REFERÊNCIAS:

ZANELLA, Vanessa Gomes. Imigrantes bolivianas em São Paulo: condições de vida e trabalho. Revista de Estudos Jurídicos UNESP, Franca, ano 19, n. 29, p. 1-20, jan.-jul., 2015. Disponível em: <http://seer.franca.unesp.br?index.php/estudosjuridicosunesp/index>.

LEITE, Marcia de Paula; SILVA, Sandra Roberta Alves; GUIMARÃES, Pilar Carvalho. O trabalho na confecção em São Paulo: as novas formas de precariedade. Caderno CRH, Salvador, v. 30, n. 79, p. 51-68, Jan./Abr. 2017. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.1590/S0103-49792017000100004>. 

DIÉGUEZ, Carla; ALENCAR, Yasmin Nóbrega. Bolivianas em São Paulo: escravas da moda. Teoria e Debate, edição 138, 21/07/2015. Disponível em: <https://teoriaedebate.org.br/2015/07/21/%ef%bb%bolivianas-em-sao-paulo-escravas-da-moda/>. 

MATTOS, Caroline Noronha Scaramussa. Análise contemporânea do trabalho análogo ao escravo na indústria têxtil. Trabalho de Curso - Curso de Direito Fundação de Ensino “Eurípedes Soares da Rocha”, mantenedora do Centro Universitário Eurípedes de Marília - UNIVEM, Marília, 2015.

ROSSI, Camila Lins. Nas costuras do trabalho escravo: um olhar sobre os imigrantes bolivianos ilegais que trabalham nas confecções de São Paulo. Trabalho de Conclusão de Curso. Universidade de São Paulo - Escola de Comunicações e Artes. Departamento de Jornalismo e Editoração. São Paulo, 2005.

STARKE, Linda. As cinco etapas da evolução moral da empresa. In: RAY, Michael; RINZLER, Alan (Org.). O novo paradigma nos negócios. Trad. Gilson César Cardoso de Sousa. São Paulo: Cultrix, 1999.

GALTUNG, Johan. Cultural violence. Journal of peace research, London, v. 27, n. 3, p. 291- 305, aug. 1990.

SEN, Amartya. Desenvolvimento como liberdade. Tradução: Laura Teixeira Motta. São Paulo: Companhia das letras, 2010.

SILVEIRA, Maria Olívia Ferreira; ALAMINO, Felipe Nicolau Pimentel (2018). Caso Norín Catríman e outros (dirigentes, membros e ativista do povo indígena Mapuche) vs. Chile e a proteção internacional dos povos indígenas. Revista da Faculdade de Direito, Universidade de São Paulo, 113, 721-736. Disponível em: <https://doi.org/10.11606/issn.2318-8235.v113i0p721-736>. 

Norín Catríman e outros. Center for Justice and International Law (CEJIL). Dados disponíveis em: <https://summa.cejil.org/pt/entity/3g6asxtq2dquxr>.

EM 2018, FISCAIS IDENTIFICARAM 1,7 MIL CASOS DE TRABALHO ESCRAVO NO BRASIL. O Globo, Rio de Janeiro, 28/01/2019. Disponível em: <https://oglobo.globo.com/economia/em-2018-fiscais-identificaram-17-mil-casos-de-trabalho-escravo-no-brasil-23409423>.

ESCRAVOS DE HOJE SÃO DESCARTÁVEIS. Seção: Trabalho escravo atualmente. Revista de audiências públicas do Senado Federal, ano 2, n. 7, maio de 2011. Disponível em: <https://www.senado.gov.br/noticias/Jornal/emdiscussao/trabalho-escravo/trabalho-escravo-atualmente/escravos-de-hoje-sao-descartaveis.aspx>.

ESCRAVIZAÇÃO. Seção: Trabalho escravo atualmente. Revista de audiências públicas do Senado Federal, ano 2, n. 7, maio de 2011. Disponível em: <https://www.senado.gov.br/noticias/Jornal/emdiscussao/trabalho-escravo/trabalho-escravo-atualmente/escravizacao.aspx>.

TRABALHO ESCRAVO ATUALMENTE. Seção: Trabalho escravo atualmente. Revista de audiências públicas do Senado Federal, ano 2, n. 7, maio de 2011. Disponível em: <https://www.senado.gov.br/noticias/Jornal/emdiscussao/trabalho-escravo/trabalho-escravo-atualmente.aspx>.

TRABALHO ESCRAVO CONTEMPORÂNEO. Dados disponíveis em: <http://trabalhoescravocontemporaneo.blogspot.com/2017/09/trabalho-escravo-contemporaneo.html>.

TRABALHO ESCRAVO NO MUNDO. Dados disponíveis em: <http://geofactualidades.blogspot.com/2018/05/trabalho-escravo-no-mundo.html>.



Informações sobre o texto

Como citar este texto (NBR 6023:2018 ABNT)

FACCA, Amanda Egami; GREGHI, Luísa. Petição referente à violação de direitos humanos: Escravidão levada à Corte Interamericana de Direitos Humanos. Revista Jus Navigandi, ISSN 1518-4862, Teresina, ano 26, n. 6585, 12 jul. 2021. Disponível em: https://jus.com.br/peticoes/91799. Acesso em: 20 jan. 2022.

Comentários

0

Autorizo divulgar minha mensagem juntamente com meus dados de identificação.
A divulgação será por tempo indeterminado, mas eu poderei solicitar a remoção no futuro.
Concordo com a Política de Privacidade e a Política de Tratamento de Dados do Jus.

Regras de uso