REFERÊNCIAS

ACEA. European Automobile Manufactures Association. Overview of incentives for buying electric vehicles. Bruxelas. 2017. Disponível em: <http://www.acea.be/publications/article/overview-of-incentives-for-buying-electric-vehicles>. Acesso em: 20 maio 2017.

ALVES, J. E. Concentração de CO2 na atmosfera. Disponível em: www.ecodebate.com.br/concentraçao-de-co2-na-atmosfera. Acesso em 11de agosto de 2017.

BARAN, Renato. LEGEY, Luiz F. Loureiro. Veículos elétricos: história e perspectivas no Brasil. BNDES Setorial 33, Automotivo, Brasília. 2011. Disponível em: < https://web.bndes.gov.br/bib/jspui/bitstream/1408/1489/1/A%20BS%2033%20Ve%C3%ADculos%20el%C3%A9tricos%20-%20hist%C3%B3ria%20e%20perspectivas%20no%20Brasil_P.pdf >. Acesso em: 15 maio2017.

BARBOSA, Devanilson A. de Souza. A Arte da Guerra Automotiva: Numa reflexão antropológica e histórica. Ed. Clube de Autores. Brasília, 2016.

BARCZAK, Rafael. DUARTE, Fábio. Urbe. Revista Brasileira de Gestão Urbana (Brazilian Journal of Urban Management), v. 4, n. 1, p. 13-32, jan. /jun. 2012.

BBC. Por que terminamos usando gasolina se já tínhamos carros elétricos e a vapor?BBC Brasil. 2016. Disponível em: <http://www.bbc.com/portuguese/noticias/2016/02/160228_carros_eletricos_tg >. Acesso em:15 maio 2017.

BERTOLINI, L.; F. Le Clercq e T. Straatemeier (2008). Urban Transportation Planning in Transition (Editorial). Transport Policy, n. 15, p. 69-72. Disponível em: <https://www.journals.elsevier.com/transport-policy >. Acesso em: 10 maio. 2017.

BMW. BMW I3. Autonomia e Carregamento. BMW Portugal. Lisboa. 2017. Disponível em: < http://www.bmw.pt/pt/all-models/bmw-i/i3/2016/autonomia-carregamento.html >. Acessoem: 18 maio 2017.

BRASIL. Agência Nacional de Energia Elétrica. Ranking das Tarifas. ANEEL. 22 de maio de 2017. Brasília, 2017. Disponível em: < http://www.aneel.gov.br/ranking-das-tarifas >.Acesso em: 20 maio 2017.

BRASIL. Agência Nacional de Energia Elétrica. Nota Técnica no 0050/2016-SRD.Processo: 48500.000825/2016-95. ANEEL. 19 de abril de 2016. Brasília, 2016. Disponívelem: <http://www2.aneel.gov.br/aplicacoes/consulta_publica/documentos/Nota%20T%C3%A9cnica_0050_VE%C3%8DCULOS%20EL%C3%89TRICOS_SRD.pdf >. Acesso em: 20 maio2017.

BRASIL. Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis. ANP. Síntese dos Preços Praticados Belo Horizonte, período de 14/05/2017 a 20/05/2017. Brasília, 2017.Disponível em: < http://www.anp.gov.br/preco/prc/Resumo_Por_Municipio_Posto.asp >.Acesso em: 15 maio 2017.

BUENO, Everton Siqueira. PEIXOTO, Patrícia Teixeira. Os impactos do automóvel no meio ambiente. Ecodebate. Rio de Janeiro, 2012. Disponível em:<https://www.ecodebate.com.br/2012/08/14/os-impactos-do-automovel-no-meio-ambiente/ >.Acesso em: 10 maio 2017.

BRACIER. Abastecer Carro Elétrico custará R$10. Comitê Brasileiro da Comissão de Integração Energética Regional. Rio de Janeiro, 2016.

CARVALHO, Carlos Henrique R. de. Emissões relativas de poluentes do transporte motorizado de passageiros nos grandes centros urbanos brasileiros. Texto para Discussão, nº 1606. IPEA, Rio de Janeiro, abril, 2011. Disponível em: < http://www.en.ipea.gov.br/agencia/images/stories/PDFs/TDs/td_1606.pdf >. Acesso em: 10 maio 2017.

CARVALHO, Emílio Raniere. Fórum: O país precisa incentivar a entrada dos veículos elétricos. E-Democracia. Câmara dos Deputados. Brasília, 2012. Disponível em: < http://arquivo.edemocracia.camara.leg.br/web/espaco-livre/forum/-/message_boards/message/427337 >. Acesso em: 14 maio 2017.

CARVALHO, Nathália Leal de. KERSTING, Cristiano. ROSA, Gilvan. FRUET, Lumar.

BARCELLOS, Afonso Lopes de. Desenvolvimento Sustentável x Desenvolvimento Econômico. Revista do Centro de Ciências Naturais e Exatas – UFSM. Revista MonografiasAmbientais Santa Maria, v. 14, n. 3, Set-Dez. 2015, p. 109−117.

CEMIG. Redes Inteligentes / Smart Grid. O Que são as Redes Inteligentes de Energia. Belo Horizonte, 2016. Disponível em: < http://www.cemig.com.br/ptbr/A_Cemig_e_o_Futuro/sustentabilidade/nossos_programas/Redes_Inteligentes/Paginas/as_redes_inteligentes.aspx >. Acesso em: 20 maio. 2016.

CHIARADIA, C. E. Estudo da viabilidade da implantação de frotas de veículos elétricos e híbridos elétricos no atual cenário econômico, político, energético e ambiental brasileiro. 2015. 164 f. Trabalho de Graduação (Graduação em Engenharia Mecânica) – Faculdade de Engenharia de Guaratinguetá, Universidade Estadual Paulista, Guaratinguetá, 2015.

COELHO, Saulo de Oliveira Pinto. ARAÚJO, André Fabiano Guimarães de. A sustentabilidade como princípio constitucional sistêmico e sua relevância na efetivação interdisciplinar da ordem constitucional econômica e social: para além do ambientalismo e do desenvolvimentismo. Jan. 2011. Disponível em < http://mestrado.direito.ufg.br/up/14/o/artigo_prof_saulo.pdf. > Acesso em 10 maio 2017.

DICTIONARY.COM. Referência. In: Dictionary.com. 2017. Disponível em: <http://www.dictionary.com/browse/ >. Acesso em: 20 maio 2017.

DUARTE, Antônio Carlos. Incentivo ao carro elétrico. Projeto Colabora. Rio de Janeiro, 2017. Disponível em: < http://projetocolabora.com.br/consumo/portugal-incentiva-troca-decarros/>. Acesso em: 20 maio 2017.

DUTRA, E. G.; VALLE, R. M.; GOMES, B. C.; FIORAVENTE, E. F.; DUTRA, L. G. Emissão de gases poluentes por veículos leves a gasolina na atmosfera de Belo Horizonte, Seminário de Tecnologia de Motores Combustíveis e Emissões, STMCE-2004, Belo Horizonte, MG, 6 e 7 dez. 2004.

EAFO. European Alternative Fuel Observatory. European Commission. Bruxelas, 2017.Disponível em: < http://www.eafo.eu/content/norway >. Acesso em: 19 maio 2017.

ENERGY. Office of Energy Efficiency & Renewable Energy. Eletric Vehicles: Tax and Credits and other incentives. Washington, 2017. Disponível em: < https://energy.gov/eere/electricvehicles/electric-vehicles-tax-credits-and-other-incentives >. Acesso em: 20 maio 2017.

EXPORT.GOV. Market Brief-e-mobility in France (2016). International Trade Administration. Washington, 2017. Disponível em: < https://www.export.gov/article?id=Market-Brief-E-Mobility-in-France-2016 >. Acesso em: 20 maio. 2017.

FERREIRA, Juliana de Moraes. Veículos menos poluentes ganham incentivos fiscais.Sinergia Engenharia. Curitiba, 2017. Disponível em: <http://www.sinergiaengenharia.com.br/veiculos-menos-poluentes-ganham-incentivos-fiscais/>. Acesso em: 20 maio 2017.

FISCHER, Hilke. Carro elétrico é mesmo alternativa para reduzir emissões? Ciência e Saúde. Deutsche Welle. DW. Berlim, 2016. Disponível em: < http://www.dw.com/pt-br/carroel%C3%A9trico-%C3%A9-mesmo-alternativa-para-reduzir-emiss%C3%B5es/a-19433141 >.Acesso em: 12 maio 2017.

FR.CHARGEMAP. Disponível em:< https://fr.chargemap.com/about/feedback >. Acesso em: 20 maio. 2017.

FROST, M. SULIVAN, K. Inovação Social em Transporte e Mobilidade. Artigo Desenvolvido Em Parceria com Hitachi, Ltd. Inovação Social Whitepaper, Tokyo, 2016. Disponível em: < http://www.hitachi.com.br/socialinnovation/ whitepapers/downloads/Hitachi_FS_WP_Inovacao_Social_Transporte_Mobilidad e.pdf >. Acesso em: 15 maio 2017.

GOLDEMBERG, José. O fim da era do petróleo? Opinião. Estadão. 18 janeiro 2016. São Paulo. 2016. Disponível em: < http://opiniao.estadao.com.br/noticias/geral,o-fim-da-era-dopetroleo, 10000007336 >. Acesso em: 10 maio 2017.

IEA. Eco-Car Tax Break and Subsidies for Vehicles. International Energy Agency. Paris, 2016 Disponível em: < https://www.iea.org/policiesandmeasures/pams/japan/name-24924-en.php >. Acesso em: 15 maio 2017.

IEA. World Energy Outlook 2010 Sumário. International Energy Agency. Paris, 2010 Disponível em: < http://www.worldenergyoutlook.org/media/weowebsite/2010/weo2010_es_portuguese.pdf >. Acesso em: 15 maio 2017.

IEMA -Instituto de Energia e Meio Ambiente. Gases de Efeito Estufa. Disponível em www5.usp.br/tag/instituto-de-energia-e-ambiente/ Acesso em 11 de agosto de 22017.

MORLAND, John. Comparing the top 5 European coutries for eletric vehicles adoption. EV Industry. Fleetcarma. Ontario. 2017. Disponível em: < http://www.fleetcarma.com/european-countries-electric-vehicle-adoption/ >. Acesso em: 23 maio 2017.

OLIVEIRA Leonel. Nova Enciclopédia Larousse. Edição 1997. Círculo de Leitores. Lisboa,1997.

OMM. World Meteorological Organization. Globally Averaged CO2 Levels Reach 400 parts per million in 2015. Genebra, 2016. Disponível em: < https://public.wmo.int/en/media/press-release/globally-averaged-co2-levels-reach-400-partsmillion- 2015 >. Acesso em: 10 maio 2017.

OMS. Reducing global health risks through mitigation of short-lived climate pollutants Scoping report for policymakers. Genebra. 2015. Disponível em:< http://apps.who.int/iris/bitstream/10665/189524/1/9789241565080_eng.pdf?ua=1 >. Acesso em: 15 maio 2017.

PEREIRA, Daniel. O quanto o carro elétrico é realmente ecológico? Ser melhor. Conquiste a sua estrela. Ecologia São Paulo. 2014. Disponível em: < http://www.sermelhor.com.br/ecologia/o-quanto-o-carro-eletrico-e-realmente-ecologico.html >. Acesso em: 10 maio 2017.

PORCHERA, Gustavo da Silva O. LOSS, Mário Eugênio Sperandio. MIRANDA, Pedro Henrique Rodrigues de. LEAL, Érika de Andrade Silva. Vantagens e Barreiras à utilização deveículos elétricos. Simpósio de Excelência em Gestão e Tecnologia. Resende, 2016. Disponível em: < http://www.aedb.br/seget/arquivos/artigos16/28224302.pdf >. Acesso em:14 maio 2017.

RIBEIRO, J. C. J.; HELLER, L. Indicadores ambientais para países em desenvolvimento. In: XXIX Congreso Interamericano de Ingenieria Sanitaria y Ambiental, 2004, San Juan -Porto Rico. Anais, 2004. v. 1.

SACHS, D. Jeffrey, Electric Cars & Sustainability. Technological breakthroughs and a new generation of eco-friendly automobiles increases hope for the climate challenge. The VienaReview. Viena. 2009. Disponível em: < http://www.viennareview.net/news/ideas-andtrends/ electric-cars-sustainability >. Acesso em: 05 maio 2017.

SILVA, Moacir Ferreira da. Emissão de metais por veículos automotores e seus efeitos à saúde pública. Dissertação apresentada ao Programa de Pós-graduação em Saúde Pública. USP. São Paulo. 2007.

SOUZA, Paulo Roberto Pereira de. Os Princípios do Direito Ambiental como instrumentos deefetivação da sustentabilidade do desenvolvimento econômico. Veredas do Direito: Direito Ambiental e Desenvolvimento Sustentável, [S.l.], v. 13, n. 26, p. 289-317, out. 2016. ISSN 21798699. Disponível em: <http://www.domhelder.edu.br/revista/index.php/veredas/article/view/705>. Acesso em: 18 maio 2017. doi:http://dx.doi.org/10.18623/rvd.v13i26.705.

TEIXEIRA, E. C.; FELTES, S.; SANTANA, E. R. R. Estudo das emissões de fontes móveis na Região Metropolitana de Porto Alegre, Rio Grande do Sul. Química Nova, v. 31, 2008.

TRB (2001). Transportation, Energy and environmental Policy: Managing Transitions. Transportation Research Board, VIII Biennial Asilomar Conference. Disponível em: <http://onlinepubs.trb.org/onlinepubs/conf/asilomar.pdf >. Acesso em: 15 maio 2017.

TRB (2008). Sustainable Transportation Indicators: a Recommendede Program to Define a Standard Set of Indicators for Sustainable Transportation Planning. Transportation Research Boart (TRB), Sustainable Transportation Indicators (STI). Subcommittee (TRB Subcommittee ADD40 [1]), jan. 2008. Disponível em: < http://www.vtpi.org/sustain/sti.pdf >. Acesso em: 15 maio 2017.

VEIGA, José Eli da. Desenvolvimento sustentável: o desafio do século XXI. Rio de Janeiro: Garamond, 2010.

VEIGA, José Eli da. Sustentabilidade: a legitimação de um novo olhar. São Paulo: Editora Senac São Paulo, 2010.

VIEIRA, Neise Ribeiro. Poluição do ar: indicadores ambientais. Rio de Janeiro. E-papers, 2009.

VONBUN, Christian. Impactos Ambientais e Econômicos dos Veículos Elétricos e Híbridos Plug-in: Uma revisão da literatura. Texto para discussão / Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada – IPEA, Brasília, 2015.

WESTERN AUTOMATION. Government Incentives Encourage Adoption of Electric Vehicles. Galway. 2017. Disponível em: < http://www.westernautomation.com/technologyinnovations/ government-incentives-encourage-adoption-of-electric-vehicles/ >. Acesso em: 18 maio 2017.

WORLD BANK. 1996. Sustainable transport: priorities for policy reform. Development in practice. Washington, D.C.: The World Bank. Disponível em: < http://documents.worldbank.org/curated/en/113831468764674772/Sustainable-transportpriorities- for-policy-reform >. Acesso em: 10 maio. 2017.


Autores

  • Marcos V. Rodrigues

    Graduado em Ciência da Computação pela Universidade Federal de Uberlândia (2005), graduado em Direito pela Universidade Federal de Minas Gerais (2014), pós-graduação lato senso em Direito Processual Civil pela Universidade Anhanguera-Uniderp (2013), pós-graduação em Direito Empresarial pela IBS/FGV (2017); Advogado na Efficientia S.A. (Empresa do Grupo Cemig). Membro da Comissão Direito da Energia OAB/MG (2018). Mestre em Direito Ambiental e Desenvolvimento Sustentável na Escola Superior Dom Helder Câmara e membro do Grupo de Pesquisa Responsabilidade Civil por Danos ao Meio Ambiente.

    Textos publicados pelo autor

    Site(s):
  • José Claudio Junqueira Ribeiro

    José Claudio Junqueira Ribeiro

    Possui Graduação em Engenharia Civil pela Universidade Federal de Minas Gerais (1973), Especialização em Engenharia Sanitária pela Escola de Engenharia da UFMG (1974), Mestrado em Genie Sanitaire Et Urbanisme pela Ecole Nationale de La Sante Publique, Rennes, França (1977) e Doutorado em Saneamento, Meio Ambiente e Recursos Hídricos pela Universidade Federal de Minas Gerais (2005). Atualmente é Professor titular de Gestão Ambiental da Faculdade de Engenharia e Arquitetura da Universidade Fumec e Professor da disciplina Impactos Ambientais, do Mestrado em Direito Ambiental da Escola Superior Dom Helder Câmara. Foi Pesquisador Pleno da Fundação Estadual do Meio Ambiente de MG e seu Presidente por três mandatos, quando se aposentou. Consultor com grande experiência, atuando principalmente nas seguintes áreas: Sistema de Gestão Ambiental, Avaliação de Impacto, Licenciamento, Normalização, Resíduos Sólidos Urbanos, RSU, de Serviço de Saúde, RSS, e Eletroeletrônicos, REEE e Indicadores Ambientais, de Produção mais Limpa e de Desempenho Ambiental.

    Textos publicados pelo autor


Informações sobre o texto

Este texto foi publicado diretamente pelos autores. Sua divulgação não depende de prévia aprovação pelo conselho editorial do site. Quando selecionados, os textos são divulgados na Revista Jus Navigandi.

Comentários

0

Autorizo divulgar minha mensagem juntamente com meus dados de identificação.
A divulgação será por tempo indeterminado, mas eu poderei solicitar a remoção no futuro.
Concordo com a Política de Privacidade e a Política de Tratamento de Dados do Jus.

Regras de uso