Símbolo do Jus.com.br Jus.com.br

Artigo Destaque dos editores

Aspectos da exceção de pré-executividade

Exibindo página 3 de 4
01/07/2002 às 03:00

16. Posição da jurisprudência

Tornou-se matéria pacífica nos tribunais de todo o país o cabimento da exceção de pré-executividade, não havendo mais suporte para o antigo entendimento de que a ausência dos requisitos da execução só pode ser argüida através de embargos. A esse propósito transcrevemos as seguintes ementas:

Tribunal de Alçada do Rio Grande do Sul

EMENTA OFICIAL:

EXECUÇÃO - EXCEÇÃO DE PRÉ-EXECUTIVIDADE ARGÜIDA APÓS DECURSO DO PRAZO DOS EMBARGOS - POSSIBILIDADE.

A questão da limitação dos juros argüida quer como matéria constitucional (artigo 192, § 3º, da CF), quer como matéria da legislação ordinária (Lei da Usura) se constitui em nulidade absoluta que corresponde a uma condição da ação de execução, qual seja, a possibilidade jurídica. Em conseqüência, independe de argüição em embargos à execução. [32]

Decisão: Dado provimento. Unânime.

R. L.: CF - art. 192, par - 3º, de 1.988; CPC - art. 267, par - 3º; CC - art. 146, par. único; DF - 22.626, de 1.933.

EMENTA OFICIAL:

EXECUÇÃO - EXCEÇÃO DE PRÉ-EXECUTIVIDADE.

A exceção de pré-executividade independe de embargos de devedor, porém, para a sua procedência, há necessidade de estar evidenciada a não concorrência de um dos pressupostos processuais. Agravo improvido. [33]

Decisão: Negado provimento. Unânime.

EMENTA OFICIAL:

EXECUÇÃO - EXCEÇÃO DE PRÉ-EXECUTIVIDADE - SEUS LIMITES.

A exceção de pré-executividade há de se ver limitada a questões formais de preenchimento de pressupostos processuais, sob pena de se violentar o sistema processual em vigor, pelo qual a defesa do executado se dá via embargos à execução.

Excesso de execução, assim, pela inclusão no título de cláusulas tidas como ilegais pelo executado, não cabe manifestada via exceção de pré-executividade. Agravo improvido. [34]

EMENTA OFICIAL:

PROCESSO DE EXECUÇÃO - AUSÊNCIA DE CONDIÇÕES DA AÇÃO - TÍTULO EXECUTIVO SEM CERTEZA, LIQUIDEZ E EXIGIBILIDADE - NULIDADE DA AÇÃO INTENTADA.

Quando o título que embasa a ação executiva não representa dívida certa, líquida e exigível, acarreta a nulidade do processo, que pode ser decretada de ofício a pedido do executado em qualquer tempo do processo. A anulação imprescinde de embargos, bastando seja alegada a nulidade absoluta. [35]

Tribunal de Alçada do Rio de Janeiro

EMENTA OFICIAL:

AUSÊNCIA DE TÍTULO EXECUTIVO EXTRAJUDICIAL - EXCEÇÃO DE PRÉ-EXECUTIVIDADE - MATÉRIA DE ORDEM PÚBLICA.

A ausência de título executivo extrajudicial, instruindo a ação de execução, constitui matéria a ser conhecida, de ofício, pelo juiz, ao proferir o despacho liminar, por se tratar de matéria de ordem pública. Não cumprindo o juiz a sua obrigação essencial, relativa à apreciação da falta de título, que pudesse embasar a execução, nada obsta a que a parte, apontada como devedora, ingresse nos autos respectivos e denomine a sua intervenção de exceção de pré-executividade, para argüir, independentemente de oferecimento de embargos, a nulidade do título. Conquanto a ação de execução seja processo fechado, em que o devedor é citado para pagar o débito, no prazo legal, ou nomear bens à penhora, seria injustificável formalismo impedir que ele, através de simples petição, alerte o juiz para a ausência do título, e, como conseqüência para a impossibilidade de prosseguimento da referida ação.

VOTO VENCIDO:

CONTRATO DE ABERTURA DE CRÉDITO - EXECUÇÃO PELOS VALORES UTILIZADOS ACRESCIDOS DA CORREÇÃO, JUROS E TAXAS PACTUADAS E DE PLENO CONHECIMENTO DO DEVEDOR - INOCORRÊNCIA DE NULIDADE DO TÍTULO.

Questionamento do contrato, somente pode ser articulado, por via de embargos. Em conseqüência, deve ser rejeitada a exceção de pré-executividade. [36]

Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro

EMENTA OFICIAL:

PETIÇÃO INICIAL - INDEFERIMENTO - RECONSIDERAÇÃO INADMISSÍVEL - AGRAVO PROVIDO - APLICAÇÃO DO ART. 618, I, DO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL.

Descabe pedido de reconsideração para reformar sentença que converteu processo de execução em ordinária. A nulidade prevista no art. 618, I, do Código de Processo Civil é decretada de ofício, sem necessidade de apresentação de embargos à execução...

Embora a inicial devesse ser liminarmente indeferida (art. 616), nada impedia que a nulidade fosse decretada posteriormente (Theotonio Negrão, Código de Processo Civil e Legislação Processual em Vigor, p. 133; Humberto Theodoro Júnior, Processo de Execução, p. 208), pois o juiz poderia agir de ofício (Barbosa Moreira, O Novo Processo Civil Brasileiro, II/17), não acarretando preclusão o deferimento inicial reconsiderado (Frederico Marques, Manual de Direito Processual Civil, 2º/18, nº 331). [37]

Tribunal de Justiça do Distrito Federal

EMENTA OFICIAL:

EXECUÇÃO - OBRIGAÇÕES DECORRENTES DE PACTO LOCATÍCIO - EXCEÇÃO DE PRÉ-EXECUTIVIDADE - AUSÊNCIA DE SUBSCRIÇÃO DA AVENÇA POR TESTEMUNHAS - IRRELEVÂNCIA - FIXAÇÃO DE ALUGUEL E REAJUSTES PELA TAXA DO DÓLAR TURISMO - NULIDADE - DECRETO-LEI 857/69.

A exceção de pré-executividade autoriza o ingresso do executado para indigitar mácula inafastável, independentemente da apresentação dos embargos do devedor. [38]

DECISÃO:

Conhecer e improver o apelo, unanimemente.

R.L.: FED. LEI 5.869/73, art. 585, inc. 4º; art. 737, inc. 1º.

FED. DEC. 857/69, art. 1º.

Tribunal de Alçada de Minas Gerais

EMENTA OFICIAL:

Havendo nulidade de ato essencial no processo de execução que importe em obstar a constituição válida e regular de seu processamento, a matéria pode ser conhecida de ofício, sem exigir mesmo a segurança do juízo ou a apresentação dos embargos. [39]

Tribunal de Justiça do Espírito Santo

EMENTA OFICIAL:

EXECUÇÃO - INEXISTÊNCIA DE TÍTULO LÍQUIDO E CERTO - EXTINÇÃO DO PROCESSO DE EXECUÇÃO - LEGALIDADE.

1 - Ao exercer o juízo de admissibilidade no próprio processo de execução, verificando o julgador a inexistência de título de crédito líquido e certo, é legítima a sua decisão de extinguir o processo, por impossibilidade jurídica de atendimento.

2 - No exercício do juízo de admissibilidade do processo de execução, o magistrado deve examinar os pressupostos básicos de liquidez, certeza e exigibilidade do título que instrui o pedido, não se considerando como peça de defesa a mera impugnação do devedor apontando as deficiências que descaracterizam o título para efeito de execução.

3 - Apelação a que se nega provimento. [40]

Tribunal de Alçada Civil de São Paulo

EMENTA OFICIAL:

É cediço, tanto em doutrina como em jurisprudência, que a nulidade da execução, por até proclamável de ofício, pode ser perfeitamente argüida a qualquer tempo, não reclamando, por isso, que o juízo esteja seguro pela penhora ou que haja, necessariamente, a apresentação de embargos. [41]

Superior Tribunal de Justiça

EMENTA OFICIAL:

A nulidade do título em que se embasa a execução pode ser argüida por simples petição, uma vez que suscetível de exame ex officio pelo juiz. [42]

EMENTA OFICIAL:

PROCESSUAL CIVIL - AGRAVO DE INSTRUMENTO - PROCESSO DE EXECUÇÃO - EMBARGOS DO DEVEDOR - NULIDADE - VÍCIO FUNDAMENTAL - ARGÜIÇÃO NOS PRÓPRIOS AUTOS DA EXECUÇÃO - CABIMENTO - ARTIGOS 267, § 3º; 586; 618, I, DO CPC.

I - Não se revestindo o título de liquidez, certeza e exigibilidade, condições basilares exigidas no processo de execução, constitui-se em nulidade, como vício fundamental, podendo a parte argüi-la, independentemente de embargos do devedor, assim como pode e cumpre ao juiz declarar, de ofício, a inexistência desses pressupostos formais contemplados na lei processual civil.

II - Recurso provido. [43]


17. Exceção de pré-executividade e embargos

O princípio do contraditório, presente no processo de execução, faculta o debate acerca das matérias de ordem pública, a qualquer tempo e grau de jurisdição.

A argüição da ausência dos requisitos da execução através da exceção de pré-executividade, portanto, é opção do devedor. É opção, ainda, para o terceiro interessado, que pode argüir a nulidade através da exceção de pré-executividade ou nos embargos de terceiro (CPC, arts. 1.046 e seguintes). Ao credor, entretanto, só se abre a via da argüição da ausência dos requisitos da execução através da exceção de pré-executividade, posto que, para ele, não se afigura possível o oferecimento de embargos. Mas, cabe lembrar, em sua impugnação aos embargos, poderá argüir tal matéria.

Nada obsta a que seja argüida a ausência dos requisitos da execução através da exceção de pré-executividade e que, posteriormente, venha a ser discutida novamente, a mesma matéria, em sede de embargos.

Igualmente e, em ordem inversa, discutida a matéria nos embargos, poderá ser argüida a nulidade da execução novamente, por meio da exceção de pré-executividade.

No tocante ao oferecimento simultâneo da exceção de pré-executividade com os embargos, entendemos não haver qualquer interesse prático nisso. Com efeito, oferecidos os embargos, estes absorvem a discussão atinente aos requisitos da execução, razão pela qual torna-se desaconselhável o exame da matéria através da exceção de pré-executividade, de indiscutível cognição bem mais restrita.

Chega-se à conclusão, portanto, de que a exceção de pré-executividade só pode ser oferecida antes ou depois dos embargos, mas não simultaneamente a estes.


18. Conclusões

Diante do exposto, conclui-se que:

a) A exceção de pré-executividade é um instrumento de provocação do órgão jurisdicional, utilizável por quaisquer interessados, por meio do qual se permite argüir a ausência dos requisitos da execução civil, objetivando pear o ato executivo de constrição judicial (cf. item 3);

b) A natureza jurídica da exceção de pré-executividade é de objeção, posto que as matérias nela arguiveis são de ordem pública, devendo ser conhecidas ex officio pelo juiz (cf. item 4);

c) O termo "exceção de pré-executividade" é equívoco, pois, em verdade, não se trata nem de "exceção", nem de "pré" e nem "de executividade" (cf. item 5);

d) A argüição da ausência dos requisitos da execução é admitida em qualquer tempo e grau de jurisdição (cf. item 6);

e) Toda e qualquer pessoa pode argüir a ausência dos requisitos da execução (cf. item 7);

f) Não há forma rígida para que se alerte o juiz quanto a falta dos requisitos necessários à formação e desenvolvimento válido do processo de execução (cf. item 8);

g) A argüição da ausência dos requisitos da execução envolve as matérias que cabe ao juiz conhecer de ofício (cf. item 9);

h) A exceção de pré-executividade não tem procedimento específico, devendo ser observadas as peculiaridades de cada caso (cf. item 10);

i) A suspensão do curso da execução não se opera de forma automática, única e tão-somente por força da interposição da exceção de pré-executividade (cf. item 11);

j) Presentes todos os requisitos de admissibilidade da ação executiva, a argüição de nulidade será rejeitada, prosseguindo-se com a execução; acolhendo o juiz a exceção de pré-executividade, por ausência de tais requisitos, o processo executivo será encerrado mediante sentença terminativa (cf. item 12);

k) Acolhida a exceção de pré-executividade, será o autor do processo de execução condenado nas despesas e honorários advocatícios; rejeitando-se a argüição formulada na exceção de pré-executividade, responsável pelas custas acrescidas, se houver, será o argüente (cf. item 13);

l) A apelação é o recurso cabível caso seja acolhida a exceção de pré-executividade; rejeitando-se a argüição, cabível é o recurso de agravo (cf. item 14);

m) A possibilidade de o devedor se defender na execução antes de garantir o juízo restou pacificada com o passar do tempo, havendo consenso entre os doutrinadores quanto aos seguintes pontos: (i) ser de ordem pública a matéria argüida por meio da exceção de pré-executividade; (ii) ter a exceção de pré-executividade a natureza de defesa do executado; (iii) inexistir no ordenamento processual brasileiro em vigor, previsão legal da exceção de pré-executividade; (iv) existir contraditório no processo de execução (cf. item 15);

n) Tornou-se matéria pacífica nos tribunais de todo o país o cabimento da exceção de pré-executividade, não havendo mais suporte para o antigo entendimento de que a ausência dos requisitos da execução só pode ser argüida através de embargos (cf. item 16);

o) A exceção de pré-executividade só pode ser oferecida antes ou depois dos embargos, mas não simultaneamente a estes (cf. item 17).


REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

ASSIS, Araken de. Manual do Processo de Execução, vol. I, Porto Alegre, Letras Jurídicas, 1.987.

BELTRAME, José Alonso. Dos Embargos do Devedor, 2ª ed., São Paulo, Saraiva, 1.983.

BOJUNGA, Luiz Edmundo Appel. A Exceção de Pré-Executividade, artigo publicado na Revista de Processo, vol. 55, julho-setembro de 1.989.

CASTRO, Amilcar de. Comentários ao Código de Processo Civil, vol. VIII, 3ª ed., São Paulo, Editora Revista dos Tribunais, 1.983.

CASTRO, José Antônio de. Execução no Código de Processo Civil, 3ª ed., São Paulo, Saraiva, 1.983.

DINAMARCO, Cândido Rangel. Execução Civil, 6ª ed., São Paulo, Malheiros Editores, 1.998.

FERREIRA, Carlos Renato de Azevedo. Exceção de Pré-Executividade, artigo publicado na Revista dos Tribunais, vol. 657, julho de 1.990.

FILHO, Luiz Peixoto de Siqueira. Exceção de Pré-Executividade, 2ª ed., Rio de Janeiro, Lumen Juris, 1.998.

FILHO, Vicente Greco. Direito Processual Civil Brasileiro, vol. III, 6ª ed., São Paulo, Saraiva, 1.992.

JÚNIOR, Nelson Nery. Código de Processo Civil Comentado e legislação processual civil extravagante em vigor, 3ª ed., Editora Revista dos Tribunais, 1.997.

_____ Princípios Fundamentais - Teoria Geral dos Recursos, 2ª ed., São Paulo, Editora Revista dos Tribunais, 1.993.

_____ Princípios do Processo Civil na Constituição Federal, São Paulo, Editora Revista dos Tribunais, 1.992.

JÚNIOR, Humberto Theodoro. Curso de Direito Processual Civil, vol. II, 7ª ed., Rio de Janeiro, Forense, 1.991.

LACERDA, Galeno. Execução de Título Extrajudicial e Segurança do Juízo, artigo publicado na Revista da Associação dos Juizes do Rio Grande do Sul - Ajuris, vol. 23, novembro de 1.981.

LIEBMAN, Enrico Tullio. Processo de Execução, São Paulo, Saraiva.

LIMA, Alcides de Mendonça. Processo de Conhecimento e Processo de Execução, 2ª ed., Rio de Janeiro, Forense, 1.992.

MIRANDA, Pontes de. Dez Anos de Pareceres, vol. 4, Rio de Janeiro, Livraria Francisco Alves Editora S.A., 1.975.

MOURA, Mário Aguiar. Embargos do Devedor - Teoria e Prática, 4ª ed., Rio de Janeiro, Aide, 1.985.

PACHECO, José da Silva. Tratado das Execuções, vol. III, Rio de Janeiro, Editor Borsoi, 1.959.

ROSA, Marcos Valls Feu. Exceção de Pré-Executividade - Matérias de Ordem Pública no Processo de Execução, Porto Alegre, Sérgio Antônio Fabris Editor, 1.996.

SANTOS, Moacyr Amaral. Prova Judiciária no Cível e Comercial, vol. I, 2ª ed., São Paulo, Max Limonad Editor de Livros de Direito, 1.952.

SILVA, Ovídio A. Baptista da. Curso de Processo Civil, vol. II, Porto Alegre, Sérgio Antônio Fabris Editor, 1.990.

Webstories
Assuntos relacionados
Sobre o autor
Tarlei Lemos Pereira

Especialista em Direito de Família e das Sucessões e Mestre em Função Social do Direito pela Faculdade Autônoma de Direito – FADISP; Membro fundador da Academia de Pesquisas e Estudos Jurídicos – APEJUR; Advogado em São Paulo

Como citar este texto (NBR 6023:2018 ABNT)

PEREIRA, Tarlei Lemos . Aspectos da exceção de pré-executividade. Revista Jus Navigandi, ISSN 1518-4862, Teresina, ano 7 , n. 57, 1 jul. 2002 . Disponível em: https://jus.com.br/artigos/2980. Acesso em: 14 ago. 2022.

Publique seus artigos Compartilhe conhecimento e ganhe reconhecimento. É fácil e rápido!
Publique seus artigos