É necessário que o pequeno empreendedor mantenha uma gestão saudável de sua empresa, controlando e verificando sua real capacidade, sob pena de perda de bens pessoais.

O microempreendedor individual é uma política pública de apoio à formalização de pequenos negócios, com o objetivo de promover inclusão social e previdenciária de forma simplificada, ágil e sem tanta burocracia.

Apesar da facilidade permitida pela lei para a abertura desta modalidade empresarial, faz-se necessário pontuar algumas observações quanto à importância do cumprimento das obrigações e de uma gestão responsável do negócio.


 1 - O MEI é um Empresário Individual:

Ser um empresário individual, na prática, significa não ter a necessidade de apresentar capital inicial integralizado, ou seja, em espécie ou bens. No caso do MEI, nem apresentar capital. Contudo, a facilidade trazida por esta pessoa jurídica também impõe um grande risco imputado nesta modalidade que é o princípio do patrimônio único.

Ideal para profissionais autônomos, liberais e até mesmo freelancer, pode ser uma ótima opção para não se pagar tantos impostos.

Este princípio informa que os bens da pessoa física responsável pelo negócio e do empreendimento se confundem, ou seja, são apenas um. E este patrimônio é dado como garantia aos possíveis credores. Ou seja, em caso de falência, os bens da pessoa física podem ser arrolados para pagamento das possíveis dívidas da empresa.

Por este motivo, é necessário que o pequeno empreendedor mantenha uma gestão saudável de sua empresa, controlando e verificando sua real capacidade, sob pena de perda de bens pessoais.


 2 – Obrigações Mensais.

Todo dia 20 do mês subsequente, o pequeno empreendedor formalizado deve pagar, de acordo com sua atividade, um valor único de arrecadação para a previdência social, estado (ICMS) e/ou município (ISS), através do DAS – Documento de Arrecadação do Simples Nacional – DAS-MEI.

Este valor confere ao empreendedor alguns direitos como auxílio doença, maternidade e aposentadoria, pensão por morte e auxílio reclusão para os dependentes.

Contudo, o não cumprimento desta obrigação implica em sanções que podem prejudicar bastante o empresário:

  • a) No caso da contribuição previdenciária: O tempo de contribuição referente aos meses não quitados não são incluídos para o cálculo da aposentadoria por tempo de serviço.

  • b) No caso do CNPJ: Os CNPJs dos MEIs que não quitaram os tributos simplificados mensais dos últimos dois períodos serão cancelados, o que significa perda da formalização. Após cancelados, não poderão ser reativados.

  •  c) No caso de MEIs com licença para funcionar: Perda de todas as licenças.

  •  d) No caso de Cadastro em órgãos do Estado e Municípios: Perda do cadastro, impossibilitando a emissão de notas fiscais.


3 – Obrigações Anuais

O microempreendedor é obrigado a prestar anualmente uma declaração de rendimento anual, que é o somatório das receitas brutas mensais auferidas pelo negócio. O prazo de entrega é até o dia 31 de maio do próximo exercício.

O não cumprimento desta obrigação dentro do prazo confere multa de R$ 50,00 ou até 2% do valor prestado.

Caso a declaração não seja entregue nos últimos 2 anos, o CNPJ será cancelado e ficará suscetível a todos os prejuízos apresentados no item 2.

 É importante que o pequeno empresário mantenha o controle de seus negócios para evitar problemas, e assim, crescer com qualidade e responsabilidade. O MEI é uma grande oportunidade de geração de renda, empregos e grandes negócios, é necessário aproveitá-la!

Acesse os sites referências:

SEBRAE http://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/artigos/tire-suas-duvidas-sobre-o-cancelamento-do-cnpj-do-mei-omisso%2C130421f9d7284510VgnVCM1000004c00210aRCRD

Portal do Empreendedor - http://www.portaldoempreendedor.gov.br/

Lei Complementar 147 de 2014

Lei 12441 de 2013

Resolução CGSIM 39 de 2017


Autor


Informações sobre o texto

Como citar este texto (NBR 6023:2018 ABNT)

SALINO, Luciano. Deveres e obrigações do MEI: mensais e anuais. Revista Jus Navigandi, ISSN 1518-4862, Teresina, ano 26, n. 6451, 28 fev. 2021. Disponível em: https://jus.com.br/artigos/88613. Acesso em: 18 jun. 2021.

Comentários

0

Autorizo divulgar minha mensagem juntamente com meus dados de identificação.
A divulgação será por tempo indeterminado, mas eu poderei solicitar a remoção no futuro.
Concordo com a Política de Privacidade e a Política de Tratamento de Dados do Jus.

Regras de uso