ou entidades; informação sobre atividades exercidas pelos órgãos e entidades, inclusive as relativas a sua política, organização e serviços;  administração do patrimônio público, recursos públicos, licitação, contratos administrativos; implementação, acompanhamento e resultados dos programas, projetos e ações dos órgãos e entidades públicas, metas e indicadores; ao resultado de inspeções, auditorias, prestações e tomadas de contas realizadas pelos órgãos de controle interno e externo, incluindo prestações de contas relativas a exercícios anteriores.

Por fim, pode também ser utilizado para o cidadão (administrado/contribuinte) acessar processos de aposentadoria, tempo de contribuição, procedimentos tributários, e uma infinidade de possibilidades.


Autor


Informações sobre o texto

Este texto foi publicado diretamente pelo autor. Sua divulgação não depende de prévia aprovação pelo conselho editorial do site. Quando selecionados, os textos são divulgados na Revista Jus Navigandi.

Comentários

0

Autorizo divulgar minha mensagem juntamente com meus dados de identificação.
A divulgação será por tempo indeterminado, mas eu poderei solicitar a remoção no futuro.
Concordo com a Política de Privacidade e a Política de Direitos e Responsabilidades do Jus.

Regras de uso