Notas

[1] PUCCI, Adriana Noemi. Arbitragem Comercial nos Países do Mercosul: análise comparativa da legislação, jurisprudência e doutrina dos autores da Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai relativas à arbitragem. São Paulo: LTr, 1997, p. 27.

[2] CRETELLA JÚNIOR, J. Da arbitragem e seu conceito categorial. São Paulo: Revista dos Tribunais, 1989, p. 12-13.

[3]STRENGER, Irineu. Contratos Internacionais do Comércio. 3.ed. São Paulo: LTr, 1998,p. 215.

[4] SANTOS, Ricardo Soares Stersi dos. Mercosul e Arbitragem Internacional Comercial: aspectos gerais e algumas possibilidades.Belo Horizonte: Del Rey, 1997, p. 129.

[5] PUCCI, Adriana Noemi (coordenadora). Arbitragem Comercial Internacional. São Paulo: LTr, 1998, p. 23.

[6] PUCCI, Adriana Noemi (coordenadora), op. cit., p. 21.

[7] UNCITRAL: organização legal central do sistema da ONU no campo de legislação comercial internacional.

[8] STRENGER, Irineu. Direito do Comércio Internacional e Lex Mercatoria. São Paulo: LTr, 1996, p. 131.

[9]ENGELBERG, Esther. Contratos Internacionais do Comércio. 2.ed., São Paulo: Atlas, 1997, p. 55.

[10]Regulamento Modelo de Arbitragem do Conselho Nacional de Instituições de Mediação e Arbitragem. Disponível em: <http://www.unb.br/fd/gt/conteudo/Reg_arb_conima.doc>. Acesso em: 26 set. 2006.

[11] Regulamento de Arbitragem da CCI. Disponível em: <http://www.unb.br/fd/gt/conteudo/Reg_CCI_port.pdf>. Acesso em: 26 set. 2006. A CCI é uma organização mundial de empresas (instituição privada), o único representante que fala com autoridade em nome de empresas de todos os setores de todo o mundo. A CCI promove um comércio e sistema de investimento internacional aberto e o sistema de mercado. Líderes empresariais e especialistas escolhidos dentre os sócios da CCI estabelecem a posição empresarial em assuntos latos relacionadas com comércio e investimentos, e-business, TI’s e telecoms, tal como em assuntos vitais técnicos e setoriais. A CCI foi fundada em 1919 e hoje congrega milhares de empresas e associações de mais de 130 países.

[12] SANTOS, Ricardo Soares Stersi dos, op. cit., p. 135 e 136.

[13] SANTOS, Ricardo Soares Stersi dos, op. cit., p. 136.

[14] STRENGER, Irineu, op. cit., p. 219.

[15] ENGELBERG, Esther, op. cit., p. 54.

[16] STRENGER, Irineu, op. cit., p. 218.

[17] ENGELBERG, Esther, op. cit., p. 56.

[18] PUCCI, Adriana Noemi, op. cit., p. 95.

[19] SANTOS, Ricardo Soares Stersi dos, op. cit., p. 137.

[20] SANTOS, Ricardo Soares Stersi dos, op. cit., p. 137.

[21] PUCCI, Adriana Noemi (coordenadora), op. cit., p. 25.

[22]LIMA, Leandro Rigueira Rennó. A Convenção de Arbitragem e as formas de instauração do procedimento arbitral. Disponível em: <http://www.camarb.com.br/areas/subareas_conteudo.aspx?subareano=5>. Acesso em: 26 set. 2006.

[23]LIMA, Leandro Rigueira Rennó. A Convenção de Arbitragem e as formas de instauração do procedimento arbitral.

[24] STRENGER, Irineu, op. cit., p. 216

[25] SANTOS, Ricardo Soares Stersi dos, op. cit., p. 130 a 132.

[26] Congresso Nacional de Direito: A Internacionalização dos Direitos, 5º, Caxias do Sul: Universidade de Caxias do Sul, 2005.

[27] STRENGER, Irineu, op. cit., p. 240.

[28] ENGELBERG, Esther, op. cit., p. 59.

[29]Apud MEIRELLES, Hely Lopes. Direito Administrativo Brasileiro. 32.ed., São Paulo: Malheiros, 2006, p. 252.

[30] PUCCI, Adriana Noemi (coordenadora), op. cit., p. 50.

[31] SANTOS, Ricardo Soares Stersi dos, op. cit., p. 160 e 161.

[32] PUCCI, Adriana Noemi (coordenadora), op. cit., p. 22.

[33]LIMA, Leandro Rigueira Rennó. A Convenção de Arbitragem e as formas de instauração do procedimento arbitral.

[34] SANTOS, Ricardo Soares Stersi dos, op. cit., p. 157 e 158.

[35] PUCCI, Adriana Noemi (coordenadora), op. cit., p. 23.

[36] PUCCI, Adriana Noemi (coordenadora), op. cit., p. 112.

[37] PUCCI, Adriana Noemi (coordenadora), op. cit., p. 117 a 123.

[38] PUCCI, Adriana Noemi (coordenadora), op. cit., p. 124 a 127.

[39]PUCCI, Adriana Noemi, op. cit., p. 69.

[40] Congresso Nacional de Direito: A Internacionalização dos Direitos, 5º, Caxias do Sul: Universidade de Caxias do Sul, 2005.

[41] ENGELBERG, Esther, op. cit., p. 55.

[42] NANNI, Giovanni Ettore. Recurso contra a sentença arbitral? Disponível em: <http://www.camarb.com.br/areas/subareas_conteudo.aspx?subareano=318>. Acesso em: 26 set. 2006.

[43] NANNI, Giovanni Ettore. Recurso contra a sentença arbitral?

[44] NANNI, Giovanni Ettore. Recurso contra a sentença arbitral?

[45] NANNI, Giovanni Ettore. Recurso contra a sentença arbitral?

[46] PUCCI, Adriana Noemi, op. cit., p. 28.

[47] PUCCI, Adriana Noemi, op. cit., p. 37.

[48] PUCCI, Adriana Noemi, op. cit., p. 47.

[49] PUCCI, Adriana Noemi, op. cit., p. 48 a 53.

[50] PUCCI, Adriana Noemi, op. cit., p. 66.

[51] PUCCI, Adriana Noemi, op. cit., p. 79.

[52] PUCCI, Adriana Noemi, op. cit., p. 108.

[53]LEE, João Bosco. Arbitragem Comercial Internacional nos Países do Mercosul. Curitiba: Juruá, 2002, p. 331-332.

[54]PUCCI, Adriana Noemi, op. cit., p. 183-187.

[55] SANTOS, Ricardo Soares Stersi dos, op. cit., p. 178.

[56] SANTOS, Ricardo Soares Stersi dos, op. cit., p. 175.

[57] SZKLAROWSKY, Leon Frejda. Arbitragem na América do Sul: Organização dos Estados Americanos (OEA).Jus Navigandi, Teresina, ano 9, n. 722, 27 jun. 2005. Disponível em: <http://jus.com.br/artigos/6838>. Acesso em: 03 out. 2006.

[58]PUCCI, Adriana Noemi, op. cit., p. 240-245.

[59] LEE, João Bosco, op. cit., p. 225-226.

[60] SANTOS, Ricardo Soares Stersi dos, op. cit., p. 96.

[61] BARRAL, Welber. O novo sistema de solução de controvérsias do Mercosul. Disponível em: <http://www.camarb.com.br/areas/subareas_conteudo.aspx?subareano=2>. Acesso em: 03 out. 2006.

[62] BARRAL, Welber. O novo sistema de solução de controvérsias do Mercosul.

[63] BARRAL, Welber. O novo sistema de solução de controvérsias do Mercosul.

[64] BARRAL, Welber. O novo sistema de solução de controvérsias do Mercosul.

[65] BARRAL, Welber. O novo sistema de solução de controvérsias do Mercosul.

[66] BARRAL, Welber. O novo sistema de solução de controvérsias do Mercosul.

[67] BARRAL, Welber. O novo sistema de solução de controvérsias do Mercosul.

[68] BARRAL, Welber. O novo sistema de solução de controvérsias do Mercosul.

[69] Secretaria Mercosul. Laudos Arbitrais. Disponível em: <http://www.mercosur.int/msweb/principal/contenido. asp>. Acesso em: 12 nov. 2006.

[70] Secretaria Mercosul. Laudos Arbitrais.

[71] STRENGER,Irineu, op. cit., p. 221 e 222.

[72] STRENGER, Irineu, op. cit., p. 222 e 223.

[73] SANTOS, Ricardo Soares Stersi dos, op. cit., p. 128.

[74] SANTOS, Ricardo Soares Stersi dos, op. cit., p. 137 e 138.

[75] SANTOS, Ricardo Soares Stersi dos, op. cit., p. 139.

[76] ENGELBERG, Esther, op. cit., p. 55 a 57.

[77]ENGELBERG, Esther, op. cit., p. 57 e 58.

[78] MEIRELLES, Hely Lopes, op. cit., p. 251.

[79]Apud MEIRELLES, Hely Lopes, op. cit., p. 251.

[80] MEIRELLES, Hely Lopes, op. cit., p. 252.

[81] LEMES, Selma Ferreira. A jurisprudência brasileira sobre o uso da arbitragem. Disponível em: <http://www.camarb.com.br/areas/subareas_conteudo.aspx?subareano=24>. Acesso em: 26 set. 2006.

[82] LEMES, Selma Ferreira. A jurisprudência brasileira sobre o uso da arbitragem.

[83] Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul. Extinto processo para atender cláusula de Arbitragem. Disponível em: <http://www.tj.rs.gov.br/site_php/noticias/mostranoticia.php?assunto=1&categoria=1&item=38561>. Acesso em: 04 abr. 2006.

[84] BAETA, Zínia. Arbitragem pode ser vinculante. Disponível em: <http://www.valoronline.com.br/ valoreconomico/285/legislacaoetributos/Arbitragem+pode+ser+vinculante,,,85,3755352.html>. Acesso em 26 jun. 2006.

[85] LEMES, Selma Ferreira. A jurisprudência brasileira sobre o uso da arbitragem.

[86] LEMES, Selma Ferreira. A jurisprudência brasileira sobre o uso da arbitragem.

[87] LEMES, Selma Ferreira. A jurisprudência brasileira sobre o uso da arbitragem.


Autor

  • Cirlene Luiza Zimmermann

    Mestre em Direito pela Universidade de Caxias do Sul – UCS. Professora de Direito na Universidade de Caxias do Sul - UCS. Coordenadora da Revista Juris Plenum Previdenciária. Procuradora Federal - AGU. Autora do Livro “A Ação Regressiva Acidentária como Instrumento de Tutela do Meio Ambiente de Trabalho”.

    Textos publicados pela autora


Informações sobre o texto

Como citar este texto (NBR 6023:2018 ABNT)

ZIMMERMANN, Cirlene Luiza. A arbitragem e os contratos internacionais. Revista Jus Navigandi, ISSN 1518-4862, Teresina, ano 19, n. 3884, 18 fev. 2014. Disponível em: https://jus.com.br/artigos/26730. Acesso em: 20 out. 2020.

Comentários

1

Autorizo divulgar minha mensagem juntamente com meus dados de identificação.
A divulgação será por tempo indeterminado, mas eu poderei solicitar a remoção no futuro.
Concordo com a Política de Privacidade e a Política de Direitos e Responsabilidades do Jus.

Regras de uso
  • 0

    Kelly

    Prezada Drª Cirlene,

    Eu sou a Kelly da Sillac. Estou escrevendo para informar que o seu artigo já foi postado no nosso website. Procuramos postar exatamente como está no Jus Navigandi. Por favor, quando puder olhe o artigo e se tiver alguma parte que gostaria que fizéssemos mudança é só nos avisar. Agradecemos mais uma vez pela sua colaboração!

    Saudações,

    Kelly Heath