Os pacientes que realizaram cirurgia bariátrica (redução de estômago) têm direito à cirurgias plásticas necessárias à sua plena recuperação, desde que cumpridos alguns requisitos.

Os pacientes que se submeteram à cirurgia bariátrica (redução de estômago) têm direito à cobertura pelo seu plano de saúde e pelo SUS das cirurgias plásticas necessárias, desde que cumpridos alguns requisitos.

Atualmente, o Poder Judiciário tem exigido que o paciente apresente ao menos uma das situações a seguir relacionadas, para que o SUS ou a operadora de plano de saúde seja obrigada a custear as cirurgias plásticas necessárias:

  • Desequilíbrio da coluna decorrente de excesso de pele nas mamas (masculina ou feminina), ou abdômen; e/ou

  • Incapacidade funcional decorrente da formação de “abdômen em avental” (capa de pela formada na barriga); e/ou

  • Surgimento de patologias dermatológicas (infecções por fungos, bactérias, etc.); e/ou

  • Limitação de atividades pela dificuldade de movimentação.

Portanto, desde que demonstrado que o paciente desenvolveu um ou alguns dos reflexos funcionais acima listados, é dever da operadora de plano de saúde ou do SUS fornecer a cobertura assistencial para a realização das cirurgias plásticas reparadoras necessárias.

Estas cirurgias não se limitam à abdominoplastia ou dermolipectomia, que são as mais comuns, mas também contemplam a mamoplastia, lipoaspiração, lifting facial, dentre outros, desde que comprovadamente necessários para a recuperação de funções e o reestabelecimento do equilíbrio físico-motor do paciente.

Não permita que seus direitos sejam negados!

Procure sempre um advogado de sua confiança!


Autor


Informações sobre o texto

Este texto foi publicado diretamente pelo autor. Sua divulgação não depende de prévia aprovação pelo conselho editorial do site. Quando selecionados, os textos são divulgados na Revista Jus Navigandi.

Comentários

0

Livraria