O Pleno do Tribunal, composto por 27 ministros, examinará as propostas realizadas pela Comissão de Jurisprudência, integrada pelos ministros Walmir Oliveira da Costa, Maurício Godinho Delgado e Delaíde Alves Miranda Arantes, de revisão das Súmulas.

Tribunal Superior do Trabalho debaterá revisão das Súmulas e aplicabilidade da Reforma Trabalhista.

No dia 06/02/2018, o Tribunal Superior do Trabalho – TST, discutirá em sessão do Pleno, as mudanças nas Súmulas e orientações jurisprudenciais do Tribunal em virtude da Reforma Trabalhista instituída pela Lei nº 13.467/2017.

O Pleno do Tribunal, composto por 27 ministros, examinará as propostas realizadas pela Comissão de Jurisprudência, a qual é integrada pelos ministros Walmir Oliveira da Costa, Maurício Godinho Delgado e Delaíde Alves Miranda Arantes, de revisão de 37 Súmulas e Orientações Jurisprudenciais da Corte, com o fim de adapta-las as mudanças na CLT realizadas pela Reforma.

Mais de 60 entidades de representação nacional de empregados e empregadores terão a oportunidade de sustentar seus posicionamentos no início da Sessão e antes da discussão e votos dos Ministros.

O principal debate se dará em torno da questão envolvendo a aplicabilidade de Reforma Trabalhista aos contratos de trabalho vigentes quando da entrada em vigor da Reforma. Para a Comissão de Jurisprudência, aplicar regras que prejudiquem os cidadãos viola os preceitos constitucionais do direito adquirido e da coisa julgada.

Na opinião do advogado João Felipe Nogueira Alvares, da Nemetz & Kuhnen Advocacia, “o TST tem nas mãos uma grande responsabilidade, posto que sua decisão pode trazer segurança jurídica às relações entre trabalhadores e setor produtivo da economia nacional, assentando e reinterpretando suas Súmulas e orientações à luz da nova sistemática legal, ou criar um cenário generalizado de insegurança jurídica que em nada auxiliará na retomada do crescimento econômico de nosso País”.


Autor


Informações sobre o texto

Este texto foi publicado diretamente pelo autor. Sua divulgação não depende de prévia aprovação pelo conselho editorial do site. Quando selecionados, os textos são divulgados na Revista Jus Navigandi.

Comentários

0

Autorizo divulgar minha mensagem juntamente com meus dados de identificação.
A divulgação será por tempo indeterminado, mas eu poderei solicitar a remoção no futuro.
Concordo com a Política de Privacidade e a Política de Direitos e Responsabilidades do Jus.

Regras de uso