Através do Arrendamento Mercantil é possível recuperar créditos de PIS e Cofins

Empresas tributadas pelo Lucro Real, com regime de PIS e Cofins não cumulativo, podem aproveitar-se dos créditos referentes a aquisições de qualquer tipo de bem através do Arrendamento Mercantil, também conhecido como Leasing Financeiro. Essa tomada de crédito é permitida para os contratos de Leasing Financeiro, observando que também existe o Leasing Operacional.

Desse modo, as empresas devem pegar os valores referentes a essas aquisições desde que tenham sido feitas de outras empresas com regime de tributação que não o Simples Nacional e sobre essa parcela do mês referente ao Leasing fazer a tomada de crédito na proporção de 9,25% do valor total da fatura mensal.

Para a apuração, será necessário identificar os valores pagos a título de arrendamento mercantil a pessoas jurídicas. Depois, deve verificar se os valores foram considerados na base de cálculo dos créditos de PIS e da COFINS. Em caso negativo, realizar o creditamento. Calculado esse valor é necessário que sejam feitas as devidas retificações de DACON e EFD – Contribuições.

Caso a empresa ainda não tenha feito à utilização dessas oportunidades, poderá fazer uma revisão buscando os últimos 60 meses para fazer o aproveitamento. O aproveitamento dos créditos apurados poderá ser feito através de PERDCOMP se a empresa considerou esses valores como “pagamento a maior”. Caso a empresa tenha adotado na retificação das declarações o critério de acumular, mês a mês, os valores apurados, ela poderá utilizá-los agora sem precisar fazer PERDCOMP.



Informações sobre o texto

Este texto foi publicado diretamente pelo autor. Sua divulgação não depende de prévia aprovação pelo conselho editorial do site. Quando selecionados, os textos são divulgados na Revista Jus Navigandi.

Comentários

0

Livraria